Tumor estromal gastrointestinal do estômago concomitante a presença de hérnia inguinal com insinuação vesical: relato de caso/ Gastrointestinal stromal tumor of the stomach concomiting the presence of inguinal hernia with vesical insinuation: case report

Gessica Kelem Carvalho Pantoja, Katleem de Souza Saraiva, Renor Gonçalves de Castro Neto

Abstract


Os tumores estromais gastrointestinais (GISTs) são neoplasias mesenquimais que atingem as células de cajal e da expressão das proteínas C-kit. Sua incidência é considerada rara, somando menos de 1% de todos os tumores malignos do trato gastrointestinal. Localiza-se preferencialmente na região gástrica e acomete principalmente homens acima de 60 anos. Geralmente são assintomáticos, no entanto, alguns pacientes podem apresentar sangramentos, emagrecimento e dor abdominal. O tratamento de escolha é a remoção cirúrgica na maioria dos casos, devido aos sintomas e para evitar possíveis complicações. Além disso, há indicação de tratamento farmacológico nos casos mais avançados com o propósito de diminuir as chances de recidivas do tumor. O objetivo do trabalho é relatar o caso de um paciente de 68 anos acometido por um tumor estromal gastrointestinal do estômago concomitante a presença de hérnia inguinal com insinuação vesical. A metodologia utilizada foi a análise de prontuário, registro fotográfico dos métodos diagnósticos aos quais o paciente foi submetido, entrevista com o paciente na qual obteve-se informações verbais sobre sua patologia, bem como dados dos resultados de exames e relatórios que se encontravam com ele e revisão da literatura. 

 


Keywords


tumor do estroma gastrointestinal, neoplasias gástricas, hérnia inguinal.

References


BORGES, T.C. et al. Tumores estromais gastrointestinais (GIST): uma revisão de literatura. Rev. Med. saúde Brasília. v.7, n.2, p.227-235, 2018.

BRASIL. Secretaria de atenção à saúde. Protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas em oncologia. Brasília: ministério da saúde. p. 131-142, 2014.

CONTERA, J.D. et al. Hérnia inguinoescrotal por deslizamento com insinuação vesical, cálculo na bexiga e ureter distal. Radial Bras. vol.50 no.4 São Paulo, 2017.

GODIM, A.S.B. Tumor estromal gastrointestinal- GIST, diagnóstico, tratamento e prognóstico: uma revisão de literatura, 2009. Trabalho de conclusão de curso (Residência Médica em Cirurgia Geral) - Faculdade de Medicina- Universidade Federal de Campina Grande.

GOULART, A; MARTINS, S. Hérnia inguinal: anatomia, patofisiologia, diagnóstico e tratamento. Rev. Port. Cir. v.33, p. 25-42, 2015.

GRILLO JÚNIOR, L.P. et al. Hérnia inguinoescrotal encarcerada. Rev. Med. saúde Brasilia. v.5, n.1, p.42-7, 2016.

MORGAN, J. et al. Epidemiology, classification, clinical presentation, prognostic features, and diagnostic work-up of gastrointestinal stromal tumors (GIST). UpToDate, 2018.

NETO PRF, RAMOS LAG, SILVA LC, FERNANDES CKM, LACERDA-FILHO A. Uso neoadjuvante do mesilato de imatinibe no tratamento de GIST retal volumoso: relato de caso. Rev bras Coloproct, 2011;31(1): 89-93.

OLIVEIRA, L.R; PACE, F.H; SOUZA, A.F. Tumores estromais do trato gastrointestinal: revisão de literatura. Rev. HU, Juiz de Fora, v.37, n.2, p.257-255, abril/junho, 2011.

SCAPINI JGS, GUERRER MI, DIAS D, SIMÕES JC. Tumor estromal gastrointestinal metastático. Rev. Med. Res. v.15, n.3, p. 211-219, jul. /set. 2013.

SCHULZ, R.T. Contribuição dos aspectos endoscópicos e ecoendoscópicos para o diagnóstico diferencial das lesões subepiteliais gástricas. 2015. Tese (doutorado) - Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

SILVA, B.M. et al. Tumores gástricos sincrônicos: um relato de caso. Medicina (Ribeirão Preto. Online), v.50, n.6, p.382-389, maio, 2018.

YOKOYAMA, R. M. et al. Tumor estromal gastrointestinal. Rev. Bra de Videocirurgia, Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, p. 65-71, 2007.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n2-164

Refbacks

  • There are currently no refbacks.