Modos de vida tradicionais e campesinato: figuras do agrário norte mineiro / Traditional lives and peasantry: figures of the agrarian north mineiro

Leandro Luciano da Silva, Flávia Maria Galizoni, Maria das Graças Campolina Cunha, Maria de Fátima Almeida Martins

Abstract


A discussão sobre a Questão Agrária no Brasil envolve não apenas a luta pela terra, mas sobretudo a legitimação dos próprios sujeitos do campo brasileiro, seja pela aproximação entre o campo e a cidade promovida pelo capital ou pela inserção cada vez mais contundente deste capital no ambiente agrário. No entanto, na teoria, o debate sobre os sujeitos do campo se direciona na proposta de sua proletarização ou da industrialização do agrário. No campo propriamente dito, observa-se a materialização das tradicionalidades rurais e a reestruturação do campesinato que se fortalece e se recria na conflitualidade do próprio capital. O presente estudo teve por objetivo identificar indícios da presença de modos de vida tradicionais e campesinato na região Norte do Estado de Minas Gerais. Trata-se de um estudo de caso realizado em uma comunidade rural localizada na região Norte Mineira no ano de 2009. Observou-se a presença de modos de vida tradicionais, em especial, relacionados ao campesinato, evidenciando os saberes tradicionalmente transmitidos, tais como o manejo da terra, o modo de cria, a gestão econômica camponesa e outras estratégias que compõem a complexidade da condição camponesa. Tais modos de vida também são observados em outros estudos rurais realizados em diversas partes do território brasileiro. Os resultados encontrados evidenciam que a resiliência é característica marcante dos sujeitos sociais aqui tratados, a capacidade de resistir e se reproduzir no ambiente propício à reestruturação do capital é o que leva a reconhecê-los como sujeitos de transformação do campo brasileiro e deflagradores de debates cada vez mais intensos sobre a Questão Agrária e suas dimensões. 

 


Keywords


Questão agrária. Capitalismo agrário. Modos de vida tradicionais. Campesinato

References


ANDRADE, M. C. (1964), A Terra e o Homem no Nordeste. 2ª ed, São Paulo, Brasiliense.

BRANDÃO, C. R.(1986), O ardil da ordem: Caminhos e armadilha da educação popular. 2 ed, Campinas, Papirus.

CHAYANOV, A. V. (1974), La organización de la unidad económica campesina. Tradução de Rosa Maria Rússovich. Buenos Airee, Ediciones Nueva Visión.

COLEHO, M. A. T. (2005), Os Descaminhos do São Francisco. São Paulo, Paz e Terra.

FEITOSA, A.M.A; BARBOSA, R.S. (2006), A dinâmica de luta pela terra no norte de minas gerais. In FEITOSA, A.M.A; ZUBA, J.A.G; CLEPES JUNIOR, J. (orgs.). Debaixo da Lona: tendências e desafios regionais da luta pela posse da terra e da reforma agrária no Brasil. Goiânia, Editora. da UCG,.

GALIZONI, F. M.; RIBEIRO, E. M.; NORONHA, A. B.; SILVESTRE. L. H.; REIS, R. P. (2010) Água dos Gerais. In: História dos Gerais. (Org.) RIBEIRO E. M.. Belo Horizonte/MG, Editora UFMG.

GALIZONI, F. M. (2005), Águas da vida: população rural, cultura e água em Minas - Tese de Doutorado. UNICAMPI. Campinas, SP, 2005.

GALIZONI, F. M.; RIBEIRO, E. M.; LOPES JÚNIOR E. C.; CHIODI, R. E.; REIS, R. P.. (2008), Agricultura familiar: água e estratégias produtivas no Rio dos Cochos, campos gerais de Minas. XLVI Congresso Brasileiro de Economia Administração e Sociologia Rural. Rio Branco, ACRE, 20 a 23 de julho de 2008.

GARCIA JUNIOR, A. R. (1989) O sul: caminho do roçado - estratégias de reprodução camponesa e transformação social. Brasília, Editora UNB/MCT/CNPq.

GARCIA JUNIOR, A. R. (1983) Terra de Trabalho: Trabalho Familiar de Pequenos Produtores. Rio de Janeiro, Paz e Terra.

GARJULLI, R. (2003) Os recursos hídricos no semi-árido. Cienc. Cult. [online]. v. 55, n. 4, pp. 38-39. ISSN 0009-6725.

