Modelagem da perda de solo por erosão hídrica em Planossolo Háplico / Modeling of soil loss by water erosion in Haplic Planosol

Alexandre Maniçoba da Rosa Ferraz Jardim, José Raliuson Inácio Silva, Marcelo José da Silva, George do Nascimento Araújo Júnior, Rodolfo Souza, Eduardo Soares de Souza

Abstract


A utilização de terras agrícolas para a produção de alimentos, tem promovido transformações de ecossistemas naturais em ambientes agricultáveis. O objetivo do trabalho foi estimar a perda de solo por erosão hídrica em diferentes períodos de séries provisórias, através do método da Equação Universal de Perda de Solo (USLE), em um Planossolo Háplico, localizado em Serra Talhada, PE, Brasil. A série de dados de 1996-2015 apresentou dois anos com precipitação pluvial muito abaixo da média anual, entretanto de 2003-2011 os valores anuais foram acima da média. A perda de solo foi estimada de 1996 a 2015, sendo subdividido em quatro períodos, P1 (1996-2015), P2 (2001-2015), P3 (2006-2015) e P4 (2011-2015). As maiores perdas de solo foram constadas no P3 com 5,03 Mg ha-1 ano-1, enquanto que os menores valores foram encontrados no P1 com 3,88 Mg ha-1 ano-1. A aplicação do método da USLE foi satisfatória e permitiu hierarquizar as perdas de solo em função dos períodos preestabelecidos para o município de Serra Talhada, PE.


Keywords


Semiárido, Equação universal de perda de solo, Precipitação pluvial.

References


ALBUQUERQUE, A. W. et al. Determinação de fatores da equação universal de perda de solo em Sumé, PB. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 9, n. 2, p.153-160, 2005.

ALVARES, C. A. et al. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, v. 22, n. 6, p. 711-728, 2013.

ALVES, M. Estimativa da perda de solo por erosão laminar na bacia do Rio São Bartolomeu – DF usando técnicas de geoprocessamento. São José dos Campos, 2000. 33p. (Relatório Técnico apresentado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais)

BERTONI, J.; LOMBARDI NETO, F. Conservação do solo. São Paulo: Ícone, 6.ed. 2008. p. 17-173.

CAMPOS FILHO, O. R. et al. Erosividade da chuva e erodibilidade do solo no Agreste de Pernambuco. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 27, n. 9, p. 1363-1370, 1992.

DENARDIN, J. E. Erodibilidade de solo estimada por meio de parâmetros físicos e químicos. 1990. 81 f. Tese (Doutorado em Agronomia - Solos e Nutrição de Plantas) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 1990.

ELTZ, F. L. F.; MEHL, H. U.; REICHERT, J. M. Perdas de solo e água em entressulcos em um Argissolo Vermelho- Amarelo submetido a quatro padrões de chuva. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 25, n. 2, p. 485- 493, 2001.

FOLEY, J. A. et al. Global Consequences of Land Use. Science, v. 309, n. 5734, p. 570-574, 2005.

GUERRA, A. J. T. et al. Erosão e conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. 4.ed. Rio de Janeiro. Bertand Brasil. 2009. p. 15-94.

GUIMARÃES, C. C. B.; VALLADARES, G. S.; MARTINS, C. M. Uso das terras e declividade no Sertão central do Ceará, Brasil. Revista Nordestina de Biologia, v. 24, n. 1, p. 3-18, 2016.

HENRIQUE, F. M. Analise morfopedológicas aplicada à compreensão dos processos erosivos hídricos em vertentes no município de Pilões-PB. 2012. 18 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN, 2012.

LAMBIN, E. F.; GEIST, H. J.; LEPERS, E. Dynamics of land-use and land-cover change in tropical regions. Annual Review of Environment and Resources, v. 28, n. 1, p. 205- 241, 2003.

LEPRUN, J. C. Relatório de fim de convenio de manejo e conservação do solo no Nordeste brasileiro (1982-1983). Recife: SUDENE DRN, 1983. 290p. LEPSCH, I. F. Formação e conservação dos solos. São Paulo: Oficina de textos, p. 147-149, 2002.

LOMBARDI NETO, F.; MOLDENHAUER, W. C. Erosividade da chuva: sua distribuição e relação com perdas de solo em Campinas, SP. Bragantia, v. 51, n. 2, p. 189-196, 1992.

MARTINS FILHO, M. V. et al. Perdas de solo e nutrientes por erosão num Argissolo com resíduos vegetais de cana-de-açúcar. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 29, n. 1, p. 8-18, 2009.

OLIVEIRA, F. P. et al. Tolerância de perda de solo por erosão para o Estado da Paraíba. Revista de Biologia e Ciências da Terra, v. 8, n. 2, p. 60-71, 2008.

R CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria, 2015 SANTOS, H. G. et al. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 3.ed. rev. e ampl. Brasília: Embrapa, 2013. 353p.

SANTOS, H. G. et al. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 3.ed. rev. e ampl. Brasília: Embrapa, 2013. 353p.

SANTOS, T. E. M.; SILVA, D. D.; MONTENEGRO, A. A. A. Temporal variability of soil water content under different surface conditions in the semiarid region of the Pernambuco State. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 34, n. 5, p.1733-1741, 2010.

SCHICK, J. et al. Erosão hídrica em Cambissolo Húmico alumínico submetido a diferentes sistemas de preparo e cultivo do solo: I. Perdas de Solo e Água. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 24, p. 427-436, 2000.

WISCHMEIER, W. H.; SMITH, D. D. Predicting rainfall erosion losses: a guide to conservation planning. Washington, USDA, 1978. 58p. (Agricultural Handbook, 537).




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n2-107

Refbacks

  • There are currently no refbacks.