Germinação e produção de flores comestíveis de nastúrcio em cultivo hidropônico / Germination and production of edible flowers of nasturtium in hydroponic cultivation

Janine Farias Menegaes, Tatiana Tasquetto Fiorin, Fernanda Alice Antonello Londero Backes, Henrique Fernando Lidório, Felipe de Lima Franzen, Prisicila Barbieri Zini, Nelto Almeida de Sousa

Abstract


O nastúrcio (Tropaeolum majus L.) é uma planta com múltiplos usos desde ornamental a alimentar, com propagação por sementes. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a germinação de sementes de três cultivares de nastúrcio em diferentes substratos, e a produção de flores comestíveis destas cultivares em cultivo hidropônico. Os experimentos foram realizados no período de maio a novembro de 2017, conduzido em estufa em duas fases. O experimento 1 teve como objetivo avaliar a germinação de três cultivares de nastúrcio (Anã sortida, Híbrida dobrada alta e Jewel mixture) em diferentes substratos, conduzido em delineamento experimental de blocos casualizados, organizado em 3x7 (três cultivares de nastúrcio e sete substratos), com quatro repetições. Em sistema DFT (Deep Film Technique) com introdução da solução nutritiva 15 DAS (dias após a semeadura). O experimento 2 teve como objetivo a produção de flores comestíveis de três cultivares da mesma espécie nastúrcio em cultivo hidropônico, conduzido em delineamento experimental inteiramente casualizado com três cultivares de nastúrcio, com oito repetições. Selecionaram-se plantas, do primeiro experimento, com cinco folhas e transplantadas em sistema hidropônico NFT (Nutrient Film Technique), permanecendo até o final do ciclo produtivo de 98 DAS. Observou-se ótima germinação para as três cultivares de nastúrcio nos substratos Tecnomax HF, Carolina Soile Macplant+CAC, com porcentagens acima de 90%. A produção de flores comestíveis para as três cultivares de nastúrcio em cultivo hidropônico é viável, com produção a partir de 49 DAS de cultivo em NFT, com constância de florescimento semanal.

 

 


Keywords


Capuchinha, substratos, Tropaeolum majus L.

References


ANDRIOLO, J. L. Fisiologia das culturas protegidas. Santa Maria: UFSM, 1999. 142p.

BEZERRA, F. C.; ROSA, M. F.; BRÍGIDO, A. K. L.; NORÕES, E. R. V. Utilização de pó de coco como substrato de enraizamento para estaca de crizântemo. Revista Brasileira de Horticultura Ornamental, v.7, n.2, p.129-134, 2001.

BIANCHINI, F.; PANTANO, A. C. Tudo verde: guia ilustrado das plantas e flores essenciais para casa e jardim. São Paulo: Melhoramentos. 2006. 107p.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n°. 45. Brasília. MAPA. 2013, 38p.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para Análise de Sementes. Brasília: MAPA, 2009. 395p.

CASTELLANI, D. C. Crescimento, anatomia e produção de ácido erúcico em Tropaeolum majus L. Viçosa: UFV. 1997. 108p (Dissertação de mestrado).

CESSA, R. M. A; MOTA, J. H.; MELO, E. P. Produção de capuchinha cultivada em vaso com diferentes doses de fósforo e potássio em casa de vegetação. Global Science and Technology, v.2, p.1-7, 2009.

FERREIRA, D. F. SISVAR: A guide for is bootstrap procedures in multiple comparisons. Ciência e Agrotecnologia, v.38, n.2, p.109-112, 2014.

FERREIRA, R. B. G. Crescimento, desenvolvimento e produção de flores e de frutos da capuchinha ‘Jewel’ em função de populações e arranjos de plantas. Campo Grande: UFMS. 2000. 68p. (Dissertação mestrado).

