"LIBERA GERAL... ENTÃO LIBERA": os equipamentos de publicidade no Centro Tombado de Laguna na Contemporaneidade / "LIBERA GENERAL ... THEN LIBERA": advertising equipment at the Centro Tombado de Laguna in Contemporaneity

Danielle Benício, Gloria Fort, Lia Moraes, Eduardo Venske

Abstract


Este trabalho vincula-se à ação de iniciação científica em realização no Laboratório Artemis do Curso de Arquitetura e Urbanismo sediado em Laguna/SC. Constitui como objeto de estudo a preservação da paisagem cultural a partir da elaboração das normas de instalação de equipamentos de publicidade no Centro Tombado de Laguna na Contemporaneidade. Essas normas foram estabelecidas pelo Escritório Técnico do Iphan, sediado no município desde a década de 1990. A área central da cidade, que coincide com o centro comercial e o berço citadino, fortemente historicizado, recebeu tombamento federal em 1985. Tais normas de instalação abrangem os ditos equipamentos de publicidade: placas e letreiros; toldos; e entre outros equipamentos, os aparelhos de ar condicionado. Logo, elas impõem as proibições e as permissões quanto à disposição dos equipamentos de publicidade nas fachadas existentes na poligonal tombada, bem como fixam seus respectivos locais de inserção, posicionamentos, dimensões, materialidades, conteúdos, entre outras características. Diante disso, este trabalho objetiva investigar a preservação da paisagem cultural a partir da elaboração dessas normas de instalação de equipamentos de publicidade no Centro Tombado de Laguna na Contemporaneidade. Por conseguinte, apresenta os seguintes objetivos específicos considerando o citado objeto de estudo: analisar as referidas normas de instalação de equipamentos de publicidade; observar as frontarias edificadas voltadas aos logradouros públicos; examinar a obediência, ou não, às normas; identificar as consequências resultantes da falta de aplicação das mesmas; e ponderar a efetiva conservação da integridade das faces no decorrer dos tempos. Para consecução dessas metas, adotam-se os seguintes procedimentos metodológicos: a revisão bibliográfica e iconográfica sobre o berço citadino; o exame da legislação urbana e preservacionista incidente no Centro Tombado; o levantamento de dados in loco na área central; e, por fim, a análise dos dados, com o cotejamento dos resultados obtidos em cada etapa de pesquisa e a reflexão crítica acerca das conclusões apontadas. De modo preliminar, constata-se o descumprimento das normas de instalação de equipamentos de publicidade no Centro Tombado de Laguna na Contemporaneidade; inclusive, a intensificação explícita de casos de: pinturas de paredes e ornamentos com cores berrantes, não raro contrastantes entre si; substituição de esquadrias originais de madeira e vidro por vitrines com vidro temperado e plotagens tapando todo o vão; colocação de toldos diversificados, com cores distintas das frentes parietais; placas e letreiros cada vez maiores; painéis com luminosos eletrônicos e informações em movimento; e iluminações com luzes piscantes. Parece derivar disso, parafraseando a famosa música de outrora, o "libera geral": a despeito das normas, assenta-se a confusão na apreensão da paisagem cultural como ente de integridade e autenticidade, articulado à identidade local; ou seja, testifica-se a crescente poluição visual na área-estudo.


Keywords


Preservação; Paisagem Cultural; Poluição Visual; Centro Tombado; Laguna/SC.

References


ARGAN, Giulio. História da arte como história da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

ARGAN, Giulio; FAGIOLO, Maurizio. Guia de história da arte. 2. ed. Lisboa: Estampa, 1994.

BENÍCIO, Danielle. Laguna, arquitetura novecentista e preservação do patrimônio: entre a conservação e a invenção. 2018. Tese (Doutorado em Artes Visuais) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2018.

BENÍCIO, Danielle et al. Acervo de processos do Escritório Técnico do Iphan em Laguna: aprovação rumo à proteção? In: FÓRUM MESTRES E CONSELHEIROS: TURISMO, PATRIMÔNIO E DESENVOLVIMENTO LOCAL, 4., 2012, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: UFMG, 2012.

BENÍCIO, Danielle et al. Estudo das ações do Escritório Técnico do Iphan em Laguna/SC incidentes na área abrangida pela poligonal de tombamento desde 1985 a 2010. In: ARQUIMEMÓRIA, 4., 2013, Salvador. Anais... Salvador: IAB-BA, 2013.

BRANDI, Cesare. Teoria da restauração. Cotia: Ateliê, 2004.

BRASIL. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Superintendência Regional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Santa Catarina (11ª SR/Iphan-SC). Centro Histórico de Laguna. [S. l.: s. n., s. d.].

BRASIL. Ministério da Cultura. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Cartas patrimoniais. Brasília: Iphan, 1995. (Cadernos de Documentos 3).

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Secretária da Cultura. Subsecretaria do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Processo 1122-T-84: Conjunto Centro Histórico de Laguna - Santa Catarina. Rio de Janeiro: 1984. Disponível em: http://acervodigital.iphan.gov.br/xmlui/handle/123456789/4800?discover?rpp=10&etal=0&query=laguna#page/1/mode/1up. Acesso em: 06 jul. 2016.

