A concepção de gestão subjacente Na proposta oficial do plano de ações articuladas – PAR / The underlying management conception In the official proposal of the articulated action plan - PAR

Zenaide Leão Batista, Odete da Cruz Mendes

Abstract


O texto é um recorte de uma pesquisa de Dissertação e teve objetivo analisar a concepção de gestão proposta pela política do Plano de Ações Articuladas - PAR, para as escolas das redes de ensino dos municípios brasileiros. Partiu-se da seguinte inquietação: Quais a concepção de gestão expressa nas Metas XVI, XVIII e XXV das diretrizes do Plano de Metas Compromisso Todos Pela Educação- PMCTE, estabelecida pelo Decreto no 6. 094/2007? As metas referidas assumem a lógica de redução de instrumentos de gestão democrática à elementos instrumentais, trajados da finalidade de atribuir funções e imputar responsabilidade aos sujeitos locais envolvidos com o processo educativo pelos resultados do “fracasso” ou “sucesso” escolar. Não cria condições efetivas para a participação dos mesmos nas decisões sobre ações, metas e objetivos educacionais. A política estudada não tem uma proposta, de fato, democratizante da gestão da educação do município, mas sinaliza predominantemente uma gestão de cunho gerencial. Não obstante, cabe situar que o PAR não é determinado apenas pela causalidade econômica, mas é influenciado por um movimento contraditório, mediado por relações sociais, culturais e históricas que relativizam o tipo de gestão materializada na educação oferecida pelas redes de ensino por meio da implantação e implementação do Plano de ações Articuladas.


Keywords


Descentralização. Participação. Autonomia.

References


ABRUCIO, F.L. A dinâmica federativa da Educação brasileira: diagnóstico e propostas de aperfeiçoamento. In: OLIVEIRA, Romualdo Portela;

SANTANA, Wagner (Orgs.). Educação e federalismo no Brasil: combater as desigualdades, garantir a diversidade. Brasília: Unesco, 2010.

BARROSO, J. O reforço da autonomia nas escolas e a flexibilização da gestão escolar em Portugal. In:

BORDENAVE, Juan E. Diaz. O que é participação. 1a edição. São Paulo: Editora Brasiliense, 1983.

BRASIL. Constituição (1988). Emenda Constitucional no 19, de 04 de junho de 1998. Modifica o regime e dispõe sobre princípios e normas da Administração Pública, servidores e agentes políticos, controle de despesas e finanças públicas e custeio de atividades a cargo do Distrito Federal, e dá

outras providências. Publicada no D.O.U. de 15.6.1998.

______. Decreto-Lei no 6.094, de 24 de abril de 2007. Dispõe sobre implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2015.

CAMINI, Lúcia. A gestão educacional e a relação entre entes federados na política educacional do PDE/Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação. Porto Alegre: 2009. 284 f. Tese (Doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de educação. Programa de Pós-Graduação em Educação.

CASASSUS, Juan. O Preço da Avaliação Padronizada: Perda de Qualidade e Segmentação Social. In: RBPAE – v.23, n.1, p. 71-79, jan./abr.

Disponível em: http://seer.ufrgs.br/rbpae/article/ view/19014/11045. Acesso em: 27 Mai. 2015.

CABRAL NETO, Antônio. Reforma educacional e cidadania. In: CABRAL NETO, Antonio (Org.). Politica Educacional: desafios e tendências.

Porto Alegra: Sulina, 2004.

CONTI, Celso; SILVA, Flávio Caetano da. Conselho escolar: alguns pressupostos teóricos. In: LUIZ,

CURY, Jamil. Educação e Contradição: elementos metodológicos para uma teoria crítica do fenômeno educativo. Cortez editora: São Paulo, 1985.

Maria Cecília. Conselho escolar. Algumas concepções e propostas de ação. São Paulo: Xamã, 2010.

