Análise do valor energético e do conteúdo de sódio em rótulos de alimentos congelados/ Analysis of energy value and sodium content in frozen food labels

Ana Carolina Ferreira de Souza, Déborah Camila da Silva Amaral, Victória Silva Sardinha Ribeiro, Marina Gomes Salgado, Maria Luiza Ferreira Fortes, Camila de Matos Pereira Moreira, Eric Liberato Gregório, Daniela Almeida do Amaral

Abstract


Os produtos industrializados congelados têm sido muito consumidos pela população brasileira devido à sua praticidade tornando-se importante avaliar o valor nutricional e a quantidade de sódio contida nestes alimentos. O presente trabalho analisou o valor energético e o teor de sódio apresentados na rotulagem nutricional de 344 produtos dentre eles 47 lasanhas, 63 pratos prontos, 44 pizzas, 34 pães de queijo, 18 sanduíches, 54 alimentos empanados e 84 salgados, disponíveis nas gôndolas de grandes redes de supermercados de Belo Horizonte-MG. Os resultados demonstraram que o valor energético médio das porções dos grupos de alimentos analisados variou de 126,8 Kcal para o grupo dos salgados a 402,8 Kcal para o grupo dos sanduíches, o que representa um percentual de valor diário que varia de 6,34% a 20,14%, respectivamente. A análise do teor de sódio demonstrou que o grupo dos salgados e pães de queijo apresentou em média 291mg de sódio por porção seguido do grupo das pizzas e empanados com 468,9mg e 690,3mg. Os grupos das lasanhas, pratos prontos e sanduíches apresentaram valores superiores a 900mg de sódio por porção. A análise do teor de sódio em percentual do valor diário demonstrou que salgados e pães de queijo fornecem mais de 10% do valor diário de sódio em uma porção do produto enquanto pratos prontos, lasanhas e sanduíches ultrapassam 40% do valor diário recomendado. Conclui-se que o consumo de ultraprocessados deve ser desencorajado, visto expõe a população a vários riscos podendo aumentar a ocorrência de doenças crônicas não transmissíveis. A legislação de alimentos processados e ultraprocessados deve ser atualizada devendo os órgãos competentes fiscalizar o cumprimento e a adequação do valor energético e de sódio existente nestes produtos

Keywords


Cloreto de sódio. Hipertensão. Alimentos industrializados. Rotulagem nutricional.

References


ABIA. Associação Brasileira da Indústria de Alimentos. Redução de sódio - Resultados do monitoramento do termo de compromisso nº 035/2011. São Paulo, 2015. Disponível em

ALBUQUERQUE, N. A; MAGRINA, I. C. O. Teores de sódio em rótulos de alimentos comercializados tipo lanches em Maringá-PR. Revista Uningá. Paraná, v. 42, p 59-62, 2014. Disponível em:

AQUINO, R. M. R. F., et al. Análise de rotulagem dos teores de sódio em pratos prontos industrializados: pizzas e lasanha, nos supermercados de Fortaleza-CE. 67ª Reunião Anual da SBPC., Fortaleza – CE. 2015. Disponível em:

ARNHOLDT, A.P., et al. Avaliação da quantidade de sódio das refeições oferecidas em uma unidade de alimentação e nutrição no interior do Rio Grande do Sul. Revista Destaques Acadêmicos. 2012.

BRASIL, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Pesquisa sobre o teor de sódio nos alimentos processados. Ascom, 2013. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Resolução RDC no 259, de 20 de setembro de 2002. Aprova o Regulamento Técnico sobre Rotulagem de Alimentos Embalados. Ministério da Saúde - MS. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa. Disponível em

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Resolução RDC no 360, de 23 de dezembro de 2003. Ministério da Saúde - MS. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa. Disponível em: < http://www.anvisa.gov.br>

BUZZO, M. L. et al. Elevados teores de sódio em alimentos industrializados consumidos pela população brasileira. Rev Inst Adolfo Lutz. São Paulo, 2014; 73(1):32-9. Disponível em:

BUZZO ML et al. Teores de sódio em leites industrializados consumidos no Brasil. Rev Inst Adolfo Lutz. São Paulo, 2015;74(1):12-18. Disponivel: em:

CASSEMIRO, I.A.; COLAUTO, N.B.; LINDE, G.A. Rotulagem nutricional: quem lê e por quê?. Arq. Ciênc. Saúde Unipar, Umuarama, v. 10, n. 1, p. 9-16, jan./abr., 2006. Disponível em:

COSTA, A. M. L. et al., Teor de sódio em biscoitos, enlatados e embutidos. Revista Interdisciplinar. Teresina-PI, 2013. Disponível em:

COSTA, F. P.; MACHADO, S. H. O consumo de sal e alimentos ricos em sódio pode influenciar na pressão arterial das crianças?. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 15, supl. 1, p. 1383-1389, June 2010 . Disponível em: .

DE SOUZA, M. P.S.; MOLZ, P.; PEREIRA, C. S. Análise do consumo de alimentos fonte de sódio e excesso de peso em escolares do município de Rio Pardo, RS. Cinergis, Santa Cruz do Sul, v. 15, n. 1, set. 2014. ISSN 2177-4005. Disponível em: .

DEVEZA, Filipa. Ingestão de sal na hipertensão arterial: quem e quanto deve reduzir?.Rev Port Med Geral Fam, Lisboa , v. 28, n. 3, p. 229-231, maio 2012 . Disponível em . acessos em 16 jul. 2019.

