Relação entre trabalhos voluntários e felicidade – estudo de caso em empresas situadas no interior do estado de São Paulo / Relationship between volunteer work and happiness - case study in companies located in the state of São Paulo

Marinez C. Vitoreli, Flávia Fernandes Trevizan, Gessica Mina Kim Jesus, Enzo Barberio Mariano, Elizângela de Jesus Oliveira

Abstract


O objetivo deste trabalho foi analisar se existe relação entre felicidade e voluntariado, buscando identificar se as pessoas “voluntárias” são mais felizes que as não voluntárias. Segundo Lee (2019) o trabalho voluntário pode assumir varias formas, mas em suma ele pode ser definido como um conjunto de atividades realizadas por um indivíduo sem a expectativa de um retorno monetário. Foi conduzido um estudo de caso com colaboradores de duas empresas para avaliar se as pessoas voluntárias eram mais felizes do que as demais. Assim, os dados foram coletados no mês de Junho de 2019 através de um questionário estruturado em duas partes: a primeira contendo informações sobre a identificação do perfil do respondente e a segunda contendo duas perguntas sobre felicidade de Cantril e 29 perguntas do questionário de Oxford. Ao todo foram validados 283 questionários, onde 66 eram de respondentes voluntários e 217 não voluntários. Os resultados apontaram que para a escala de Cantril a felicidade foi maior para o público voluntário, tendo em vista a perspectiva do hoje. Entretanto, para a perspectiva futura, o mesmo não apresentou diferença. O mesmo resultado foi encontrado para o questionário de Oxford. Em todos os levantamentos foram realizados a estatística de teste t, com suporte do software R. A partir dos resultados obtidos podemos concluir que a relação entre trabalho voluntário e felicidade é complexa, e que pode depender de vários fatores internos e externos ao indivíduo. Contudo, na perspectiva do hoje (presente), os respondentes que declararam participar de trabalhos voluntários apresentaram um nível de felicidade maior do que os demais.


Keywords


Felicidade, Trabalho voluntário; Cantril

References


AKNIN, L.; DUNN, E; NORTON, M. Happiness Runs in a Circular Motion: Evidence for a Positive Feedback Loop Between Prosocial Spending and Happiness. Journal of Happiness Studies, v. 13, n. 2, p. 347–355, 2012.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. 2.ed. Editora Universidade de Brasília. 1985.

BONSDORFF, M; RANTANEN, T. Benefits of formal voluntary work among older people. A review. Aging clinical and experimental research, v. 23, p. 162-169, 2011.

BORGONOVI, F. Doing well by doing good. The relationship between formal volunteering and self-reported health and happiness. Social Science & Medicine, v.66, p. 2321 - 2334, 2008.

CANTRIL, H. The pattern of human concerns. New Brunswick, NJ: Rutgers Univ. Press, 1967.

CRESPO, R. F.; MESURADO, B. Happiness economics, eudaimonia and positive psychology: from happiness economics to flourishing economics. Journal of Happiness Studies, v.16, p.931-946, 2015.

DIENER, E.; LUCAS, R.; OISHI, S. Subjective well-being: the science of happiness and life satisfaction. In. C.R. Snyder & S.J.Lopez (Eds). The handbook of positive psychology. New York: Oxford University Press, p.63-73, 2002.

DIENER, E.; INGLEHART, R.; TAY, L. Theory and validity of life satisfaction scales. Social Indicators Research, v. 112, n. 3, p. 497–527, 2012.

DULIN, P. L.; GAVALA, J.; STEPHENS, C.; KOSTICK, M.; MCDONALD, J. Volunteering predicts happiness among older Maori and non-Maori in the New Zealand health, work, and retirement longitudinal study. Aging & Mental Health, v. 16, n. 5, p. 617–624, 2012.

Handy, F.; Cnaan, R. The Role of Social Anxiety in Volunteering. Nonprofit Management and Leadership, v. 18, n. 1, p. 41–58, 2007.

HILLS, P.; ARGYLE, M. The Oxford Happiness Questionnaire: A compact scale for the measurement of psychological well-being. Personality and Individual Differences, v. 33, n. 7, p. 1073–1082, 2002.