GODOI, Emília Pietrafesa. (1999) O Trabalho da Memória: cotidiano e história no sertão de Piauí. Campinas: Unicamp,.

GONÇALVES NETO, W. (1997) Estado e agricultura no Brasil. São Paulo, Hucitec.

HEREDIA, B. M. A. (1979) A morada da vida: Trabalho Familiar de Pequenos Produtores no Nordeste do Brasil. Rio de Janeiro, Paz e Terra.

KAUTSKY, K. (1972) A questão agrária. Porto, Portucalense Editora.

LAMARCHE, H. (1997) A agricultura familiar: do mito à realidade. Campinas, Editora da UNICAMP.

LÊNIN, Vladimir Ilich. (1899) O desenvolvimento do capitalismo na Rússia. São Paulo, Nova Cultural.

LINS, C. J. C. (2008), Nova Delimitação da Região Semiárida do Brasil. Ministério da Integração Nacional. Recife. Disponível em: < http://www.mi.gov.br/c/document_library/get_file?uuid=0aa2b9b5-aa4d-4b55-a6e1-82faf0762763&groupId=24915 >. Acesso em: 13 mai. 2014.

MALVEZZI, R. (2001) Fazer Água. In: Cáritas Brasileira e Comissão Pastoral da Terra – FIAN/Brasil. Água de Chuva – o segredo de conviver com o semi-árido brasileiro. São Paulo, Paulinas.

_______________, (2007), Semi-árido - uma visão holística. - Série Pensar o Brasil e Construir o Futuro da Nação. Brasília, CONFEA.

MARTINE, G. (2007), O lugar do espaço na equação população/meio ambiente. Revista Brasileira de Estudos Populacionais. v. 24, n2. P181-190. Jul/dez. São Paulo. SP.

MARTINS, J. de S. (1990), Os camponeses e a política no Brasil. 4ª Ed. Petrópolis: VOZES.

MATTEI, L. (2007), Políticas de Apóio à Agricultura Familiar no Brasil: O Caso Recente do Pronaf. Revista Econômica do Nordeste. vol. 38, n. 1, jan/mar, Fortaleza.

MAZZETTO SILVA, C. E. (1999), Desenvolvimento e Sustentabilidade Nos Cerrados: o caso do sertão norte-mineiro. In: IV Encontro Nacional da Rede Cerrado, Montes Claros/MG.

MENDRAS, Henry. (1978), Sociedades Camponesas. Rio de Janeiro, Zahar Editores.

MINAS GERAIS, Governo de Minas. Regiões de planejamento. 2010. Disponível em:< https://www.mg.gov.br/governomg/portal/c/governomg/conheca-minas/geografia/5671-regioes-de-planejamento/69548-as-regioes-de-planejamento/5146/5044>. Acesso: 30 jun. de 2015.

MOURA, Margarida Maria. (1978), Os Herdeiros da Terra: parentesco e herança numa área rural. São Paulo, HUCITEC.

NASCIMENTO, A. M. (2006) População e família brasileira: ontem e hoje. XV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP, Caxambú- MG – Brasil, de 18 - 22 de Setembro de 2006. Disponível em: ww.abep.nepo.unicamp.br/encontro2006/docspdf/ABEP2006_476.pdf

PAOLIELLO, R. M. (1998) Estratégias possessórias e constituição de espaços sociais no mundo rural brasileiro: o contexto da Baixada do Ribeira. In: Além dos Territórios: para um diálogo entre a etnologia indígena os estudos rurais e os estudos urbanos. (Orgs.) NIEMEYER, A. M; GODOI, E. P. Campinas/SP, Ed. Mercado de Letras.

PERONDI, M. A. RIBEIRO, A. E. M. (2000) A Estratégia de Reprodução de sitiantes no Oeste de Minas Gerais e de Colonos no Sudeste do Paraná. Disponível em: http://purl.umn.edu/43292 revista_v2_n2_jul-dez_2000_1.pdf.

POLLETO, I. (2001) Da indústria da seca para a convivência com o semi-árido Brasileiro. In Cáritas Brasileira e Comissão Pastoral da Terra – FIAN/Brasil. Água de Chuva – o segredo de conviver com o semi-árido brasileiro. São Paulo, Paulinas.

PRADO JÚNIOR, Caio. (1942), Formação do Brasil Contemporâneo. São Paulo, Brasiliense.

