Cultivo de milho com diferentes doses e épocas de aplicação de molibdênio / Crop of corn with different doses and molybdenum application times

Milena Costa dos Santos, Laidson Alves Leão Junior, Wilian Henrique Diniz Buso

Abstract


No Estado de Goiás encontra-se grande número de produtores de milho, produção que pode ser comprometida por vários fatores, um deles é deficiência nutricional, cuja falta do micronutriente molibdênio acarreta além de manchas amarelas nas folhas, diminuição do porte do milho podendo comprometer no metabolismo do nitrogênio interferindo no rendimento da cultura do milho. Objetivou-se avaliar o desempenho agronômico da cultura do milho com diferentes doses de molibdênio em três épocas de aplicação, o experimento se conduziu no Instituto Federal Goiano Campus Ceres, com sistema de irrigação por pivô central em dois anos consecutivo safra 2016 e safra 2017, sendo utilizado o delineamento de blocos ao acaso em esquema fatorial 5x3, com cinco doses de molibdênio (0, 45, 90, 135 e 180 g ha-1) em três épocas de aplicação (no sulco de semeadura, na sexta folha completamente aberta e no pré-pendoamento). Os dados foram submetidos à análise de variância e comparadas pelo teste de tukey ao nível de 5% de significância, apresentando resultado significativo para produtividade 6756,96 kg ha-1 e diâmetro do colmo na safra 2016 e massa de 1000 grãos na safra 2017, apresentando um bom desempenho quando realizada adubação entre sulco da semeadura até a sexta folha. Com relação às doses aplicadas, não obteve resultados significativos, assim como para as demais variáveis analisadas.


Keywords


fertilização, nutrição, produtividade.

References


AGARWALA, S. C., CHATTERIEE, C., SHARMA, P.N., SHARMA, C.P., NAUTIVAL, N. 1979. Pollen development in maize plants subjected to molybdenum deficiency. Canadian Journal of Botany 57: 1946–1950.

ARAÚJO, G. A. de. A., TEIXEIRA, A. R., MIRANDA, G. V., GALVÃO, J. C. C., ROCHA, P. R. R. 2010. Produtividade e qualidade fisiológica de sementes de milho-pipoca submetido à aplicação foliar de molibdênio. Scientia Agraria 11: 231-237.

CAIONI, S., LAZARINI, E., PARENTE, T. de. L., PIVETTA, R.S., SOUZA, L. G. M. 2016. Nitrogênio e molibdênio para milho irrigado em região de cerrado de baixa altitude. Revista Brasileira de Milho e Sorgo 15: 418-427.

CONAB-Companhia Nacional de Abastecimento. Grãos, SAFRA 2018/19. Décimo levantamento, julho 2019.

CRUZ, J. C., PEREIRA FILHO, I. A., PIMENTEL, M. A. G., COELHO, A. M., KARAM, D., CRUZ, I., GARCIA, J. C., MOREIRA, J. A. A., OLIVEIRA, M. F. de, GONTIJO NETO, M. M., ALBUQUERQUE, P. E. P. de, VIANA, P. A., MENDES, S. M., COSTA, R. V. da, ALVARENGA, R. C., MATRANGOLO, W. J. R. 2011. Produção de milho na agricultura familiar. Sete Lagoas: Embrapa Milho e Sorgo, n 159: 2-45.

DEMÉTRIO, C.S., FORNASIERI FILHO, D., CAZETTA, J.O., CAZETTA, D.A. 2008. Desempenho de híbridos de milho submetidos a diferentes espaçamentos e densidades populacionais. Pesquisa Agropecuária Brasileira 43: 1691-1697.

EUZÉBIO, M. P. Época de plantio do Milho. 2016. Disponivel em < http://folhaagricola.com.br/artigo/epoca-de-plantio-do-milho>.Acesso em: 01 Ago. 2019.

FERREIRA, A. C. de. B., ARAÚJO, G. A. de. A., PEREIRA, P. R. G., CARDOSO, A. A. 2011. Características agronômicas e nutricionais do milho adubado com nitrogênio, molibdênio e zinco. Scientia Agricola 58: 131-138.

FIRMINO, R.S., BUSO, W.H.D., SILVA, L.B., GOMES, L.L., SILVA, S.M.C. 2017. Desempenho agronômico de milho com diferentes doses de nitrogênio e molibdênio. Revista Mirante, 10: 148-157.

FUMAGALLI, M., MACHADO, R. A. F., FIORINI, I. V. A., PEREIRA, C. S., PIRES, L. P. M., PEREIRA, H. D. 2017. Desempenho produtivo do milho híbrido simples em função de espaçamentos entre fileiras e populações de plantas. Revista Brasileira de Milho e Sorgo16: 426-439.

MAGALHÃES, P.C., DURÃO, F.O.M., PAIVA, E. 1995. Fisiologia da planta de milho. Sete Lagoas. Embrapa, (Circular técnica, n° 20).

MARSCHNER, H. 1995. Mineral nutrition of higer plants. Academic Press 2.ed. 889f.

PESTANA, D. E., SIMONETTI, P. M. M., ROSA, H. A. Uso de Molibdênio na Cultura do Milho. 2014. Disponível em:.Acesso em: 20 jul. 2019.

PEREIRA, F. R.S. 2010. Doses e formas de aplicação de molibdênio na cultura do milho. 159 f. (Tese de Doutorado)- Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp, Botucatu, Brasil.

SANTOS, M. M., FIDELIS, R. R., FINGER, F. L., MIRANDA, G. V., SILVA, I. R., GALVÃO, J. C. C. 2012. Atividade enzimática na cultura do milho (Zea mays L.) em função do molibdênio e de épocas de adubação nitrogenada. Revista Brasileira de Milho e Sorgo11:145-155.

SANTOS, G. A., KORNDORFER, G. H., PEREIRA, H. S., PAYE, W. 2018. Addition of micronutrients to NPK formulation and initial development of maize plants. Bioscience Journal 34: 927-936.

SILVA, C. G. M., MOREIRA, S. G., LUPP, R. M., CASTRO, G. F. de., REHAGRO, B. H. A., SILVA, A. A. P. da. 2018. Doses de molibdênio na produtividade do milho. Revista Agrogeoambiental 10: 47-55.

SILVA, C. G. M. 2016. ABSORÇÃO E EXPORTAÇÃO DE MACRONUTRIENTES EM MILHO. 49f. ( Dissertação)- Universidade Federal de São João del-Rei, Sete Lagoas, Brasil.

TANNER, P.D. 1982. The molybdenum requeriments of maize in Zimbabwe. Zimbabwe Agriculture Journal 79: 61-64.

TEIXEIRA, A. R. 2006. Doses de molibdênio nas culturas do milho comum e milho - pipoca. Viçosa: UFV.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n2-004

Refbacks

  • There are currently no refbacks.