Antioxidantes Inorgânicos em Frutos Amazônicos / Inorganic Antioxidants in Amazonian Fruits

Carlos Victor Lamarão, Maria Letícia de Sousa Gomes, Gabriel Alexandre Silva Martins, Charline Soares dos Santos Rolim, Klenicy Kazumy de Lima Yamaguchi, Eyde Cristianne Saraiva Bonatto, Cláudia Cândida Silva, Valdir Florêncio da Veiga Júnior

Abstract


A região amazônica apresenta várias espécies frutíferas com potencial agronômico, tecnológico, nutricional e econômico. Existem poucas informações sobre a composição inorgânica de muitas destas matérias-primas. Este trabalho objetivou avaliar a concentração de elementos inorgânicos presentes em resíduos e/ou subpartes de dezoito espécies frutíferas nativas da região amazônica brasileira a partir do uso da técnica de “ED-X-ray fluorescence”. Os elementos minerais K, P, Si e Na apresentaram as maiores concentrações nas diversas frutíferas e suas subpartes estudadas exibiram, em menor concentração, os elementos Mg, Ca, S, Cl, Fe, Rb, Ba, Ti, Co, Al, Sr, Br e Ag. Tais resultados quantitativos encontrados aqui foram obtidos pela primeira vez, em se tratando de resíduos e/ou subpartes de frutíferas amazônicas.

 

 


Keywords


Amazônia; resíduos; minerais; EDXRF

References


AGUIAR, T.M.; RODRIGUES, F.S.; SANTOS, E.R.; SABAA-SRUR, A.U.O. Caracterização química e avaliação do valor nutritivo de sementes de acerola. J. Brazilian Soc. Food Nutr, v. 35, p. 91-102, 2010.

ALVES, A. N. L.; ROSA, H. V. D. Exposição ocupacional ao cobalto: aspectos toxicológicos. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, v. 39, n. 2, abr./jun., 2003.

BARRUETO-GONZALEZ, N. B. Biodisponibilidade de minerais das fontes leguminosas. Rev. Simbio-Logias, v.1, n.1, p. 174-183, 2008.

BENZIE, I. F. F. Evolution of dietary antioxidants. Comparative Biochemistry and Physiology a – Molecular & Integrative Physiology, 136, 113–126, 2003.

CADENAS, E.; PACKER, L. Handbook of antioxidants. New York: Marcel Dekker, 2002.

COZZOLINO, S. M. F. Biodisponibilidade de minerais. R. Nutr. Campinas, v. 10, n. 2, p. 87-98, jul./dez., 1997.

DANTAS, C.; MONTEIRO, M. Fruticultura: sim nós temos banana, limão, caju, manga, abacaxi, laranja, açaí, mamão...economia & desenvolvimento para os novos tempos, Rio de Janeiro: ABDE. Ano 31, n. 232, p. 26-31, mar./abr, 2007.

EVANGELISTA, K. C. M. S. Efeito da suplementação com minerais antioxidantes em pacientes com aterosclerose tratados com estatinas. Tese, São Paulo, 2010.

FRAZÃO, D. A. C.; HOMMA, A. K. O. Fruticultura: uma alternativa sustentável para o agronegócio na Amazônia. In: FRAZÃO, D. A. C.; HOMMA, A. K. O.; VIEGAS, I. J. M. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 2006.

GORAIEB, K. Uso de Quimiometria aliada a Espectroscopia de Raios-X para caracterização de Al em aluminossilicatos e em sílicas modificadas com Al2O3. Tese, Instituto de Química, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

GORINSTEIN, S.; POOVARODOM, S.; LEONTOWICZ, H.; LEONTOWICZ, M.; NAMIESNIK, J.; VEARASILP, S.; HARUENKIT, R.; RUAMSUKE, P.; KATRICH, E.; TASHMA, Z. Antioxidant properties and bioactive constituents of some rare exotic Thai fruits and comparison with conventional fruits. In vitro and in vivo studies. Food Research International, 2011.

