Detecção de Staphylococcus coagulase positivo em peixes salgados e secos / Detection of coagulase positive Staphylococcus in salted and dried fish

Josyane Brasil da Silva, Érica Wanzeler e Wanzeler, Rayanne Monteiro Guedes, Alan Reis dos Prazeres, Larissa Gabriele Barbosa Mescouto, Elen Vanessa Costa da Silva, Natacia Silva da Silva, Vanderson Vasconcelos Dantas

Abstract


O peixe salgado e seco, é comumente comercializado em supermercados, feiras-livres, pequenos comércios e mercearias, geralmente ao ar livre sendo uma prática frequente pouco fiscalizada, essa exposição favorece à contaminação, assim como seu processo de fabricação que geralmente é realizado de forma artesanal. Bactérias do gênero Staphylococcus, quando encontrado nesse alimento é considerado um indicativo de falhas higiênicas associadas a manipulação, processamento, comercialização e armazenamento inadequados, podendo ser causador de surtos alimentares pela ingestão de enterotoxinas presentes no alimento. Portanto o objetivo do presente trabalho foi avaliar a qualidade microbiológica de peixes salgados e secos para determinar a contagem de Staphylococcus coagulase positivo, em 11(onze) amostras de peixes salgados coletadas nos municípios de Castanhal (quatro) e Abaetetuba (sete), no Estado do Pará. A referida determinação foi realizada de acordo com a Instrução Normativa nº 62, de 26 de agosto de 2003 do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Os resultados obtidos variaram de 1,9 x 10 UFC/g, à 2,8 x 10² UFC/g, os resultados demostram que 100% das amostras encontram-se dentro dos limites estabelecidos pela legislação vigente, que é de 103 UFC/g para Staphylococcus coagulase positivo. Com base nos resultados observados no presente estudo, podemos considerar a salga e a secagem como métodos de conservação eficiente, pois as análises de Staphylococcus coagulase positivo mostraram que as amostras estudadas estão dentro dos padrões permitidos pela legislação.

Keywords


Qualidade microbiológica; Peixe seco, peixe seco, salga, secagem.

References


SILVA, R.A.R.; VIEIRA, B.B.; SILVEIRA, C.S.; CARVALHO, E.A.; COSTA JUNIOR, P.S.; BARRETO, N.S.E. Análise Microbiológica do Pescado Salgado e Seco Comercializado no Mercado Municipal de Cruz Das Almas, Bahia, Brasil. In: Proceedings of the XII Latin American Congress on Food Microbiology and Hygiene. Blucher Food Science Proceedings, v.1, n.1. p. 371-372 .São Paulo: Blucher, 2014. ISSN 2359-201X, DOI 10.5151/foodsci-microal-187

BORGES, E T.; RIBEIRO, J.C.S.; SOUZA, P.M.; MENÃO, V.A.F.; RIBEIRO, M.C.; BUENO, A.R. Avaliação de filés de tilápia comercializados em diferentes tipos de embalagem kawakita. Revista Nucleus, v. 15, n.2, out. 2018. DOI: 10.3738/1982.2278.2985

COSTA, A.P.R.; ANDRADE, D. R.; VIDAL JÚNIOR. Salga seca e úmida de filés de pacu (Piaractus mesopotamicus). Semina: Ciências agrárias, Londrina/PR. v. 32, n. 2, p. 620, abr. / jun. 2008.

FRANCO, B.D.G.M.; LANDGRAF M. Microbiologia de Alimentos. São Paulo: Editora Atheneu, 2008.

MAPA - Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n° 1 de 15 de janeiro de 2019. Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade do Peixe Salgado e Peixe Salgado Seco. Diário Oficial da União. Ed.: 13. Seção: 1. Página: 2. 2019.

CUNHA, M.R.S.M. Avaliação das condições higiênico-sanitárias da produção e comercialização do peixe salgado e seco na cidade de Luanda. Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária (Dissertação de Mestrado). Lisboa, 2018.

