A concepção de linguagem no termo Linguagem Cartográfica / The design of language in the term Cartographic Language

Marcella Gomes Esteves

Abstract


Alguns produtos da cultura são tomados pela área de ensino da geografia como recursos didáticos (como fotografias, charges, e música) e denominados de diferentes linguagens. Nosso objetivo foi o de verificar que concepção de linguagem tem a área de ensino da Geografia quando alude a este termo, especificamente dentro da temática da cartografia (linguagem, alfabetização e letramento cartográfico). Motivados pelo conceito de Discurso Fundador e Comentário de Michel Foucault, escolhemos como objeto empírico o conjunto de artigos produzidos pelos programas de pesquisa e pós-graduação em Geografia do Brasil, disponível em meio eletrônico.O termo mais utilizado nos artigos foi o linguagem cartográfica e boa parte dos autores defendem que ela é a linguagem própria da Geografia por possuir um sistema gráfico próprio - Semiologia Gráfica, capaz de ser compreendido como linguagem universal. Entretanto temos no corpus autores que se colocam de forma oposta, defendendo que a cartografia é essencialmente ideológica, sendo impossível seu caráter imparcial. E existem autores que afirmam que a cartografia é capaz de fazer pensar, porque promove o raciocínio espacial.


Keywords


conceito de linguagem; ensino de geografia

References


FOUCAULT, M. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Tradução de Laura Fraga de Almeida Sampaio. 22. ed. São Paulo: Loyola, 2008. (Leituras filosóficas).

MARCONDES, Danilo. Iniciação à história da filosofia: dos pré-socráticos a Wittgenstein. 2. ed. rev. ampl. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

REALE, Giovanni. História da filosofia: de Freud à atualidade. São Paulo: Paulus, 2006. 7




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-079

Refbacks

  • There are currently no refbacks.