Formulação de microcápsula de proteína de soro de queijo com potencial para hidrólise de lactose / Cheese whey protein microcapsule formulation with lactose hydrolysis potential

Ariane Bachega, Alessandra Bosso, Hélio Hiroshi Suguimoto, Luiz Rodrigo Ito Morioka

Abstract


O soro de queijo, considerado um subproduto dos laticínios, vem sendo utilizado para diversas finalidades por meio de processos biotecnológicos, por exemplo, na produção de whey protein e atualmente tem sido empregado como meio de cultivo a fim de se obter produtos com alto valor agregado, como a enzima β–galactosidase. A β–galactosidase é a enzima responsável pela quebra da lactose, açúcar do leite que causa desconforto a indivíduos intolerantes. O objetivo do trabalho foi a obtenção de uma microcápsula contendo a enzima β–galactosidase e as proteínas do soro de queijo com potencial de hidrolise da lactose. Para o experimento, utilizou-se o delineamento estatístico Box Behnken, com as variáveis independentes enzima % (v/v), proteína do soro de queijo % (p/v) e número de microcápsulas, totalizando 9 formulações e 12 corridas. Para a produção das microcápsulas foi utilizada a mistura base contendo 2% (p/v) de alginato de sódio dissolvido em água destilada. Os demais componentes, enzima % (v/v) e proteína do soro de queijo % (p/v) tiveram suas quantidades variadas entre as formulações de acordo com o delineamento estatístico. As formulações foram gotejadas em uma solução de 0,4% (p/v) de cloreto de cálcio, diluído em agua destilada e agitada em agitador magnético, maturaram nesta solução por 5 minutos.  Após a etapa de maturação as microcápsulas foram lavadas, contadas e distribuídas em 12 Erlenmeyers contendo uma solução de 5% (p/v) de lactose P.A, diluída em tampão fosfato de potássio pH 6,8, seguindo o delineamento. Os frascos foram incubados a 37ºC, a 120 rpm por 4 horas, após este período as amostras foram inativadas e foi realizada a dosagem de lactose pelo método de dosagem de metilamina. Observou-se que a corrida 7 obteve o melhor resultado atingindo 92,8% de hidrólise da lactose com a formulação de 0,5% de enzima, 5% de proteína e 20 microcápsulas

Keywords


Beta-galactosidade. Proteína. Microencapsulação. Alginato de Sódio.

References


ALMEIDA, K. E.; BONASSI, I. A.; ROCA, R. O. Physical and chemical characteristics of fermented dairy beverages using minas cheese whey. Food Science and Technology. v.21(2), p.187–192, 2001.

BON, E P. S.; FERRARA, M. A.; CORVO, M. L. Enzimas em Biotecnologia: Produção, Aplicações e Mercado. Rio de Janeiro: Editora Interciência. 2008.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução normativa nº16 de 23 de agosto de 2005. Regulamento técnico de identidade e qualidade de bebidas lácteas. Brasília, DF, 2005.

DAS, B.; ROY, A.P.; BHATTACHARJEE, S.; CHAKRABORTY, S.; BHATTACHARJEE, C. Lactose hydrolysis by β–galactosidase enzyme: optimization using response surface methodology. Ecotoxicology and Environmental Safety, v. 121, p. 244–252, 2015.

DOHERTY, S.B.; GEE, V.L.; ROSS, R.P.; STANTON, C.; FITZGERALD, G.F.; BRODKORB, A. Development and characterization of whey protein micro-beads as potential matrices for probiotic protection. Food Hydrocolloids v. 25, p. 1604–1617, 2011.

DOMINGUES, L.; GUIMARÃES, P.M.R.; OLIVEIRA, C. Metabolic engineering of Saccharomyces cerevisiae for lactose/whey fermentation. Bioengineered Bugs. v. 1(3), p. 164–171, 2010.

ELNASHAR, M.M.M.; YASSIN, M.A. Lactose hydrolysis by β–galactosidase covalently immobilized to thermally stable biopolymers. Applied Biochemistry and Biotechnology, v. 159, p. 426–437, 2009.

ESCOBAR, G.P.; DE SOUZA, C.F.V.; LEHN, D.N. Avaliação de β-galactosidase livre e imobilizada na hidrólise da lactose do permeado de soro de queijo. Caderno pedagógico, Lajeado, v 11(1), p. 117–129, 2014.