KAHNEMAN, D.; DEATON, A. High income improves evaluation of life but not emotional well-being. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of Sciences of the United States of America, v. 107, n.38, p. 16489-16493.

KOENIG, H. G. Altruistic love and physical health. In S. G. Post (Ed.), Altruism & health, p. 422–441, 2007.

LEE, M. Volunteering and happiness: Examining the differential effects of volunteering types according to household income. Journal of Happiness Studies, v. 20, n. 3, p. 795-814, 2019.

LI, Y.; FERRARO, K. F. Volunteering and depression in later life: Social benefit or selection processes? Journal of Health and Social Behavior, v. 46, p. 68–84, 2005.

LIMA, P. A. B.; MARIANO, E. B., Felicidade Hedônica e Eudaimônica proporcionadas por trabalhos voluntários: uma revisão de literatura. XXV SIMPEP, 2018.

LYUBOMIRSKY, S.; LEPPER, H. S. A measure of subjective happiness: Preliminary reliability and construct validation. Social Indicators Research, v. 46, n. 2, p. 137–155, 1999.

MEDVEDEV, O. N., SIEGERT, R. J., MOHAMED, A. D., SHEPHERD, D., LANDHUIS, E. & KRÄGELOH, C. U. The oxford happiness questionnaire: Transformation from an ordinal to an interval measure using rasch analysis. Journal of Happiness Studies, v. 18, n. 5, p. 1425-1443, 2017.

MUSICK, M. A.; WILSON, J. (2003). Volunteering and depression: The role of psychological and social resources in different age groups. Social Science and Medicine, v. 56, n. 2, p. 259-269, 2003.

OLIVEIRA, Elizangela de Jesus et al. Felicidade no Trabalho: uma comparação com os resultados da pesquisa Guia Você S/A. Navus - Revista de Gestão e Tecnologia, [S.l.], v. 10, p. 01-19, mar. 2020. ISSN 2237-4558. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2020. doi:https://doi.org/10.22279/navus.2020.v10.p01-19.1038.

OLIVEIRA, E. J. Felicidade no trabalho: um estudo de caso na empresa Cervantes em Montes

Claros/Minas Gerais. 2013. 117 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Faculdade

Pedro Leopoldo, Pedro Leopoldo, 2013.

OLIVEIRA, E. J. el al. Felicidade no trabalho: o (in)mensurável bem-estar de cada dia.

Disponível em: http://www.anpad.org.br/~anpad/pesquisa_resultado.php. Acesso em: 21

mar. 2018.

OLIVEIRA, E. J. Felicidade no trabalho: uma análise a partir das dimensões do bem-estar.

Tese (Doutorado em Administração) – Universidade Metodista de Piracicaba, Unimep,

Piracicaba, 2019.

PILIAVIN, J. A.; SIEGL, E. Health benefits of volunteering in the Wisconsin Longitudinal Study. Journal of Health and Social Behavior, v. 48, p. 450–464, 2007.

RODRÍGUEZ-POSE, A.; BERLEPSCH, V. Social capital and individual happiness in Europe. Journal of Happiness Studies, v. 15, p. 357–386, 2014.

RYFF, C. Happiness Is Everything, or Is It? Explorations on the Meaning of Psychological Well-Being. Journal of Personality and Social Psychology, v. 57, n. 6, p. 1069–1081, 1989.

SCHIMMEL, J. Development as happiness: The subjective perception of happiness and UNDP's analysis of poverty, wealth and development. Journal of Happiness Studies, v. 10, n. 1, p. 93-111, 2009.

VAN PRAAG, B. M., et al. The anatomy of subjective well-being. Journal of Economic Behavior & Organization, v. 51, n. 1, p. 29-49, 2003.

VECINA, M. L.; CHACÓN, F.; MARZANA, D.; MARTA, E. Volunteer engagement and organizational commitment in nonprofit organizations: What makes volunteers remain within organizations and feel happy? Journal of Community Psychology, v. 41, n. 3, p. 291-302, 2013.

YIN. R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3 ed., Porto Alegre: Bookman, 2005.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-333

Refbacks

  • There are currently no refbacks.