Inserção do acompanhante no processo de parturição de seu familiar / Insertion of the companion in the family's parturition process

Karla Kelma Almeida Rocha, Kátia Karine Almeida Rocha, Fabiana Alves Soares, Thaís Natália Araújo Botentuit, Rita da Graça Carvalhal Frazão Correa, Bruno Luciano Carneiro Alves de Oliveira, Rosângela Fernandes Lucena Batista, Ana Hélia de Lima Sardinha, Kedyma Batista de Almeida Silva, Jardel da Silva Santos

Abstract


Para a participação ativa das parturientes incentivam-se medidas de conforto físico e emocional que aliviem a dor, entre essas medidas encontra-se o direito, garantido por lei, da presença de um acompanhante. Objetivou-se com este estudo relatar a experiência de inserir o acompanhante no processo de parturição do seu familiar. Trata-se de um estudo descritivo do tipo relato de experiência sobre a inserção do acompanhante no processo de parto e nascimento de seu familiar do Centro de Parto Normal do Hospital Universitário do Maranhão. A experiência ocorreu no período de 23 de julho a 23 de agosto de 2019. Dispôs de atividades de Ações de Intervenções: diálogo com abordagens individuais, reuniões, rodas de conversas, exposições dialogadas, dinâmicas de grupos, demonstrações práticas e teóricas sobre assuntos relacionados ao parto. Participaram 30 acompanhantes. Os resultados evidenciaram um acompanhante mais atuante e consciente ao longo do processo de parturição, podemos concluir que quando o acompanhante insere-se de maneira efetiva as boas práticas relacionadas ao parto, nascimento e puerpério são facilitadas e, sobretudo a mulher passa a carregar uma experiência positiva do momento vivenciado.


Keywords


Enfermagem, Enfermagem obstétrica, Parto humanizado.

References


BRASIL. Lei n. 11.108, de 7 de abril de 2005. Altera a Lei n. 8.080, de 19 de setembro de 1990, para garantir às parturientes o direito à presença de acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, no âmbito do Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 05 abr. 2005.

BERBEL,N. A. N. (Org.). Metodologia da problematização: fundamentos e aplicações. Londrina: Editora da UEL/INEP, 2012;204 p.

BRUGGEMANN, O.M, et al. Motivos que levam os serviços de saúde a não permitirem acompanhante de parto: discursos de enfermeiros. Tex.& Contexto Enfermagem.2014; 23 (2): 270-7; acesso em [ 15 de novembro de 2019]. Disponível em: [http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=71431352006].

FRUTUOSO,L.D.; BRUGGEMANN,O.M. Conhecimento sobre a lei 11.108/2005 e a experiência dos acompanhantes junto à mulher no centro obstétrico. Texto Contexto Enferm [online]. 2014; 22(4):909-17; acesso em [ 20 de outubro de 2019] Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010407072013000400006&script=sci_abstract&tlng=pt.

PEREIRA,A.L.F.; MOURA, M.A.V. Pesquisa acadêmica sobre humanização do parto no Brasil: tendências e contribuições. Acta Paul Enferm. 2017; 20(2):205-15.

SANTOS, R.A.A.; MELO, M.C.P.; CRUZ, D.D. Trajetória de humanização do parto no Brasil a partir de uma revisão integrativa de literatura. Caderno de Cultura e Ciência, Ano IX, v.13, n.2, Mar; 2015. Universidade Regional do Cariri – URCA; acesso em [ 15 de novembro de 2019]. Disponível em [http://periodicos.urca.br/ojs/index.php/cadernos/article/view/838].

SANTOS, D.S.; NUNES, I.M. Doulas na assistência ao parto: concepção de profissionais de enfermagem. Esc Anna Nery. 2015;13(3):582-88.

VARGAS, P.B, et al. A assistência humanizada no trabalho de parto: percepção das adolescentes. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online [Internet]. 2014;6(3):1021-1035. Disponível em: < https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=505750623016_2> . Acesso em 16 de novembro de 2019]. Disponível em[http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/viewFile/3143/pdf_135].




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-387

Refbacks

  • There are currently no refbacks.