CALIXTO, F.A.A.; MACHADO, E.S.; FRANCO, R.M.; MESQUITA, E.F.M. Avaliação Bacteriológica da carne de Bijupirá fresca, salgada e defumada proveniente de cultivo da Baía de Ilha Grande, Rio de Janeiro. Boletim do Instituto de Pesca, v. 42, n.1, p.209–215, 2016 Doi: 10.5007/1678-2305.2016v42n1p209

MOUCHREK-FILHO, V.E.; CHAAR, J.S.; NASCIMENTO, A.R.; MOUCHREK-FILHO, J.E.; COSTA, IS.; MARTINS, A.G.L.A.; MARINHO, S.C. Avaliação microbiológica do pirarucu (Arapaima gigas) seco e salgado, comercializado nas feiras livres da cidade de Manuas-AM. Cadernos de Pesquisa, v.13, n.1, p.14-21, 2002.

SANTANA, E.H.W.; BELOTI, V.; ARAGONALEGRO, L.C.; MENDONÇA, M.B.O.C. Estafilococos em alimentos. Arquivos do Instituto Biológico. v.77, n.3, p.545–554, 2010. Disponível em: < https://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:So63C2g8BakJ:https://edisciplinas.usp.br/mod/resource/view.php%3Fid%3D186697+&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br>.

HENNEKINNE, J. A.; BUYSER, M. L.; DRAGACCI, S. Staphylococcus aureus and its food poisoning toxins: characterization and outbreak investigation. FEMS Microbiol Rev. V.1, P.22, 2011. Disponível em: .

WONG, A.C.L.; BERGDOLL, M.S. Staphylococcal food poisoning. In: CLIVER, D.O; RIEMANN, H.P. Foodborne Diseases . Amsterdam: Academic Press, p.231-248; 2002.

BIANCHI, D. M.; GALLINA, S.; BELLIO, A.; CHIESA, F.; CIVERA, T.; DECASTELLI, L. Enterotoxin gene profiles of Staphylococcus aureus isolated from milk and dairy products in Italy. Letters in Applied Microbiology, v.58, p.190-196. Out. 2013. DOI: 10.1111/lam.12182.

TRABULSI, L.R.; ALTERTHUM, F. Microbiologia. 5ª edição. São Paulo: Atheneu,2008. 741p.

NOTERMANS, S.; VAN OTTERDIJK, R.L.M. Production of enterotoxina A by staphylococcus aureus in food. International journal of food microbiology. V.2, P.145-149, Fev. 1985. Disponível em: . Acesso em: 19/11/2017.

VASCONCELOS, E.L.Q.; VIANA, A.P.; OLIVEIRA, P.R. Avaliação microbiológica do pirarucu (Arapaima gigas) salgado seco comercializado em feiras da Cidade de Manaus e Fonte Boa, Amazonas. PUBVET, v.8, n.4, Ed. 253, Art. 1675. Londrina, Fev., 2014.

NUNES, E.S.C.L.; FRANCO, R.M.; MÁRSICO, E.T.; NOGUEIRA, E.B.; NEVES, M.S.; SILVA, F.E.R. Presença de bactérias indicadoras de condições higiênicosanitárias e de patógenos em Pirarucu (Arapaima gigas Shing, 1822) salgado seco comercializado em supermercados e feiras da cidade de Belém, Pará. Revista Brasileira de Ciências Veterinária, 19, n. 2, p. 98-103, maio/ago. 2012. Dói: 10.4322/rbcv.2014.084

RIBEIRO, A.L.M.S.; OLIVEIRA, G.M.; FERREIRA, V.M.; PEREIRA, M.M.D.; SILVA, P.P.O. Avaliação microbiológica da qualidade do pescado processado, importado no estado do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Ciências Veterinária, v.16, n.3, p.109-112, set./dez. 2009. DOI: 10.4322/rbcv.2014.185.

SILVA, J.B.; PRAZERES, A.R.; OLIVEIRA, A.C.S.; DANTAS, V.V.; BARROS, M.C.S.; SILVA, F. et al. Avaliação higiênico-sanitária de estabelecimentos comerciais e análise de micro-organismos indicadores em amostras de carne bovina (coxão mole) in natura comercializadas em mercados públicos. Revista do Instituto Adolfo Lutz, v.75, n.1709. São Paulo, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n2-099

Refbacks

  • There are currently no refbacks.