GEBARA, C.; CHAVES, K.S.; RIBEIRO, M.C.E.; SOUZA, F.N.; GROSSO, C.R.F.; GIGANTE, M.L.. Viability of Lactobacillus acidophilus La5 in pectin–whey protein microparticles during exposure to simulated gastrointestinal conditions. Food Research International, v. 51, p. 872–878, 2013.

GONZÁLEZ, F. H. D. Composição bioquímica do leite e hormônios de hormônios da lactação. In: GONZÁLEZ, F. H. D., DÜRR, J. W., FONTANELI, R. S. Uso do leite para monitorar a nutrição e o metabolismo das vacas leiteiras. 1. ed. Porto Alegre: 2001. p. 5–22.

GREWAL, M.K.; CHANDRAPALA, J.; DONKOR, O.; APOSTOLOPOULOS, V.; VASILJEVIC, T. Electrophoretic characterization of protein interactions suggesting limited feasibility of accelerated shelf-life testing of ultra-high temperature milk. J Dairy Sci., v. 100(1), p. 76–88, 2017.

HAIDER, T.; HUSAIN, Q. Hydrolysis of milk/whey lactose by β-galactosidase: A comparative study of stirred batch process and packed bed reactor prepared with calcium alginate entrapped enzyme. Chemical Engineering and Processing, v. 48, p. 576–580, 2009.

HARAGUCHI F.K.; ABREU W.C.; PAULA H. Proteínas do soro do leite: composição, propriedades nutricionais, aplicações no esporte e benefícios para a saúde humana. Revista Brasileira de Nutrição, 19(4), p. 479-488, 2006.

HERNÁNDEZ, L.B.; RECIO, I.; AMIGO, L. β-lactoglobulin as Source of Bioactive Peptides. Journal Amino Acids, v. 35(2), p. 257–265, 2008.

JUERS, D. H., MATTHEWS, B. W., HUBER, R. E. LacZ β-galactosidase: Structure and function of an enzyme of historical and molecular biological importance. Protein Science. v. 21(12), p. 1792–1807, 2012.

KRISSANSEN, G.W. Emerging health properties of whey proteins and their clinical implications. Journal of the American College of Nutrition, v. 26(6), p. 713–723, 2007.

MATTAR, R.; MAZO, D. F. C. Intolerância a lactose: mudança de paradigmas com a biologia molecular. Revista da Associação Medica Brasileira, v. 56(12), p. 250–256, 2010.

PACHECO, M.T.B.; DIAS, N.F.G.; BALDINI V.L.S.; TANIKAWA C.; SGARBIERI V.C. Propriedades funcionais de hidrolisados obtidos a partir de concentrados proteicos de soro de leite. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas, v. 25(2), p. 333–338, 2005.

RENHE, I.R.T. O papel do leite na nutrição. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, nº 363(63), p. 36–43, 2008.

SANTOS, F. F., QUEIROZ, R. C. S., ALMEIDA NETO, J. A. Avaliação da aplicação das técnicas da Produção Mais Limpa em um laticínio no Sul da Bahia. Gestão & Produção, São Carlos, v. 25(1), p. 117–131, 2017.

SANTOS, M.J.; TEIXEIRA, J.A.; RODRIGUES, L.R. Fractionation and recovery of whey proteins by hydrophobic interaction chromatography. Journal of Chromatography B, v. 879(7–8), p. 475–479, 2011.

SENER, N.; APAR, D.K.; OZBEK, B. A modeling study on milk lactose hydrolysis and β– galactosidase stability under sonication, Process Biochemistry, v. 41, p. 1493–1500, 2006.

SGARBIERI, V.C., Revisão: Propriedades estruturais e físico-químicas das proteínas do leite. Brazilian Journal of Food Technology, v. 8(1), p. 43–56, 2005.

WALSTRA, P.; WOUTERS, J. T. M.; GEURTS, T. J. Dairy Science and Technology, 2a ed. Boca Raton: Taylor & Francis Group, 2006.

YADAV, J.S.S.; YAN, S.; PILLI, S.; KUMAR, L.; TYAGI, R.D.; SURAMPALLI, R.Y. Cheese whey: A potential resource to transform into bioprotein, functional/nutritional proteins and bioactive peptides. Biotechnology Advances, v. 33(6), p. 756–774, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-057

Refbacks

  • There are currently no refbacks.