Quadro disbiótico em estudantes de nutrição e sua relação com a ingestão de alimentos prebióticos / Dysbiotic table in nutrition students and their relationship with the ingestion of prebiotic foods

Allane Mariane Santos Silva, Luciana Gonçalves de Orange, Cybelle Rolim de Lima, Maria Izabel Siqueira de Andrade, Aline Cordeiro Ramos, Túlio Albuquerque Jacobine, Ivanildo Ribeiro Domingos Júnior, Maria Clara Ribeiro de Arruda Costa

Abstract


Introdução:O acúmulo de ações de descuido com a função intestinal, afeta o equilíbrio da microbiota, fazendo com que as bactérias nocivas aumentem, este processo é chamado disbiose intestinal, um distúrbio no qual ocorre predomínio das bactérias patogênicas sobre as bactérias benéficas. Visando manter o equilíbrio da microbiota, têm-se os prebióticos, ingredientes alimentares não digeríveis que sofrem fermentação e resultam na produção de ácidos graxos de cadeia curta, os quais são benéficos para a saúde intestinal.O objetivo desse estudo foiinvestigar a ingestão de alimentos prebióticos e a sua relação com o quadro disbiótico em estudantes de nutrição de um Centro Universitário no interior de Pernambuco.Metodologia:Trata-se de um estudo transversal realizado através da aplicação de questionários, com estudantes do curso de nutriçãode uma Universidade Pública, de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 18 anos. Foram coletados dados sociodemográficos, econômicos, de sintomas gastrintestinais e de consumo alimentar.Resultados e Discussão:Os resultados demonstraram que 26% dos estudantes possuíam um quadro disbiótico, sendo que o sintoma mais citado foi o de arrotos e/ou gases intestinais (78%). Analisando o consumo alimentar, observou-se que os participantes com e sem este quadro consumiam alimentos prebióticos.Os estudantes que tiveram os sintomas, em sua maioria, tiveram ocasionalmente e o efeito não foi severo. Foi verificado também que independente de possuir ou não o quadro,  não houve diferença na ingestão alimentar dos estudantes. Conclusão:Não foi identificada uma relação entre a ingestão de alimentos prebióticos com o quadro disbiótico.

 


Keywords


Disbiose, microbiota gastrointestinal, prebiótico.

References


ALBINO, T. A. Prevalência de sintomas de disbiose intestinal em estudantes do curso de nutrição de uma universidade do sul de Santa Catarina. 2018. TCC (Graduação em nutrição) – Universidade do Sul de Santa Catarina, Tubarão, 2018. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2019.

ALMEIDA L. B. et al. Disbiose intestinal. Revista Brasileira de Nutrição Clínica. São Paulo, v. 24, n.1, p. 58-65, 2009.

ARAÚJO, H. I. A disbiose e seu impacto nos tratamentos estéticos associado a

modulaçãoprobiótica – gordura corporal: estudo de caso comparativo.2016. 97f. TCC (Graduação em nutrição) – Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo, Vitória, 2016. Disponível em: . Acesso em: 11 out. 2018.

CONRADO, B. A. et al.Disbiose Intestinal em idosos e aplicabilidade dos probióticos e prebióticos. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, n. 36, p. 71-78, abr. 2018. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2019

FERREIRA, G. S. Disbiose intestinal: Aplicabilidade dos prebióticos e dos probióticos na recuperação e manutenção da microbiota intestinal.2014. 33f. Monografia (Graduação em Farmácia) - Centro Universitário Luterano de Palmas, Palmas, 2014. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2018.

LOPES, C. L. R.; SANTOS, G. M.; COELHO, F. O. A. M. A prevalência de sinais e sintomas de disbiose intestinal em pacientes de uma clínica em Teresina - PI. Revista Eletrônica da FAINOR, Vitória da Conquista, v.10, n.3, p.280-292, set./dez. 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 fev. 2019

MELO, B. R. C.; OLIVEIRA, R. C. B. Prevalência de disbiose intestinal e sua relação com doenças crônicas não transmissíveis em estudantes de uma instituição de ensino superior de Fortaleza-CE. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo, v.12,n. 74, p. 767-775, Nov./Dez. 2018.

MENDES. M. C. O benefício do consumo de prebióticos para a saúde. 2012. 38f. TCC (Graduação em Nutrição) – Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2012.

MONTEIRO, M. R. P. et al. Hábito e consumo alimentar de estudantes do sexo feminino dos cursos de nutrição e de enfermagem de uma universidade pública brasileira. Rev. APS, Juiz de For a-MG, v. 12, n. 3, p. 271-277, jul./set. 2009.

RIBEIRO, A. R. P. A microbiota intestinal nas doenças inflamatórias do intestino e o potencial recurso a probióticos e prebióticos. 2015-2016. 30f. Dissertação (Mestrado integrado em medicina) – Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Lisboa, 2015-2016. Disponível em: https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/26038/1/AnaRPRibeiro.pdf>. Acesso em: 5 nov. 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-411

Refbacks

  • There are currently no refbacks.