A relevância dos marcadores moleculares para elucidação de homicídios e crimes sexuais / The relevance of molecular markers for homicide elucidation and sexual crimes

Júlia Morales Rodrigues, Bruna Kuhn de Freitas Silva

Abstract


Os anos de 1970 e 1980 foram fundamentais para o desenvolvimento das técnicas moleculares, que permitiram o avanço da genética forense na investigação criminal. As evidencias biológicas encontradas na cena do crime, como sangue, cabelo/ pelo, sêmen e entre outros, podem ter o DNA extraído com técnicas moleculares possibilitando a identificação do suspeito. Logo, esse trabalho tem como objetivo expor a importância das técnicas de genética forense para desvendar homicídios e crimes sexuais. Se portando de uma revisão literária realizada com base em livros e artigos publicados na área do ano de 1994 a 2018. Entre os avanços dessa área esta à análise de polimorfismo de minissatélites, que apenas utiliza de algumas partes do DNA, sendo a região escolhida a que apresentar maior variação individual. Essas regiões são conhecidas por polimorfismos que podem variar de pessoa para pessoa, e no genoma humano possui sequências de nucleotídeos repetitivas dentro dessas regiões polimórficas chamados de marcadores moleculares ou minissatélites, que passará por técnicas de extração, amplicação e quantificação. Após o material genético do individuo que cometeu o crime passar por essas técnicas, será feito a comparação do DNA encontrado com a dos possíveis suspeitos, desta forma será comparada as sequências de repetições presente no genoma dos suspeitos, que varia de cada pessoa, com o material extraído e confeccionado pelos peritos, e o suspeito que tiver as mesmas repetições do material será acusado e ou outros inocentados para o crime. Através da pesquisa feita, é possível concluir que as técnicas de se utilizar marcadores moleculares para elucidar crimes empregados pela pericia criminal é de total relevância jurídica em casos de homicídio e violência sexual em que a presença de material genético.


Keywords


Genética forense, Marcadores genéticos, Cena do crime.

References


AMORIM, A. Genetica forense. Lisboa, 2015. Academia de ciências de Lisboa.

ARAUJO, M. C. O DNA como ferramenta de identificação humana e a sua importância no trabalho da pericia criminal. Maceió/AL, 2018.

DOLINSKY, L. C.; PEREIRA, L. M. C. V. DNA forense. Universidade do Grande Rio, 2007.

HOFSTATTER, P. P. Identificação humana mitocondrial. Brasília/DF,2013.

MATTANA, C. et al. Importancia pericial do DNA e a participação do odontologista. Brazilian Journal of Forensic Sciences, 2012.

AMABIS, J. M.; MARTHO, G. R. Fundamentos da Biologia Moderna. 5a edição. Editora Moderna, 2006.

FILHO, C. R. D.; FRANCEZ, P. A. C. Introdução a Biologia Forense. 2a edição. Editora Millennium, 2018.

BRESCH, C. Genética Clássica e Molecular. 4a edição. Editora Fundação Calouste Hausmann, 1994

ZAHA, A.; FERREIRA, H. B.; PASSAGLIA, L. M. P. Biologia Molecular Básica. 4a edição. Editora Artmed, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-282

Refbacks

  • There are currently no refbacks.