As práticas avaliativas dos professores de matemática de ensino médio / The evaluative practices of high school mathematics teachers

Albaneide Silva Celestino, Soraia Aparecida Vicente, Maria das Graças Andrade Ataíde de Almeida

Abstract


Há muito tempo, avaliar significava apenas aplicar provas, atribuir uma nota e classificar os discentes em aprovados e reprovados. Todavia, ainda hoje existem professores que acreditam que avaliar consiste apenas nesse processo. Contudo, tal visão vem sendo aos poucos modificada, pois este é um processo contínuo, visando à reflexão para a correção de erros e encaminhamento do discente para aquisição das habilidades previstos. O presente estudo, pensado a partir da análise dos dados de uma pesquisa qualitativa, resultado da investigação realizada, pode-se perceber que a forma avaliativa funciona como um elemento de integração e regulação para o processo de ensino-aprendizagem. A metodologia se voltou para uma análise qualitativa com sujeitos entrevistados e os resultados refletem a concepção atual de que a avaliação é um processo entendido não só como o resultado das provas, mas também os resultados dos trabalhos e/ou pesquisas que os alunos realizam. Existem inúmeras técnicas avaliativas que permitem ao professor avaliar o desempenho dos discentes e fugir da tradicional prova escrita, possibilitando professores e discentes dialogarem buscado encontrar e corrigir possíveis erros, redirecionando o discente para a aprendizagem, motivando para a correção e sugerindo a ele novas formas de estudo para melhor compreensão dos assuntos abordados dentro da classe. Para tanto, trabalhamos a partir de uma discusão entre os teóricos que defendem a avaliação formativa, procurando entender o nível de discussão acerca dessa temática, e assim, contrubuir com sugestões sobre os diversos instrumentos de avaliação que a área de Educação Matemática tem experimentado e publicado.


Keywords


práticas avaliativas em matemática, avaliação formativa, instrumentos de avaliação e ensino de matemática.

References


ABRANTES, P. (1995) Avaliação e Educação Matemática. MEM/USU-GEPEM. Rio de Janeiro. (Série Reflexões em Educação Matemática).

ALLAL, L. (1986) Estratégias de avaliação formativa: concepções psicopedagógicas e modalidades de aplicação: In: Avaliação num ensino diferenciado – Atas do colóquio realizado na Univ. de Genebra, março 1978. Coimbra: Livraria Almedina, p. 175-209.

CELESTINO, A. S. (2012). A Funcionalidade da Avaliação em Matemática no Ensino Médio. Lisboa, 159 p. Dissertação (Mestrado em Ciências da Educação) - Programa de Pós-Graduação em Ciências da Educação, ULHT.

FREITAS, L. C. (et.al.) (2009). Avaliação Educacional: caminhando pela contra mão. Petrópolia, RJ. Vozes.

HADJI, C. (1994) A avaliação, regras do jogo: das intenções aos instrumentos. Porto: Porto editora.

HADJI, C. (2001). Avaliação desmistificada. Porto Alegre: Artmed.

HOFFMANN, J. L. M. (1995). Avaliação: mito e desafio: uma perspectiva construtivista. 29. ed. Porto Alegre: Mediação.

INEP, Instituto Nacional de Estatísticas e Pesquisa. (2012). Projeto básico 2012, Disponível em http://ebookbrowse.com/projeto-basico-aplicacao-pisa-2012-pdf-d289713578. Acesso em 25 de março de 2012.

LAVILLE, C., & DIONNE, J. (1999) A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Ed. Artes Médica; Belo Horizonte: Ed. UFMG.

LUDKE, M., & ANDRÉ, M. E. D. A. (1986) Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU.

MACIEL, D. M. (2003). A avaliação no processo ensino-aprendizagem de matemática, no ensino médio: uma abordagem sócio-cognitivista. (Dissertação de mestrado). Campinas: Faculdade Estadual de Campinas.

ORLANDI, E. P. (2005). Análise do Discurso. Princípios e Procedimentos. Campinas, SP: Pontes.

PERRENOUD, P. (1999) Avaliação: da excelência a regulação das aprendizagens: entre duas lógicas. Porto Alegre: Artme




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-212

Refbacks

  • There are currently no refbacks.