RIBEIRO, E. M. (2010) As Histórias dos Gerais. In: História dos Gerais. (Org.) RIBEIRO E. M. Belo Horizonte, Editora UFMG.

RIBEIRO, E. M. GALIZONI, F. M. (1998), Catira de gado e ocupações não-rurais: duas alternativas de reprodução de produtores de leite do Oeste de Minas Gerais. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ECONOMIA E SOCIOLOGIA RURAL, 36, 1998, Poços de Caldas. Anais... Brasília: SOBER, p.953-964

RIBEIRO, E. M.; GALIZONI, F. M.; SILVESTRE, L. H.; CALIXTO, J. S.; ASSIS, T. P.; AYRES, E.B. (2007) Agricultura familiar e programas de desenvolvimento rural no alto Jequitinhonha. In: Revista de Economia Rural, vol. 45, n.04, p. 1075-1102, out/dez 2007. Rio de Janeiro. R J: 2007.

SABOURIN, E. (1999), Meio ambiente e sustentabilidade da agricultura familiar no semi-árido Nordestino. In: Raízes, ano XVIII, nº 20, Nov. p. 132-143.

SABOURIN, E. (2008), Multifuncionalidade da agricultura e manejo de recursos naturais: alternativas a partir do caso do semi-árido brasileiro, Revista Tempo da Ciência,Vol. 15, n° 29: 57-72.

SANTOS, A. J.; VIANA. A. L.; MATOS, J. G. R.; SOUZA, J. B.; PACHECO, J. M. S.(2010) O rio, o lugar e a história. In: História dos Gerais. (Org.) RIBEIRO E. M. Belo Horizonte , Editora UFMG..

SANTOS, Milton (1986) Por uma Geografia Nova. 3ª. ed. São Paulo, Hucitec,.

SANTOS ROSA, L G. (2008), Projeto de revitalização da sub-bacia do Rio dos Cochos. Projeto de revitalização apresentado ao Instituto Mineiro de Gestão das Águas-IGAM, pelo município de Januária/MG. Januária: 2008.

SEYFERTH, G. (1985), Herança e estrutura familiar camponesa. Rio de Janeiro: in: Boletim do Museu Nacional. n. 52. 30 de maio. p.1-27.

SHRODER, M. (2004), As demandas financeiras dos agricultores do sertão do Pajeú. In: Laços financeiros na luta contra a pobreza. ABRAMOVAY, R. Organizador. Annablume. FAPESP. São Paulo, S P: 2004. p. 71-119.

SILVA, Leandro Luciano. GALIZONI, Flávia Maria. RIBEIRO, Àureo Eduardo Magalhães. (2012) Agricultura familiar, estratégias produtivas e programas de desenvolvimento no Alto-Médio São Francisco: o caso da comunidade rural de Roda D’Água. In: Teoria & Sociedade, v. 20.2, p.40 -62. Belo Horizonte.

VAN DER PLOEG, Jan Douwe. (2008), Camponeses e impérios alimentares: lutas por autonomia e sustentabilidade na era da globalização. Porto Alegre, Editora da UFRGS.

VERGÉS, Armando Bartra. (2011), Os novos Camponeses: leituras a partir do México profundo. São Paulo, Cultura Acadêmica: Catédra Unesco de Educação do Campo e Desenvolvimento Rural.

WANDERLEY, M. N. B. (1999), Raízes históricas do campesinato brasileiro. In: TEDESCO, João Carlos (org). Agricultura Familiar: realidade e perspectivas. Passo Fundo, EDIUPF.

WOLF, E. R. (1976) Sociedades Camponesas. Tradução de Oswaldo Caldeira C. da Silva. Rio de Janeiro, Zahar Editores.

WOORTMANN, E. F. (1995), Herdeiros, Parentes e Compadres: Colonos do Sul e Sitiantes do Nordeste. São Paulo-Brasília: Editora da USP: HUCITEC/Edunb. 1995.

WOORTMANN, Ellen F. & WOORTMANN, Klaas. (1997), O Trabalho da Terra: a lógica e a simbólica da lavoura camponesa. Brasília, Edunb.

WOORTMANN, K. (1990) Migração, família e campesinato. In: Revista Brasileira de Estudos de População. Campinas: Fundação SEADE/UNICAMP. jan./jun. 1990. v.7, n.1, p.35-53.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.