CASTRIOTA, Leonardo. Patrimônio cultural: conceitos, políticas, instrumentos. São Paulo: Annablume; Belo Horizonte: IEDS, 2009.

CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Estação Liberdade/UNESP, 2001.

FONSECA, Maria Cecília. O patrimônio em processo: trajetória da política federal de preservação no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ/Iphan, 1997.

HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

HUYSSEN, Andreas. Seduzidos pela memória: arquitetura, monumentos, mídia. 2. ed. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2004.

JEUDY, Henri-Pierre. O espelho das cidades. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2005.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto, PUC-RJ, 2006.

KOSELLECK, Reinhart. Estratos do tempo: estudos sobre História. Rio de Janeiro: Contraponto, PUC-Rio, 2014.

KÜHL, Beatriz. O tratamento das superfícies arquitetônicas como problema teórico da restauração. Anais do Museu Paulista, São Paulo, v. 12, p. 309-330, jan./dez. 2004. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/5411/6941. Acesso em: 06 jul. 2016.

KÜHL, Beatriz. História e ética na conservação e na restauração de monumentos históricos. Revista CPC, São Paulo, v. 1. n. 1, p. 16-40, nov. 2005-abr. 2006. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/cpc/article/view/15579/17153. Acesso em: 06 jul. 2016.

KÜHL, Beatriz. Restauração hoje: método, projeto e criatividade. Desígnio, São Paulo, n. 6, p. 19-34, set. 2006.

KÜHL, Beatriz. O problema da reprodução de obras arquitetônicas. Revista CPC, São Paulo, n. 7, p. 127-136, nov. 2008-abr. 2009.

KÜHL, Beatriz. Projetos de intervenção em bens arquitetônicos de interesse cultural: por um diálogo construtivo entre o novo e a preexistência. In: ENANPARQ, 2., 2012, Natal. Anais... Natal: UFRN, 2012.

KÜHL, Beatriz. O reconhecimento dos bens culturais: método, inventários e repercussões normativas. Revista CPC, São Paulo, n. 21, p. 6-13, 1. sem. 2016.

KÜHL, Beatriz. Questões contemporâneas de restauro: a viabilidade da restauração. In: SALCEDO, Rosío; BENINCASA, Vladimir (Orgs.). Questões contemporâneas: patrimônio arquitetônico e urbano. Bauru: Canal 6, 2017a. p. 89-107.

KÜHL, Beatriz. Intervenções arquitetônicas: impactos urbanos. In: CYMBALISTA, Renato; FELDMAN, Sarah; KÜHL, Beatriz (Orgs.). Patrimônio cultural: memória e intervenções urbanas. São Paulo: Annablume, 2017b. p. 215-224.

KÜHL, Beatriz. O papel do patrimônio arquitetônico no projeto da cidade contemporânea. In: RETTO JÚNIOR, Adalberto; KÜHL, Beatriz. O papel do patrimônio arquitetônico no projeto da cidade contemporânea. Tupã: ANAP, 2019. p. 35-73.

LAGUNA. Prefeitura Municipal de Laguna. Lei ordinária n. 34, de 03 de novembro de 1977: dispõe sobre a proteção do patrimônio público histórico, artístico e natural do município. Laguna: 1977. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a1/sc/l/laguna/lei-ordinaria/1977/3/34/lei-ordinaria-n-34-1977-dispoe-sobre-a-protecao-do-patrimonio-publico-historico-artistico-e-natural-do-municipio. Acesso em: 06 jul. 2016.

LAGUNA. Prefeitura Municipal de Laguna. Plano de restauração e utilização social e econômica do patrimônio cultural, histórico, artístico, paisagístico e arquitetônico da Laguna. Laguna: PML, 1978.

LAGUNA. Prefeitura Municipal de Laguna. Lei n. 4, de 06 de março de 1979: dispõe sobre o zoneamento de uso do solo e dá outras providências. Laguna: 1979. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a1/sc/l/laguna/lei-ordinaria/1979/0/4/lei-ordinaria-n-4-1979-dispoe-sobre-o-zoneamento-de-uso-do-solo-e-da-outras-providencias. Acesso em: 06 jul. 2016.

LAGUNA. Prefeitura Municipal de Laguna. Lei complementar n. 268, de 11 de dezembro de 2013: institui o Plano Diretor Municipal, estabelece objetivos, diretrizes e instrumentos para as ações de planejamento no município de Laguna e dá outras providências. Laguna: 2013. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/plano-diretor-laguna-sc. Acesso em: 20 nov. 2019.

MARTÍNEZ, Ascención. La clonación arquitectónica. Madrid: Siruela, 2007.

ROSSI, Aldo. A arquitetura da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

SANT’ANNA, Márcia. Da cidade-monumento à cidade-documento: a trajetória da norma de preservação de áreas urbanas no Brasil (1937-1990). 1995. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1995.

SANT’ANNA, Márcia A cidade-atração: patrimônio e valorização de áreas centrais no Brasil dos anos 90. In: SANTOS, Afonso; KESSEL, Carlos; GUIMARAENS, Ceça. (Org.). Seminário Internacional Museus e Cidades. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, 2003.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-164

Refbacks

  • There are currently no refbacks.