Tolerância da Pistia Stratiotes e Eichhornia Crassipes ao lixiviado gerado em aterro sanitário / Tolerance of Pistia Stratiotes and Eichhornia Crassipes to leachate generated in landfill

Elãine Cristina de Souza Kurscheidt, Selma Aparecida Cubas, Miguel Mansur Aisse, Leila Teresinha Maranho

Abstract


 

A eficiência de tratamento do lixiviado, gerado em aterro sanitário, com plantas aquáticas (macrófitas) está relacionada com o limite de tolerância das plantas, em relação ao poluente. O objetivo desse estudo foi avaliar a tolerância das macrófitas aquáticas flutuantes Pistia stratiotes (alface-d’água) e Eichhornia crassipes (aguapé), utilizadas em pós-tratamento do lixiviado. O experimento foi conduzido em casa de vegetação durante 30 dias e, sendo utilizados 15 aquários com avaliação em diluição seriada do lixiviado de 0% a 20%, como substrato. As análises físico-químicas iniciais, medidas como DQO, DBO5, NT e P, podem indicar contaminantes interferentes no desenvolvimento das macrófitas. A E. crassipes apresentou tolerância nas menores concentrações, sendo baixo o índice de sobrevivência no FD=4 (20%). A P. stratiotes apresentou maior sensibilidade no controle (0%), preenchido com água destilada. A produção de biomassa do E. crassipes apresentou os melhores resultados em relação à P. stratiotes, com perda de 90% e 29% de água. Os resultados demonstram que, mesmo nas pequenas concentrações, os poluentes do lixiviado passam a ser fitotóxicos as espécies estudadas, comprometendo seu desenvolvimento.

 

 


Keywords


Macrófitas Aquáticas, Tolerância das macrófitas, Tratamento de lixiviado.

References


APHA – American Public Health Association. Standard methods for the examination of water and wastewater. 21th ed., 2005.

BINI, L. M; THOMAZ, S. M. CAMARGO, A. F. M.; PEZZATO, M. M.; GUSTAVO, G. H. S. Capítulo 3 - Fatores limitantes à produção primária de macrófitas aquáticas. Ecologia e manejo de macrófitas aquáticas. Ed. Maringá. p. 343, 2003.

BERRY, J.; BJÖRKMAN, O. Photosynthetic response and adaptation to temperature in higher plants. Annual Review of Plant Physiology, 31(0): 491-543, 1980.

BRITTO, D.T.; KRONZUCKER, H. J. NH4+ toxicity in higher plants: a critical review. Journal of Plant Physiology 159: 567–584. 2002.

CAMARGO, A. F. M.; PEZZATO, M. M. ; HENRY-SILVA, G. G. Fatores Limitantes à Produção Primária de Macrófitas Aquáticas. Ecologia e Manejo de Macrófitas Aquáticas, Maringá, p. 60 – 84, 2003.

CARR, G. M.; DUTHIE, H. C.; TAYLOR, W. D. Models of aquatic plant productivity: a review of the factors that influence growth. Aquatic Botany, Amsterdam, 59(3): 195-215, 1997.

CUNHA, C.A.G. Análise da eficiência de um sistema combinado de alagados construídos na melhoria da qualidade das águas. 2006. 157 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Engenharia Ambiental). Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18139/tde-04122006-232326/pt-br.php. Acesso em: 22/01/20.

DINARDI, A. L.; FORMAGI, V. M.; CONEGLIAN, C. M. R; BRITO, N. N.; SOBRINHO, G. D.; TONSO, S.; PELEGRINI, R. Fitorremediação. Curso Superior de Educação Tecnológica (CESET). Unicamp/SP. p. 15, 2003. Disponível em: http://www.scribd.com/doc/19050828/Fitorremediacao. Acesso em: 26/01/20.

DOTRO G., FORT R., BARAK J., MONES M., VALE P., JEFFERSON B. Long-term performance of constructed wetlands with chemical dosing for phosphorus removal. In: The Role of Natural and Constructed Wetlands in Nutrient Cycling and Retention on the Landscape. (ed.) V.J., Ed. Springer Science + Business Media B.V.: Dordrecht, Netherlands. pp. 273-292, 2015.

