Planejamento Urbano e Indicadores Sociais: Desafio dos Estados Brasileiros / Urban Planning and Social Indicators: Challenge of Brazilian States

Educélio Gaspar Lisbôa, Érico Gaspar Lisbôa

Abstract


O presente artigo buscou estudar o comportamento dos indicadores sociais em seis estados brasileiros: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Pará, como forma mostrar as eficácias e mazelas dos governos com a questão do planejamento urbano. Para tanto recorreu-se a uma análise quantitativa, utilizando o modelo de correlação de Pearson, e constatou-se que os três principais estados do Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais) estão comprometidos com relação aos investimentos públicos para a maioria dos  setores sociais, e estado como o Pará em todos setores apresentou uma correlação péssima, onde todos os indicadores socias estão comprometidos. Por outro lado, o estado do Paraná vai de encontra aos demais estados, apresentando correlações ótimas em todos os indicadores sociais analisados. Logo percebeu-se que uma das principais questões para o planejamento urbano tanto dos estados como das cidades está na gestão pública, quanto aos investimentos públicos dos recursos e na transparência dos mesmos.

 


Keywords


Indicadores Sociais, Planejamento Urbano, Modelo de Correlação, Investimentos Públicos e Gestão Pública.

References


BRASIL. Câmara dos Deputados. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília. 1988. Disponível em: . Acesso em: 29 dezembro 2019.

CARLEY, Michael. Indicadores sociais: teoria e prática. Rio de Janeiro, Zahar, 1985.

ESTATUTO DA CIDADE. Lei 10.267, de 28 de agosto de 2001. Altera dispositivos das Leis nos 4.947, de 6 de abril de 1966 e outras...e dá outras providências. Brasília, 2001.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Suplementos Estatísticos. Brasília, 2020. Disponível em: . Acesso em: 16 janeiro 2020.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Suplementos Estatísticos. Brasília, 2020. Disponível em: . Acesso em: 27 dezembro 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Suplementos Estatísticos. Brasília, 2020. Disponível em: . Acesso em: 27 janeiro 2020.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Suplementos Estatísticos. Brasília, 2020. Disponível em: . Acesso em: 13 janeiro 2020.

JANNUZZI,P.M. Indicadores sociais no Brasil: conceitos, fonte de

dados e aplicações. Campinas: Alínea, 2001.

MARICATO, Ermínia. Brasil, cidades: alternativas para a crise urbana. Petrópolis: Vozes, 2001.

MARTINS, G. A.; DOMINGUES, O. Estatística Geral e Aplicada. 6. Ed. São Paulo: Editora Atlas, 2017.

MILES, I. Social indicators for human development. New York: St. Martin´s Press, 1985.

OMS. Catalogue of health indicators. Genebra, 1996.

SAHR, Cicilian Luiza Löwen; SAHR, Wolf Dietrich Johanes. A imagem turística dos Campos Gerais. In: DITZEL, Carmencita de H. Mello; SAHR, Cicilian L. Löwen (Orgs.). Espaço e Cultura: Ponta Grossa e os Campos Gerais. Ponta Grossa: UEPG, 2001.

SILVEIRA, Rogério Leandro Lima da. Cidade, corporação e periferia urbana. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2003.

SOUSA, Marcelo Lopes de. ABC do desenvolvimento urbano. Rio de janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

SCHULTZ, Duane P.; SCHULTZ, Sydney Ellen. Revista brasileira de geociências. 16. ed. São Paulo: Cultrix, 1992.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-412

Refbacks

  • There are currently no refbacks.