Os efeitos benéficos da musicoterapia no contexto educacional / The beneficial effects of music therapy in the educational context

Paulo Jonas dos Santos Júnior, Elon Saúde Caires, Clodoaldo Sanches Fósfano

Abstract


Este artigo busca refletir sobre os efeitos benéficos da musicoterapia no contexto educacional, como instrumento de desenvolvimento global do indivíduo. Para tanto, discute aspectos relacionados ao funcionamento da disciplina de Música proposta pelas LDBs e os PCNs de Artes para a educação básica. Em seguida, destaca a importância dessa prática fundamental no ambiente educacional, que pode ser adotada tanto no ensino regular como na educação especial. Logo depois, evidencia os resultados obtidos do trabalho com a musicoterapia, contribuindo para o desenvolvimento educacional do aluno. Para isso, realizou-se uma pesquisa bibliográfica de base qualitativa, considerando as contribuições de teóricos cujas obras são pertinentes ao foco deste estudo. Recorreu-se também Lei nº 11.769, de 18 de agosto de 2008; às Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (5.692/71) e (9.394/96). Além dos Parâmetros Curriculares Nacionais de Artes - PCNs - (1996). Por meio deste artigo, foi possível concluir que a musicoterapia é de suma importância no contexto educacional, visto que a presença desse instrumento na educação, em suas diversas possibilidades didáticas, tem a função de auxiliar desde a socialização dos alunos, bem como o desenvolvimento das habilidades linguísticas e intelectuais. Além disso, ao estimular a memória, a inteligência e os sentimentos, favorece a construção de um cidadão mais consciente de si e de seu papel no mundo, permitindo que o mesmo avalie, critique e interfira no mundo em que vive.

Keywords


Musicoterapia; Educação; Aluno; Contexto educacional

References


BRASIL. Lei Nº 5.692, de 11 de agosto de 1971. Ministério da educação, 1971.

______.Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília: Ministério da educação, 1996.

______. Ministério da Educação e do Desporto. Parâmetros Curriculares Nacionais:

Arte – versão preliminar, ago. 1996.

______. Parâmetros Curriculares Nacionais. Arte. Brasília: Ministério da Educação

(Secretaria de Educação Fundamental), 1997.

______. Lei nº 11.769, de 18 de agosto de 2008. Brasília, DF, 2008a, que trata da obrigatoriedade do ensino de música na educação básica.

¬¬¬¬______. Parâmetros Curriculares Nacionais(5ª a 8ª séries). Arte. Brasília: Ministério da Educação (Secretaria de Educação Fundamental), 1998.

BRÉSCIA VP. Educação musical: bases psicológicas e ação preventiva. Campinas: Átomo, 2003.

BRITTO,Teca Alencar de. Música na Educação Infantil. São Paulo: Peirópolis, 2003.

BRUSCIA KE. Definindo musicoterapia. Rio de Janeiro: Enelivros, 2000.

BUNT, L. Music Therapy: an introduction. Psychology of music, 1988; 16(1): 3-9.

CASTROGIOVANNI, A. C. (Org.). Apreensão e compreensão do espaço geográfico. In: Ensino de Geografia: práticas e textualizações no cotidiano. Porto Alegre: Mediação, 2000.

CUNHA R, VOLPI S. A prática da musicoterapia em diferentes áreas de atuação. R.cient., 2008; 3(1): 85-97.

DECKERT, Marta. Educação musical: da teoria à prática da sala de aula. 1 ed. São Paulo: Moderna, 2012.

FERNANDES, José Fortunato. A filosofia de Shinichi Suzuki aplicada ao canto coral para adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa. Revista Espaço Intermediário, São Paulo, v.II, n.1, p. 38-53, junho, 2011. Disponível em: http://www.ufmt.br/ufmt/unidade/userfiles/publicacoes/3d49344b42c9b31bdafb3a519187ea49.pdf. Acesso em 12 dez. 2017.

FONSECA KC et al. Credibilidade e efeitos da música como modalidade terapêutica em saúde. Rev. Eletr. Enf., 2006; 8(1): 398-403.

FONSECA, Selva Guimarães. Didática e Prática de Ensino de História: experiências, reflexões e aprendizados. 7 ed. São Paulo: Papirus, 2003.

GALLO, Sílvio. Transversalidade e educação: pensando uma educação não disciplinar. In ALVES, Nilda e GARCIA, Regina Leite (orgs). O sentido da escola. 5. ed. Petrópolis: DP et Alii, 2008, p.15-35

MUNHOZ, S. J. Para que serve a História ensinada nas escolas? In: SILVA, Marcos A. (Org.). Repensando a História. 2.ed. São Paulo: ANPUH; Marco Zero, 1989.

PINSKY, Jaime, PINSKY, Carla. Por uma história prazerosa e consequente. In: KARNAL, Leandro (org.) História na Sala de Aula: Conceitos, Práticas e Propostas. 3º ed. São Paulo: Contextos, 2005.

SANTOS JÚNIOR, Paulo Jonas dos. Os desafios e as dificuldades da educação musical. Rio de Janeiro: Conexão de saberes, 2015.

SEKEFF, Maria de Lourdes. Da música: usos e recursos. São Paulo: Unesp, 2002.

TUSLER, R. L. Music: catalyst for healing. Alkmaar, the Netherlands: Dukkeri, 1991.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.