ESTEVES, F. A. Fundamentos de Limnologia. 2 ed. Rio de Janeiro: Interciência. p. 602, 1998.

PHILIPPI, L. S.; SEZERINO. Aplicação de Sistemas tipo Wetlands no tratamento de águas residuárias: utilização de filtros plantados com macrófitas. p. 144, 2004.

GENEVIÈRE, M. C.; DUTHIE, H. C & TAYLOR, W. D. Models of aquatic plant productivity: a review of the factors that influence growth. Aquatic Botany, 59(0): 195-215, 1997.

KURSCHEIDT, E. C. S. Avaliação da fitorremediação como alternativa de pós-tratamento de lixiviado de aterro sanitário utilizando macrófitas. 151 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Recursos Hídricos e Meio Ambiente). Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2011.

KURSCHEIDT, E. C. S.; CUBAS, S. A.; AISSE, M. M.; MARANHO, L. T. Avaliação da tolerância de macrófitas aquáticas flutuantes ao lixiviado gerado em aterro sanitário. Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, 27. Goiânia. Anais. 2013.

LARCHER, W. Ecofisiologia Vegetal. Editora Pedagógica Universitária Ltda. São Paulo. p. 319, 2000.

LIMA, S. B. Pós-tratamento de chorume com wetlands construídos utilizando macrófitas aquáticas emergentes da região de Campo Mourão-PR. 2008. 103 f. Tese (Doutorado em Ciências). Universidade Estadual de Maringá. Maringá, 2008.

LOPES-FERREIRA, C. Estudo de uma área alagada do Rio Atibaia visando à elaboração de proposta de manejo para a melhoria da qualidade da água no reservatório de Santo Grande (Americana, SP). Tese de Doutorado. USP, São Paulo. 2000

LORENZI, H. Plantas daninhas do Brasil: terrestres, aquáticas, parasitas e tóxicas. 4.ed. Nova Odessa: Instituto Plantarum, p. 640, 2008.

MAINE, M.A., SUNE, N., HADAD, H., SANCHEZ, G., BONETTO, C. Removal efficiency of a constructed wetland for wastewater treatment according to vegetation dominance. Chemosphere, p. 1105 – 1113, 2007.

MARCONDES, D.A.S.; MUSTAFÁ, A.L. ; TANAKA, R.H. Estudos para manejo integrado de plantas aquáticas no reservatório de Jupiá. Pp 299-317. In: S.M. Thomaz |& L.M. Bini, Ecologia e manejo de macrófitas aquáticas. EDUEM, Maringá. 341p. 2003.

MARQUES, T.C.L.L.S.M.; MOREIRA, M.M.S.; SIQUEIRA, J.O. Crescimento e teor de metais de mudas de espécies arbóreas cultivadas em solo contaminado com metais pesados. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 35, n. 1, p. 121-132, jan. 2000.

MARTINS, A. T; PITELLI, R. A. Efeitos do manejo de Eichhornia crassipes sobre a qualidade da água em condições de mesocosmos. Revista Planta Daninha, Viçosa, 23(2): 233-242, 2005.

MARTINS, A. P. L.; REISSMANN, C. B.; BOEGER, M. R.; FAVARETTO, N.; OLIVEIRA, E. B. Capacidade da Typha dominguensis na fitorremediação de efluentes de tanques de piscicultura na Bacia do Iraí – Paraná. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. 11(3):324 – 330, 2007.

MENENDEZ, M.; PEÑUELAS, J. Seasonal photosynthetic and respiratory responses of Ruppia cirrhosa (PETAGNA) GRANDE to changes in light and temperathure. Archiv fur Hydrobiologie, 129(2), 221-230. 1993.

MENENDEZ, M.; SANCHES, A. Seasonal variations in P-I responses of Chara hispida L. and Potamogeton pectinatus L. from stream Mediterranean ponds. Aquatic Botany. 61, 1-15. 1998.

NEVES, T; FOLONI, L.L; PITELLI, R.A. Controle Químico do Aguapé (Eichhornia crassipes). Revista Planta Daninha, Viçosa-MG, v. 20, p. 89 - 97, 2002.

