Identificação e avaliação de impactos ambientais na fase de operação do Aterro Sanitário de Campina Grande-PB / Identification and assessment of environmental impacts in the operation phase of the Landfill in Campina Grande-PB

Jéssica Araújo Leite Martildes, Pablo Rodrigues da Costa Florêncio, Andreia Freitas Silva, Raphael Almeida de Lima, Ricardo Antônio Ferreira da Silva, Elisângela Maria da Silva, William de Paiva, Laércio Leal dos Santos

Abstract


O contexto ambiental brasileiro encontra-se em um processo de mudanças e percepções em busca do desenvolvimento sustentável. Um dos principais problemas ambientais é a intensa geração de resíduos sólido e sua disposição final inadequada está presente em muitas localidades, podendo trazer riscos à saúde humana e ao meio ambiente. Uma das alternativas mais indicadas para disposição final destes resíduos é o aterro sanitário. Diante disto, objetivou-se com esse trabalho, identificar e analisar os impactos ambientais na fase de operação do aterro sanitário de Campina Grande-PB. A metodologia consistiu na realização de pesquisas bibliográficas, visitas de campo, fotodocumentação e na utilização de ferramentas de geoprocessamento e de avaliação de impactos ambientais. Elaborou-se um diagnóstico ambiental simplificado da área de estudo. Por meio dos métodos de avaliação de impactos ambientais Check Lists e Matriz de Interação, foram identificados e classificados, de forma qualitativa e quantitativa, os impactos ambientais, destacando-se os impactos significativos. Posteriormente, foram propostas medidas de controle ambiental. Com base nos resultados, verificou-se que as atividades que mais apresentaram impactos ambientais significativos foram: preparação do local para recebimento dos resíduos, disposição e cobertura dos resíduos na célula, manutenção do sistema viário e monitoramento ambiental. Entre as medidas de controle ambiental indicadas, destacaram-se: utilizar EPI’s; efetuar manutenção de equipamentos e máquinas.


Keywords


Resíduos sólidos urbanos; Diagnostico ambiental; Meio ambiente.

References


ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10.004: resíduos sólidos. Rio de Janeiro, 2004.

ABRELPE (2019). Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2018. Disponível em: http://www.abrelpe.org.br/Panorama/panorama2018.pdf. Acesso em: 25 de janeiro de 2020.

BECHELLI, C. B. Utilização de matriz de impactos como ferramenta de análise em estudos de impacto de vizinhança: edifício residencial em Porto Rico – PR. In: XVI Encontro Nacional dos Geógrafos, Porto Alegre. 2010.

BRASIL. Lei nº 12.305 de 2 de gosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Brasília, DF, 2 de agosto de 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br

CPRM, Serviço Geológico do Brasil. Caracterização fisiográfica e hidro climática do estado da Paraíba. AESA, 2002. Disponívelem:http://www.aesa.pb.gov.br/perh/relatorio_final/Capitulo%202/pdf/2.8%20%20CaracGeologica.pdf.Acesso em: 7 out. 2019.

_____. Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, Instituto de Pesquisas Rodoviárias. Manual para Atividades Ambientais Rodoviárias. Rio de Janeiro, 2009.

Francisco, P.R.M., Pereira, F.C., Bandeira, M.M., Medeiros, R.M. de, Silva, M.J. da, Silva, J.V. do N., 2013. Mapeamento pedoclimático da cultura da mamona no estado da Paraíba. Revista de Geografia 30, 132-145

FINUCCI, M. Metodologias utilizadas na avaliação do impacto ambiental para a liberação comercial do plantio de transgênicos. 2010. 230f. Dissertação (Mestrado), Programa de Pós-graduação em Saúde Pública, Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. São Paulo-SP.

FOGLIATTI, M. C.; FILLIPO, S.; GOUDARD, B. Avaliação de Impactos Ambientais: Aplicações aos sistemas de Transporte. Rio de Janeiro: Interciência: 2004, 249 p.

INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR IMPACT ASSESSMENT (IAIA). Princípios da Melhor Prática em Avaliação do Impacto Ambiental. In. XVI CONFERÊNCIA ANUAL DA IAIA (INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR IMPACT ASSESSMENT = ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL PARA A AVALIAÇÃO DE IMPACTOS), 16, 1996, Estoril, Portugal. Anais... realizada em 1996 (IAIA’96) em Estoril, Portugal; 1996.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades. 2017. Disponível em: . Acesso: setembro de 2018.

KÖPPEN, W.; GEIGER, R. Klimate der Erde. Gotha: Verlagcondicionadas. Justus Perthes. 1928. n.p.

RIBEIRO, E. F.; BUSS, M. V.; MENESE, J. C. S. S. Tratamento do chorume de aterro de resíduos Sólidos urbanos utilizando o coagulante a base de tanino, tratamento biológico e ozonização. Revista de Engenharia Civil IMED, v. 2, n. 2, p. 37–42, 2015.

SÁNCHEZ, Luis Enrique. As etapas iniciais do processo de avaliação de impacto ambiental. In: GOLDENSTEIN, S. et al. Avaliação de impacto ambiental. São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente, 1999.

SANTOS, José Eduardo Mendonça. Checklist. Jornal Português de Gastrenterologia, v.

, n. 2, p. 93-94, 2011.

SUDEMA. Superintendência de administração do meio ambiente - Decreto Estadual n.º 21.120 de 2.000. Disponível em:. Acesso em 25 de set. 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-270

Refbacks

  • There are currently no refbacks.