DICKEL, C. et al. Determinação do teor de sódio e lactose em queijos mussarela e colonial consumidos na região sudoeste do paraná. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, [S.l.], v. 71, n. 3, p. 144-152, ago. 2016. ISSN 2238-6416. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2019.

FEDALTO, M. B. et al. Determinação do teor de sal em salgadinhos de milho e possíveis consequências na alimentação infantil. Visão Acadêmica, [S.l.], v. 12, n. 1, jun. 2011. ISSN 1518-8361. Disponível em: .

FERRARI, C. C.; SOARES, L. M. V. Concentrações de sódio em bebidas carbonatadas nacionais. Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas , v. 23, n. 3, p. 414-417, Dec. 2003. Disponível em: .

FORTES, M. M., et al. Determinação do teor de sódio presente em sopas industrializadas para crianças. XXV Congresso Brasileiro de ciência e Tecnologia de Alimentos: Alimentação: a árvore que sustenta a vida. Gramado - RS, 2016. Disponível em:

GARUFE, A. G. O., et al. Avaliação da composição de sódio em “bisnaguinhas industrializadas” por meio da análise do rótulo nutricional. Revista Saúde em Foco, São Paulo, 2017. Disponível em:

LOUZADA, M. L. C. et al. Alimentos ultraprocessados e perfil nutricional da dieta no Brasil. Rev. Saúde Pública, São Paulo, 2015; 49:38. Disponível em:

LONGO, E.M.; NAVARRO, E.T. Manual dietoterápico. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2002.

NAKASATO M. Sal e hipertensão arterial. Rev. bras. hiperten. v.11(2). p.95-97. 2004.

MACMAHON S., PETO, R., CUTLER, J. Blood pressure, stroke and coronary heart disease: effects of prolonged diferences in blood pressure-evidence from nine prospective observational studies corrected for dilution bias. Lancet. V.35. p.765-74. 1995.

MARINHO, B.O., et al. Composição centesimal do teor de sódio e gorduras em pipocas de micro-ondas comercializadas em uma cidade da zona da mata mineira e seus possíveis riscos para a saúde dos consumidores. Revista Científica da Faminas (RCFaminas), Muriaé, v. 12, n.1, jan./abr. 2017, p.27-35. Disponível em:

MARTINS, C. A. Informação alimentar e nutricional de sódio em rótulos de alimentos ultraprocessados prontos e semiprontos para o consumo comercializados no Brasil. Dissertação (Mestrado em Nutrição) – Programa de Pós-Graduação em Nutrição, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012. Disponível em:

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Departamento de Atenção Básica, Secretaria de Atenção à Saúde, Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. 2a Ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

PADOVANI, R. M. et al. Dietary reference intakes: aplicabilidade das tabelas em estudos nutricionais. Rev. Nutr., Campinas, v. 19, n. 6, p. 741-760, Dec. 2006. Disponível em

RODRIGUES, H.F. et al. Avaliação de rotulagem nutricional, composição centesimal e teores de sódio e potássio em batatas-palha. Rev. Inst. Adolfo Lutz. São Paulo, v.69(3):p.423-7. 2010. Disponível em: http://www.ial.sp.gov.br/resources/insituto-adolfo-lutz/publicacoes/rial/10/rial69_3_completa/1310.pdf

SARNO, F. et al. Estimativa de consumo de sódio pela população brasileira, 2002-2003. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v.43, n.2, p.219-225, Apr. 2009. Disponível em: . access on 11 June 2019. Epub Feb 13, 2009.

SARNO, F. et al. Estimativa de consumo de sódio pela população brasileira, 2008-2009. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v.47, n.3, p.571-578, June, 2013. Disponível em: .

SILVESTRE, F. K. et al. Análise do teor de sódio em rótulos de mortadelas comercializadas no Brasil. Rev. Inst. Adolfo Lutz. São Paulo, v.74(3): p.239-46. 2015. Disponível em

SOARES, L.S., et al. Avaliação da rotulagem para o teor de sódio em refrigerantes convencional, light e zero. XXV Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia de Alimentos. Alimentação: a árvore que sustenta a vida - UFRGS. Gramado - RS, 2016. Disponível em:

SOUZA, A. M. et al . Impacto da redução do teor de sódio em alimentos processados no consumo de sódio no Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 32, n. 2, e00064615, 2016 . Available from . access on 16 July 2019. Epub Feb 01, 2016. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00064615.

STRAZZULLO P. et al. Salt intake, stroke, and cardiovascular disease: meta-analysis of prospective studies. BMJ. 2009;339:b4567. Disponível em:

SCHMIDT M.I. et al. Chronic non-communicable diseases in Brazil: burden and current challenges. Lancet. v.377:p.1949-61. 2011.

VOGEL, C. C et al. Desenvolvimento de Salsicha com Teor de Sódio Reduzido. Revista Ciências Exatas e Naturais, Vol.13, n◦ 3, Edição Especial, 2011. Disponível em:

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). A comprehensive global monitoring framework including indicators and a set of voluntary global targets for the prevention and control of non-communicable diseases. http://www.who.int/nmh/events/2012/ discussion_paper2_20120322.pdf (acessado em 20/Abr/2015)




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n2-162

Refbacks

  • There are currently no refbacks.