FRANZEN, F. L; RICHARDS, N. S. P. S.; OLIVEIRA, M. S. R.; BACKES, F. A. A. L.; MENEGEAS, J. F.; ZAGO, A. P. Caracterização e qualidade nutricional de pétalas de flores ornamentais. Acta Iguazu, v.5, n.3, p. 58-70, 2016

FREITAS, T. A. S.; BARROSO, D. G.; SOUZA, L. S.; CARNEIRO, J. G. A.; PAULINO, G; M. Produção de mudas de eucalipto com substratos para sistema de blocos. Revista Árvore, Viçosa, v.34, n.5, p.761-770, 2010.

FURBECK, S. M.; BOURLAND, F. M.; WATSON, C. E. Relationship of seed and germination measurements with resistance to seed weathering cotton. Seed Science and Technology, v.21, n.3, p.505-512, 1993.

GRUSZYNSKI, C. Produção comercial de crisântemo: vaso, corte e jardim. Guaíba: Agropecuária, 2001. 166p.

HABER, L. L.; SANTOS, F. H. C.; MARQUES, M. O. M.; FACANALI, R.; VIEIRIA, M. A. R. Características morfológicas, químicas e uso de plantas aromáticas e condimentares. In: CLEMENTE, F. M. V. T.; HABER, L. L. (Org.) Plantas aromáticas e condimentares: uso aplicado na horticultura. Brasília: EMBRAPA, 2013. p.19-78.

KINUPPV. R.; LORENZI, H. Plantas alimentícias não convencionais (PANC) no Brasil. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2014. 768p.

LOPES, S. J.; BRUM, B.; SANTOS, V. J.; MELO, E. F. R. Q.; SANTOS, O. S.; COUTO, M. R. M. Área foliar e número de flores de nastúrcio sob duas densidades de plantio. Horticultura Brasileira, v.25, p.159-163, 2007.

LORENZI, H. Plantas para o jardim no Brasil. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2013. 1088p.

LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2008. 554p.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, v. 2, n.2 , p.176-177, 1962.

MELO, E. F. R. Q.; COCCO, C.; SANTOS, O. S. SANTOS, O. S. Cultivo hidropônico de nastúrcio. In: Hidroponia. Santa Maria: UFSM, 2009. p.228-249.

MELO, E. F. R. Q.; SANTOS, O. S. Growth and production of nasturtium flowers in three hydroponic solutions. Horticultura Brasileira, v.29, p.584-589, 2011.

MELO, E. F. R. Q.; SANTOS, O. S.; MENEGAES, J. F. Cultivo hidropônico de nastúrcio. In: In: SANTOS, O.S. (Org.). Cultivo hidropônico. Santa Maria: UFSM, 2012. p.180-191.

MENEGAES, J. F.; FILIPETTO, J. E.; MAGRINI, A.; SANTOS, O. S. Produção sustentável de alimentos em cultivo hidropônico. REMOA - Revista Monografias Ambientais Santa Maria, v. 14, n. 3, p. 102−108, 2015. DOI: 105902/2236130818750

MENEGAES, J. F.; ZAGO, A. P.; BELLÉ, R. A.; BACKES, F. A. A. L. Enraizamento de estacas de forrações ornamentais em diferentes concentrações de ácido indolbutírico. Nativa, Sinop, v.5, n.5, p.311-315, 2017. DOI: 10.5935/2318-7670.v05n05a02

NAKAGAWA, J. Testes de vigor baseados na avaliação das plântulas. In: KRZYZANOSWKI, F.C.; VIEIRA, R.D.; FRANÇA NETO. J.B. Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES. 1999. 218p.

TAKANE, R.; YANAGISAWA, S. S.; GÓIS, E. A. Técnicas em substratos para a floricultura. Fortaleza: Expressão gráfica, 2013, 143p.

ZANETTI, G. D.; MANFRON, M. P.; HOERLZEL, S. C. S. M.; MOREL, A.F.; PAGLIARIN, V. P. Toxicidade aguda e atividade antibacteriana dos extratos de Tropaeolum majus L. Acta Farmacêutica Bonaerense, v.22, p.159-162, 2003.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-269

Refbacks

  • There are currently no refbacks.