FERREIRA, N. S. C (Org). Gestão democrática da Educação: atuais tendência, novos desafios. 2a Ed. São Paulo: Cortez, 2000.

FONSECA, Marília. O Projeto Político-Pedagógico e o Plano de Desenvolvimento da Escola: duas concepções antagônicas de gestão escolar. In:

Caderno Cedes, Campinas, v. 23, n. 61, p. 302-318, 2003. Disponível em: . Acesso em: 01 nov. 2015.

GONH, Maria da Glória. Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas na escola. In: Ensaio: aval. pol. públ.

Educ., Rio de Janeiro, v.14, n.50, p. 27-38, jan./mar. 2006. Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/%0D/ensaio/v14n50/30405. pdf. Acesso em: 18 set. 2015

HORA, Dinair Leal da. Gestão Educacional Democrática. Campinas, SP: Editora Alínea, 2010.

LIBÂNEO, J.C; OLIVEIRA J.F; TOSCHI, M.S. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2012.

LUIZ; Maria Cecília; SILVA Ana Lúcia da; GOMES, Ronaldo Martins. Indicadores de funcionamento do conselho escolar em alguns municípios paulistas. In: LUIZ, Maria Cecília. Conselho escolar. Algumas concepções e propostas de ação. São Paulo: Xamã, 2010. MARTINS, Clélia. O que é política educacional. São Paulo: Brasiliense, 1993.

MEDEL, Cassia Ravena Mulin de Assis. Projeto Politico-Pedagógico: construção e implementação na escola. Campinas, SP: autores associados, 2008.

MENDES, Danielle C. de Brito; GEMAQUE, Rosana M. Oliveira. O Plano de Ações Articuladas (PAR) e sua implementação no contexto federativo brasileiro. In: Roteiro, Joaçaba, v. 36, n. 2, p. 293-308, jul./dez. 2011.

Disponível em: http://editora.unoesc.edu.br/index.php/ roteiro/article/ viewFile/1081/pdf_176 Acesso em: 09 de dez. 2013. PARO, Victor Henrique. Escritos sobre educação. São Paulo: Xamã, 2001.

NETTO, J. .Introdução ao estudo do método de Marx. Editora (Expressão popular). São Paulo, 2011.

______, Vitor Henrique. Administração escolar: introdução crítica. São Paulo: Cortez, 2008.

PERONI, Vera Maria Vidal; ROSSI, Alexandre José. Políticas educacionais em tempos de redefinições no papel do Estado: implicações para a democratização da educação. Porto Alegre: Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRGS, Gráfica e Editora UFPEL, 2011.

SAVIANI, D. PDE - Plano de Desenvolvimento da Educação. Campinas:

Autores Associados, 2007.

_____. Dermeval. PDE - Plano de Desenvolvimento da Educação: Análise Crítica da Política do MEC. Campinas, SP: Autores Associados, 2009. – (coleção polêmicas do nosso tempo, 99).

SOUZA, Donaldo Bello de; FARIA Lia Ciomar Macedo de. Reforma do

Estado, Descentralização e Municipalização do Ensino no Brasil: A Gestão Política dos Sistemas Públicos de Ensino Pós-LDB 9.394/96. In: Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v.12, n.45, p. 925-944, out./dez.

SILVA JUNIOR, João dos Reis. Reforma do estado e da educação no Brasil de FHC. São Paulo: Xamã, 2002.

VEIGA, Ilma Passos Alencrastro. Inovações e Projeto Político Pedagógico: uma relação regulatória ou emancipatória? In: Cad. CEDES [online].

, vol.23, n.61, pp. 267-281. Disponível em Acesso em 15 de janeiro de 2011, 17:20.

VIRIATO, Edaguimar Orquizas Viriato. Descentralização e desconcentração como estratégia para redefinição do espaço público. In: LIMA, et. al.

(Org.) Estado, políticas educacionais e gestão compartilhada. São Paulo, Xamã, 2004.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-118

Refbacks

  • There are currently no refbacks.