Percepções sobre educação ambiental entre professores e estudantes da EJA / Perceptions on environmental education between EJA educators

Ione Coelho de Sousa, Silmia Pereira Alves da Silva, Laís Coelho Amorim, José Gusmão Coutinho

Abstract


A dimensão ambiental da educação é um instrumento importante de transformação social. Este artigo tem por objetivo investigar as percepções sobre Educação Ambiental dos professores e estudantes de uma escola da rede pública estadual de Petrolina-PE, bem como de que forma o tema está sendo desenvolvido em sala de aula, considerando o potencial que tem a Educação Ambiental de contribuir para a reorientação teórico-metodológica e formação cidadã. Ao final, conclui-se que a inserção da temática ambiental no planejamento escolar ainda é um desafio importante para a Instituição, porém há forte aliada: a ecopedagogia. Ela dispõe de estratégia pedagógica capaz de transformar o ato pedagógico em um ato político e libertador.


Keywords


Educação Ambiental; Ecopedagogia;Cidadania.

References


BRASIL. Política Nacional de Meio Ambiente. (Lei nº 6.938/81). Brasília, 1981. Disponível em:http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1980-1987/lei-6938-31-agosto-1981-366135-publicacaooriginal-1-pl.htmla. Acesso em: maio de 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. São Paulo, IMESP,1988.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Resolução n. 2, de 15 de junho de 2012. Brasília, DF: MECCNECP, 2012a.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Secretaria de Vigilância em Saúde. Glossário temático: promoção da saúde. Projeto de terminologia de saúde. Brasília – DF, 2012b.

BRASIL.Ministério da Educação. Secretaria de Ensino Fundamenta. Parâmetros Curriculares Nacionais: meio ambiente, saúde. Brasília, DF:MECSEF, 1997.

BRASIL. Política Nacional de Educação Ambiental. (Lei 9.795) Brasília, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação: Coordenação Geral da Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente, Departamento de Educação Ambiental. Vamos Cuidar do Brasil: conceitos e práticas em Educação Ambiental na escola. (coord.) Brasília: UNESCO, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular.Secretaria de Educação Básica.Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: setembro de 2019.

DIAS, G.F. Queimadas e incêndios florestais cenários e desafios: subsídio para a Educação Ambiental. 2. Ed. – Brasília: Ibama, 2009.

FAZENDA, I. C. A. Integração e interdisciplinaridade: efetividade ou ideologia. São Paulo: Loyola, 1979.

FAZENDA, I. C. A. Interdisciplinaridade: qual o sentido? Questões fundamentais de Educação. (org.). São Paulo: Paulus, 2003.

FAZENDA, I. A. Práticas interdisciplinares na escola. 13. ed. rev. e ampl. São Paulo: Cortez, 2013.

FAZENDA, I. A. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: efetividade ou ideologia. 6. ed. São Paulo: Loyola, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GADOTTI, M. Educar para a sustentabilidade: uma contribuição à década da educação para o desenvolvimento sustentável. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2012.

HALAL, C.Y. Ecopedagogia:uma nova educação. Revista de Educação. v.18, n.14, p. 87-103, 2009.

INSTITUTO PAULO FREIRE. A Carta da Terra na perspectiva da educação. São Paulo: Encontro Internacional, 1999.

JACOBI, P.Educação Ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, n. 118, p. 189-205, março2003.

LEFF, E. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. 11 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

PÁDUA, S. M.; TABANEZ, M. F. (org.). Educação Ambiental: caminhos trilhados no Brasil. Brasília, DF: Ipê, 1997.

SANTOS, F.R; SILVA, A. M. A importância da Educação Ambiental para graduados da Universidade Estadual de Goiás: Campos Morrinhos. Interações, Campo Grande, MS,v.18, n.2,p.71-85,abr./jun.2017.

SAVIANE, Demerval. Pedagogia histórico-crítica. 11. Ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

SOLER, R.D.V.S. et al. Pedagogia da sustentabilidade: práticas educativas para a formação do sujeito, Rizoma: experiências interdisciplinares em ciências humanas e sociais aplicadas, v.1, n.1, p.58-68, dez. 2017.

SORRENTINO, M. et al. Educação Ambiental como política pública. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.31, n.2, p. 285-299, mai/ago. 2005. Disponível em: http://www2.cielo.br/pof/ep/v31n2/a10v31n2,pdf. Acesso em: jan de 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-348

Refbacks

  • There are currently no refbacks.