Remoção de formulação comercial de glifosato em efluente sintético por meio de processo combinado de H2O2/UV/ Removal of commercial formulation of glyphosate in synthetic effluent through combined H2O2 / UV process

Francisco Javier Cuba Teran, Renata Medici Frayne Cuba, Vilmar Martins Ferreira Filho

Abstract


O glifosato é o ingrediente ativo de agroquímicos mais consumido no Brasil, com aproximadamente 185 mil toneladas por ano, representando cerca de 3 vezes o valor do segundo colocado. Este herbicida é mundialmente utilizado por sua capacidade diversificada no controle de plantas indesejadas, porém o composto orgânico pode atingir as águas superficiais por meio dos efluentes industriais ou até mesmo através da lixiviação no solo, causando problemas graves em diversos animais, ao ecossistema local e aos seres humanos. Por isso, este estudo tem como objetivo avaliar a eficiência na remoção de formulação comercial de glifosato em efluente sintético por meio de uma oxidação no processo combinado de H2O2/UV. Para tal finalidade, foi construído um reator no qual o meio reacional encontra-se dentro de um tubo de quartzo, com lâmpadas UV à sua volta e foi operado em duas fases (Fase I e Fase II), variando as principais condicionantes do processo (pH e concentração de H2O2). Na Fase I o melhor resultado foi a remoção de 43,25 % com concentração de H2O2 de 300 mg/L, pH de 8,0 e tempo de 6 horas de tratamento. Na Fase II o melhor resultado foi a remoção de 58,12 % com concentração de H2O2 de 150 mg/L, pH de 8,0 e tempo de 6 h de tratamento. 


Keywords


Glifosato, Processos Oxidativos Avançados, Oxidação, Degradação.

References


BAYLIS, A. D. Why glyphosate is a global herbicide: strengths, weaknesses and prospects. Pest Management Science, v. 56, n. 4, p. 299-308, 2000.

BELTRÁN, F. J.; GONZÁLEZ, M.; GONZÁLEZ, J. F. Industrial wastewater advanced oxidation. Part 1. UV radiation in the presence and absence of hydrogen peroxide. Water Research, v. 31, n. 10, p. 2405-2414, 1997.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE- CONAMA. Resolução n 357, 17 de março de 2005. Diário Oficial, n. 53, p. 58–63, 2005.

GOGATE, P. R.; PANDIT, A. B. A review of imperative technologies for wastewater treatment II: hybrid methods. Advances in Environmental Research, v. 8, n. 3, p. 553-597, 2004.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS – IBAMA. Boletim anual de produção, importação, exportação e vendas de agrotóxicos no Brasil, 2016. Disponível em:

JUNGES, C. M. et al. Effectiveness evaluation of glyphosate oxidation employing the H2O2/UVC process: toxicity assays with Vibrio fischeri and Rhinella arenarum tadpoles. Journal of Environmental Science and Health, Part B, v. 48, n. 3, p. 163-170, 2013.

KUNZ, A. et al. Novas tendências no tratamento de efluentes têxteis. Química nova, v. 25, n. 1, p. 78-82, 2002.

MANASSERO, A. et al. Glyphosate degradation in water employing the H2O2/UVC process. Water research, v. 44, n. 13, p. 3875-3882, 2010.

VIDAL, E. et al. Simplified reaction kinetics, models and experiments for glyphosate degradation in water by the UV/H 2 O 2 process. Photochemical & Photobiological Sciences, v. 14, n. 2, p. 366-377, 2015.

WOODBURN, A. T. Glyphosate: production, pricing and use worldwide. Pest Management Science, v. 56, n. 4, p. 309-312, 2000.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n2-030

Refbacks

  • There are currently no refbacks.