HARDISSON, A. et al. Mineral composition of the banana (Musa acuminata) from the island of Tenerife. Food Chemistry, v. 73, n.2, p. 153-161, 2001.

HASSIMOTTO, N. M. A.; GENOVESE, M. I.; LAJOLO, F. M. Antioxidant activity of dietary fruits, vegetables, and commercial frozen fruit pulps. Journal of Agricultural and Food Chemistry, v. 53, n.8, p. 2928–2935, 2005.

KUSKOSKI, E. M.; ASUERO, A. G.; TRONCOSO, A. M.; MANCINI-FILHO, J.; FETT, R. Aplicación de diversos métodos químicos para determinar actividad antioxidante en pulpa de frutos. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 25, n.4, p. 726–732, 2005.

KUSS, F. Agentes oxidantes e antioxidantes. 2005. Seminário. Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

LIMA, H. N. Gênese, química, mineralogia e micromorfologia de solos da Amazônia Ocidental. 2001. 176 p. Tese, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa (MG), 2001.

LIMA, H. N.; SCHAEFER, C.E.R.; MELLO, J.W.V.; GILKES, R.J; KER, J.C. Pedogenesis and pre-Colombian land use of "Terra Preta Anthrosols"("Indian black erth") of Wertern Amazonia. Geoderma, v 110, n. 1-2, p. 1-17, 2002.

MENEZES, E.M.S.; TORRES, A.T.; SRUR, A.U.S. Nutritional value of açaí pulp (Euterpe oleracea Mart.) liophylized. Acta Amazonica. v.38, n.2, p. 211-316 (in Portuguese, with Abstract in English), 2008.

MERLINO, L. C. S. Bário, cádmio, cromo e chumbo em plantas de milho e em latossolo que recebeu lodo de esgoto por onze anos consecutivos. Dissertação, Jaboticabal, São Paulo, 2010.

MILTON, K. Micronutrient intakes of wild primates: are humans different? Comparative biochemistry and Physiology, v. 136A, n. 1, p. 47-59, 2003.

MONTEIRO, J. C. M. Oligoalimentos na nutrição humana. Dissertação, Monte de Caparica, Portugal, 2017.

MÖRSCHBÄCHER, V. D. Bário em soluções de nutrição parenteral e medicamentos: origem, níveis de contaminação e avaliação da distribuição no organismo em modelo animal. Tese, Santa Maria, Rio Grande do Sul, 2012.

NASCENTE, A.S.; ROSA NETO, C. O agronegócio da fruticultura na Amazônia: um estudo exploratório. Porto Velho: EMBRAPA-RO, 2005.

NASCIMENTO FILHO, V.F. Técnicas analíticas nucleares de fluorescência de raios X por dispersão de energia (EDXRF) e por reflexão total (TXRF). Piracicaba: Depto. de Ciências Exatas; CENA, Laboratório de Instrumentação Nuclear, 1999. 32p.

OLIVARES, M. et al. Iron, Zinc, and Copper: Contents in Common Chilean Foods and Daily Intakes in Santiago, Chile. Nutrition, v. 20, n. 2, p. 205-212, 2004.

OLIVEIRA, A. L. de; ALMEIDA, E. de; SILVA, F. B. R. da; NASCIMENTO FILHO, V. F. Elemental contents in exotic brazilian tropical fruits evaluated by energy dispersive x-ray fluorescence. Sci. Agri. V63, p. 82-84, 2006.

OLIVEIRA, M. E. B. de; GUERRA, N. B.; MAIA, A. de H. N.; ALVES, R. E.; MATOS, N. M. dos S.; SAMPAIO, F. G. M.; LOPES, M. M. T. 2010. Características químicas e físico-químicas de pequis da Chapada do Araripe, Ceará. Rev. Bras. Frutic. v. 32, p. 114-125, 2010.