OLIVEIRA, D. M.; CARA, D. V. C.; XAVIER, P. G.; PAULA, M. S.; SOBRAL, L. G. S.; LIMA, R. B.; LOUREIRO, A. Fitorremediação: O estado da arte. Série Tecnologia Ambiental (STA), Nº 39. Centro de Tecnologia Mineral (CETEM). Rio de Janeiro, p. 50, 2007.

PEDRALLI, G. Aguapé: biologia, manejo e uso sustentado. Estudos de Biologia, PUC-PR, Curitiba, v. 4, n. 40, p. 33-53, 1996.

PIRES, F. R.; SOUZA, C.M.; SILVA, A.A.; PROCÓPIO, S.O. e FERREIRA, L.R. Seleção de Plantas com Potencial para Fitorremediação de Tebuthiuron. Revista Planta Daninha, Viçosa-MG, v. 21, n.3, p. 451 - 458, 2003.

PREUSSLER, K. H. Avaliação da eficiência do tratamento de uma área alagável natural adotada no aterro sanitário de Guaratuba, PR, Brasil para o pós-tratamento do chorume. 138 f. Dissertação (Mestrado em Gestão Ambiental). Universidade Positivo. Curitiba, 2008.

PREUSSLER, K. H. Avaliação de um sistema de wetlands no tratamento de lixiviado de aterro. 119 f. Tese (Doutorado e Engenharia Civil) Universidade Federal do Rio de Janeiro. 2014.

PREUSSLER, K. H.; MAHLER, C. F.; MARANHO, L. T. Performance of a system of natural wetlands in leachate of a posttreatment landfill Avaliação de um sistema de wetlands. Int. J. Environ. Sci. Technol. 12:2623–2638. 2015.

RODRIGUES A. C. D; SANTOS A. M.; SANTOS, F. S.; PEREIRA, A. C. C., B. Sobrinho A., N. M. Mecanismos de Respostas das Plantas à Poluição por Metais Pesados: Possibilidade de Uso de Macrófitas para Remediação de Ambientes Aquáticos Contaminados. Revista Virtual de Química. 8(1):262-276, 2016.

ŠAJNA, N.; HALER, M.; ŠKORNIK, S.; KALIGARIÇ, M. Survival and expansion of Pistia stratiotes L. in a thermal stream in Slovenia. Aquatic Botany 87: 75-79. 2007.

SALES Filho, I. O. Avaliação da Toxicidade e Remoção de Matéria Orgânica de Efluente de Biodigestor de Resíduos Sólidos Orgânicos Tratado em Wetlands. 63 f. Dissertação (Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil e Ambiental). Universidade Federal de Pernambuco, Caruaru - PE, 2014.

SILVA, J. M. Estudo de elementos-traço em macrófitas aquáticas da sub-bacia do Rio Madeira. Trabalho de conclusão de curso da Universidade Federal de Rondônia, 2007. 49 f. Disponível em: http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:Un0ibR3jLuoJ:www.biogeoquimica.unir.br/menus_arquivos/2355_dissertacao_joao_paulo_de_oliveira_gomes_2009.pdf+&cd=7&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br&client=firefox-b. Acesso em: 20/10/16.

SWARBRICK, J. T. Weeds of Australia, Salviniaceae, Primulaceae, Pontederiaceae. Aust. Weeds, v. 1, n. 10, p. 21 - 27, 1981.

TREVISOL, F.; MORI, M. R.; DANTAS DA SILVA, M. J. Sistema de controle e monitoração dos fatores determinísticos para o desenvolvimento de macrófitas aquáticas em aquários. Trabalho de conclusão de curso da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), 2014. 133f. Disponível em: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/3552. Acesso em: 25/01/20.

VALENTIM, M. A. A. Desempenho de leitos cultivados “constructed wetland” para tratamento de esgoto: contribuições para concepção e operação. 210 f. Tese (Doutorado. Em Engenharia Agrícola). Universidade Estadual de Campinas. Campinas/SP, 2003.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-389

Refbacks

  • There are currently no refbacks.