Aplicativos móveis sobre hipertensão arterial sistêmica: revisão narrativa / Aplicativos móveis sobre hipertensão arterial sistêmica: revisão narrativa

Letícia Kühn da Silveira, Larissa Oliveira de Carvalho, Letícia Francisco Ferreira Rosa, Camila Maria Silva Paraizo, Eliza Maria Rezende Dázio, Silvana Maria Coelho Leite Fava

Abstract


O avanço da tecnologia, associado à alta incidência da Hipertensão Arterial Sistêmica na população mundial influenciaram o desenvolvimento de diversos aplicativos de informação e monitorização para dispositivos móveis relacionados à Hipertensão Arterial. O conhecimento acerca da modalidade e de suas principais funcionalidades é de grande importância para uma melhor atenção a saúde. Nessa perspectiva, esse estudo teve como objetivo conhecer os aplicativos disponíveis no Google Play Store relacionados à Hipertensão Arterial Sistêmica quanto às suas características e às avaliações dos usuários. Trata-se de uma revisão narrativa de literatura. A coleta de dados foi realizada no período de outubro a novembro de 2019 por meio da busca por aplicativos sobre Hipertensão Arterial no Google Play Store, utilizando as palavras “hipertensão” e “hipertensão arterial sistêmica”. Encontrou-se um total de 364 aplicativos, sendo incluídos no estudo 267 distribuídos nas mais diversas categorias, mas com maior concentração: entretenimento; saúde e fitness; e medicina. Constatou-se o desenvolvimento de um grande número de aplicativos relacionados à Hipertensão Arterial Sistêmica, com a função de entretenimento. Pelos comentários e avaliações dos usuários apreende-se que grande parte dos usuários, que os utilizam acreditam que as informações fornecidas por tais aplicativos são verídicas, o que pode colocar em risco a sua saúde. Constatou-se que a crescente inovação tecnológica traz diversos benefícios para a área da saúde, no entanto, é de extrema importância um melhor controle dos benefícios e malefícios dessas tecnologias.


Keywords


Hipertensão, Aplicativos Móveis, Tecnologia

References


ABREU, W. A.; PORTELA, N. L. C. Fatores associados à não adesão ao tratamento medicamentoso da Hipertensão Arterial Sistêmica. Rev. Interd, v. 8, n. 3, p. 50-60, jul./set. 2015. Disponível em: . Acesso em: 16 maio 2019.

CHAMBERLAIN, D.; ELCOCK, M.; PULIGARI, P.; The use of mobile technology in health libraries: a summary of a UK‐based survey. Health Information & Libraries Journal, v. 32, n. 4, p. 265-275, 2015.

Coriolano-Marinus MWL et al. Comunicação nas práticas em saúde: revisão integrativa da literatura, Saúde Soci. 2014; 3(4): 1356-1369.

EDWARDS, E.A et al. 2016. Gamification for health promotion: systematic review of behaviour change techniques in smartphones apps. BMJ Open, n.6, e012447, 2016.

FEOLI, A. M. P.; GOTTLIEB, M. G. Technological interventions in metabolic syndrome: new paths for health professionals. Scientia Medica, v. 26, n. 3, p. 1-4, 2016.

FONSECA, A. R.; ALENCAR, M. S. M. O uso de aplicativo de saúde para dispositivos móveis como fonte de informação e educação em saúde. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 19, 2016, Manaus. Anais... Manaus, 2016. p. 1-10.

FRANCO, A. O.; GOMES, M. G. M. Challenges and opportunities in digital health. Cad. Saúde Pública, v. 33, n. 11, p. 1-3, 2017.

GANONG, L. H. Integrative reviews of nursing research. Res Nurs Health. v.10, n.1, p.1-11, 1987.

Jung EY, Tak JK, Soh J, Kyun DP. Development of U-healthcare monitoring system based on contextaware for knowledge service [Internet]. Multimed Tools Appl. 2015 Apr [cited 2015 Dec 27];74:2467-82. Disponível em: http://link.springer.com/article/10.1007/s11042-014-2037-8.

LORENZETTI, J; et al. Tecnologia, inovação tecnológica e saúde: uma reflexão necessária. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, v.2, n. 21, 2012.

Mann S. Wearable computing [Internet]. In: The Interacion Design Foudation. The encyclopeia of human-computer interaction. 2nd ed. Aarhus, Denmark; 2014 [cited 2015 June 15]. Disponível em: https://www.interaction-design.org/encyclopedia/wearable_computing.html.

MENDEZ, C. B. et al. Aplicativo móvel educativo e de follow up para pacientes com doença arterial periférica. Rev. Latino-Am. Enfermagem. v. 27; n. e 3122, p. 1-11, 2019.

Morettii F, Oliveira V, Silva E. Acesso a informações de saúde na internet: uma questão de saúde pública? Rev Assoc Med Bras [Internet]. 2012 nov./dez. [citado em 2017 jul. 07];58(6):650-8. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ramb/v58n6/v58n6a08.pdf

OLIVEIRA, A. R. F.; ALENCAR, M. S. M. The use of health applications for mobile devices as sources of information and education in healthcare. Rev Digit Bibliotecon Cienc. Inf., Campinas, v.15, n.1, p.234-245, jan./abr. 2017.

OLIVEIRA, R.M. et al. 2016. Development of the tabacoquest app for computerization of data collection on smoking in psychiatric nursing. Rev. Latino-am. Enfermagem, 2016, n.24, v.e2726.

Pandey A, Hasan S, Dubey D, Sarangi S. Smartphone apps as a source of cancer information: changing trends in health information-seeking behavior. J Canc Educ. [Internet] 2013 [citado em 2017 fev. 02];28:138-42. https://doi.org/10.1007/s13187-012-0446-9

RADOVANOVIC, C. A. T. et al. Hipertensão arterial e outros fatores de risco associados às doenças cardiovasculares em adultos. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 22, n. 4, p. 547-553, jul./ago. 2014. Disponível em: < DOI: 10.1590/0104-1169.3345.2450>. Acesso em: 16 maio 2019.

ROCHA F., S. et al. Uso de apps para a promoção dos cuidados à saúde. In: SEMINÁRIO DE TECNOLOGIAS APLICADAS EM EDUCAÇÃO E SAÚDE, 3, 2017, Salvador. Anais... Salvador: Portal de Periódicos da UNEB, 2017. p. 1-10.

ROTHER. et al. Revisão sistemática X revisão narrativa. Acta paul. Enferm. v. 20, n.2. 2007.

Salci MA et al. Educação em saúde e suas perspectivas teóricas: algumas reflexões. Texto Contexto Enferm. 2013 jan/mar; 22(1):224-230.

SANTANA, C. C. A. P.; et al. Aplicativos como estratégia de ensino na doença renal crônica infantil: uma revisão da literatura. CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA EM SAÚDE, 15, 2016, Goiânia. Anais... Goiânia: Sociedade Brasileira de Informática em Saúde, 2016.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. 7ª Diretriz Brasileira de

Hipertensão Arterial. v. 107, n.3, p. 1-83, set. 2016.

TIBES, C. M. S.; DIAS, J. D.; ZEM-MASCARENHAS, S. H. Mobile applications developed for the health sector in Brazil: an integrative literature review. Rev Min Enferm. v. 18, n. 2, p. 471-478, abr/jun, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n2-153

Refbacks

  • There are currently no refbacks.