ORIGINLAB. Origin and OriginPro, 1991. Disponível em:

om/index.aspx?go=Products/Origin>. Acesso em: 22 Jan 2020.

PEREIRA, J. C. Nutrição e alimentação. Sais minerais (macro e microelementos). Boletim do Criadouro Campo das Caviúnas. n. 18, Cruzeiro, São Paulo, 2005. Disponível em: Acesso em: 20 jan. 2015.

PIEREZAN, B. et al. Análise do perfil oxidativo de diferentes amostras biológicas de pacientes com lesão de ligamento cruzado anterior. Fisioter. Pesqui. v. 24, n.2, p. 198-204, 2017.

RICE-EVANS, C. A.; MILLER, N. J.; PAGANGA, G. Structure–antioxidant activity relationships of flavonoids and phenolic acids. Free Radical Biology and Medicine, v. 20, n. 7, p. 933–956, 1996.

ROBARDS, K.; ANTOLOVICH, M. Analytical chemistry of fruit bioflavonoids – A review. Analyst, v. 122 (R11–R34), 1997.

ROESLER, R.; MALTA, L. G.; CARRASCO, L. C.; PASTORE, G. Evaluation of the antioxidant properties of the brazilian cerrado fruit Annona crassiflora (araticum). Journal of Food Science, v. 71, n.2, C102–C107, 2006.

ROGEZ, H. Açai: preparation, composition and conservation improvement. EDUFPA, Pará, Belém, 313 pp (in Portuguese), 2000.

SANTOS, F. C. Silício orgânico: muito além da estética. O papel do silício em nosso organismo, desde o estímulo de colágeno até o fortalecimento de ossos e fios capilares. Revista Biotec Dermocosméticos, ano 01, n. 3, 2009.

SCHLEIER, R., GALITESI, C. R. L., FERREIRA, E. C. M. Silício e cálcio – uma abordagem antroposófica. Arte Médica Ampliada. v. 34, n. 3, 2014.

SCHOLZE, A. F. A. A importância do mineral silício na estética. Revista Brasileira de Nutrição Funcional, ano 15, n. 62, 2015.

SILVA, E. M.; SOUZA, J. N. S.; ROGEZ, H.; REES, J. F.; LARONDELLE, Y. Antioxidant activities and polyphenolic contents of fifteen selected plant species from the Amazonian region. Food Chemistry, v. 101, n. 3, p. 1012–1018, 2007.

SILVA, F. W. R; LIMA, H. N; TEIXEIRA, W. G; MOTTA, M. B; SANTANA, M. S. Caracterização química e mineralogia de solos antrópicos (terras pretas de índio) na Amazônia central. Rev. Bras. Ciênc. Solo v. 35, n.3, Viçosa Mai/Jun. 2011.

SILVA, S. M. C. S., MURA, J. D. P. Tratado de alimentação, nutrição e dietoterapia. 2 ed. São Paulo: Roca, 2010.

SMOLIN, L. A.; GROSVENOR, M. B. Nutrition: science and applications with bloklet package. Orlando: John Wiley & Sons Inc, 2007. 864 p.

UNITED STATES DEPARTMENT OF AGRICULTURE. National Nutrient Database for Standard. Release 16, jul. 2003. Disponível em:

ov/fnic/cgibin/nut_search.pl?acerola>. Acesso em: 20 jan. 2020.

YUYAMA, L. K. O.; AGUIAR, J. P. L.; MACÊDO, S. H. M.; GIOIA, T.; YUYAMA, K.; FÁVARO, D. I. T.; AFONSO, C.; VASCONCELLOS, M. B. A.; COZZOLINO, S. M. F. Determinação dos teores de elementos minerais em alimentos convencionais e não convencionais da região amazônica pela técnica de análise por ativação com nêutrons instrumental. Acta Amazonica. v. 27, p. 183-196, 1997.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-184

Refbacks

  • There are currently no refbacks.