Perfil sensorial de balas mastigáveis convencionais e de reduzido valor calórico formuladas com polpa de Araçá Amarelo/ Sensorial profile of conventional chewable bullets and reduced caloric value formulated with yellow Araçá Pulp

Lisiane Pintanela Vergara, Rosane da Silva Rodrigues, Rui Carlos Zambiazi, Rodrigo Cezar Franzon, Josiane Freitas Chim

Abstract


Bala mastigável é um produto obtido da cocção de açúcares que se caracteriza por ser mastigável (gomoso), de dissolução relativamente lenta na boca e cuja cor, sabor, aroma e/ou textura devem-se a alguns agentes que dão corpo à bala. A inserção de polpa de fruta na formulação de balas mastigáveis pode eliminar ou reduzir o uso de aditivos, além de incorporar compostos benéficos à saúde associados à fruta. Como a maioria das espécies frutíferas nativas, o araçá amarelo não é explorado em escala comercial, sendo cultivado como fruta silvestre em sistema extensivo pela agricultura familiar, no entanto esta fruta é rica em compostos bioativos, como compostos fenólicos e carotenoides. Grande parcela dos consumidores estão modificando seus hábitos alimentares, optando por alimentos menos calóricos, mais saudáveis e nutritivos. Os produtos diet e light atendem a esta demanda e estão constantemente sofrendo inovações e ampliando a oferta no mercado. Poucos estudos foram realizados sobre a inserção de frutas nativas na formulação de balas visando obter um produto mais saudável. É proposto o uso do araçá amarelo, fruta nativa do Brasil, como alternativa ao corante e aromatizante artificial. Neste trabalho, objetivou-se avaliar sensorialmente balas mastigáveis convencionais e de reduzido valor calórico formuladas com polpa de araçá amarelo. Na avaliação sensorial com crianças (consumidores usuais deste tipo de produto) entre 5 a 10 anos, obteve-se índice de aceitabilidade superior a 70 % indicando que este produto, balas mastigáveis com polpa de araçá amarelo, tem um bom potencial para consumo.


Keywords


confeito; fruta nativa; Psidium cattleianum Sabine; qualidade

References


ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Análise sensorial de alimentos e bebidas – NBR 12806. Rio de Janeiro, 1993.

FADINI, A. L.; FACCHINI, F.; QUEIROZ, M. B.; ANJOS, V. D. A.; YOTSUYANAGI, K. Influência de diferentes ingredientes na textura de balas moles produzidas com e sem goma gelana. Curitiba: Boletim do Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos, v. 21, n. 1, p. 131-140, 2003.

GULARTE, M. A. Manual de análise sensorial de alimentos. Ed. da Universidade Federal de Pelotas, 2009. 106p.

LORENZI, H. et al. Frutas brasileiras e exóticas cultivadas (de consumo in natura). São Paulo: Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 2006. 640p.

PINHEIRO, M. C. O.; ABRANTES, S. M. P. Avaliação da Exposição aos Corantes Artificiais presentes em balas e chicletes por crianças entre 3 e 9 anos estudantes de escolas particulares da Tijuca/ Rio de Janeiro. Analytica. v 58; p.11. 2011.

PRESSINGER, R.W. Environmental Causes of Learning Disabilities and Chile Neurological Disorders: Review of the Research. 1997. Online. Acessado em 13 de abr. 2017. Disponível em: http://www.chemtox.com/pregnancy/learning_disabilities

STATSOFT, Statistica 7.0 for Windows, Computer Program Manual. Tulsa: StatSoft, Inc., 2004.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-420

Refbacks

  • There are currently no refbacks.