Aplicação do algoritmo k-nearest neighbor para classificação de métodos de controle enzimático em frutas / K-nearest neighbor algorithm application for classification of enzymatic control methods in fruits

Elen Vanessa Costa da Silva, Josyane Brasil da Silva, Ana Jessica Mendes Honorato, Sheylle Marina Martins Garcia, Natacia da Silva e Silva, Sabrina Baleixo da Silva, Fabricio de Souza Farias

Abstract


A cor natural de frutas e hortaliças é um dos fatores que determinam sua qualidade. Ao serem cortadas, rapidamente escurecem, interferindo nas características sensoriais e diminuindo sua vida comercial. Essas alterações ocorrem devido as enzimas como a polifenoloxidase e peroxidase. Neste trabalho foi estudada a influência de três métodos de controle de escurecimento enzimático (branqueamento, ácido ascórbico e sulfato de sódio) nas propriedades organoléticas da maçã, banana e abacate conservados em temperatura ambiente, refrigeração e congelamento e utilizado o algoritmo, k-Nearest Neighbor (KNN), para classificar e selecionar o melhor método. As frutas foram descascadas, cortadas e submetidas aos diferentes tratamentos e temperaturas. Após, 4 horas foram realizadas as análises de acidez e pH.  A ferramenta de inteligência artificial utilizando o algoritmo, k-Nearest Neighbor (KNN) mostrou que o tratamento mais satisfatório foi o branqueamento por imersão da maçã para o tempo de 1minutos, mostrando ser uma ferramenta confiável para classificar e selecionar o tratamento mais adequado para o escurecimento enzimático em frutas.


Keywords


enzimas, branqueamento, ácido ascórbico, sulfato de sódio, inteligência artificial.

References


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 13526: Teste de comparação múltipla em análise sensorial de alimentos e bebidas. Rio de Janeiro, 1995. 323p.

ALCANTARA, A.L.D. E SANTOS, G. E VINICIUS. Operações na Indústria de Alimentos: branqueamento e extrusão, 2014, 54f. (Trabalho de Conclusão de Curso) Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

CLERICI, M.T.P.S.; SEBASTIÃO, R. H.; OLIVEIRA, L.C.; SANTOS, M.S.; MORAES, A.N.L.; CLARETO, S.S. Escurecimento Enzimático: uma aula prática. Revista de Ensino de Bioquímica, v.2, n.2, p. 71-90, 2014. https://doi.org/10.16923/reb.v12i2.275

COSTA, A. S. Determinação da atividade enzimática e antioxidante de variedades comerciais de Ananas comosus e avaliação do efeito de tratamento térmico e do uso de aditivos químicos. 2011. 75f. Dissertação.

DAIUTO, E. R.; VIEITES, R. L. Atividade da peroxidase e polifenoloxidase em abacate da variedade Hass. Submetidos ao tratamento térmico. Revista Ibero americana Tecnologia Postcosecha, v.9, n.2, p. 106-112, 2008. https://www.redalyc.org/html/813/81315076003/

FONTES, L.C.B.; SIVI, T.C.; RAMOS, K.K.; QUEIROZ, F.P.C. Efeitos de antioxidantes na prevenção do escurecimento enzimático de batata-doce (Lipamoea Batatas) e inhame (Dioscorea SSP). Ci. Agr. Eng., v.15, n.3, p. 167-174, 2009. http://dx.doi.org/10.5212/publicatio.v15i3.967

FREITAS, A., et al. Atividades das enzimas peroxidase (POD) e polifenoloxidase (PPO) nas uvas das cultivares benitaka e rubi e em seus sucos e geleias. Ciência e tecnologia de alimentos, v.28, n.1, p.172-177, 2008. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-20612008000100025

HAMINIUK, C.W.I.; OLIVEIRA, C.R.G.; BAGGIO, E.C.R.; MASSON, M.L. Efeito de Pré – Tratamento no escurecimento das cultivares de Maçã fugi e gala após o congelamento. Cien. Agrotec. Lavras, v. 29, n. 5, p 1029-1033, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542005000500017

LUÍZ, R. C.; HIRATA, T. A. M.; CLEMENTE, E. Cinética de inativação da polifenoloxidase e peroxidase de abacate (Persea americana Mill). Ciência e Agrotecnologia, v. 31, n. 6, p. 1766-1773, 2007. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542007000600025

MELO, E. A. et al. Capacidade antioxidante de frutas. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, v.44, n.2, p.193-201, 2008. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-93322008000200005

MELO, M. A. Aplicação de Métodos de Inativação e Inibição Enzimática em Frutas e Hortaliças. 2015, 42f. TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) Universidade Estadual da Paraíba.

REIS, C.M.F.; VILAS BOAS, E.V. DE B.; BOARI, C.A.; PÍCCOLI, R.H. Qualidade e vida de prateleira de banana prata minimamente processada. Ciência e Agrotecnologia, v. 28, n. 3, p. 702-708, 2004. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542004000300029

SANTIAGO, A.M. Apostila do curso de Tecnologia de Alimentos. Campina Grande: UEPB, 2008.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-088

Refbacks

  • There are currently no refbacks.