Análise da idade média da frota de veículos automotores rodoviários nos municípios paulistas e sua relação com as emissões de gases poluentes no período de 2006 a 2015 / Analysis of the average age of the motor vehicle fleet in the municipalities of São Paulo and its relation with the emissions of gaseous pollutants from 2006 to 2016

Kellen Rocha de Souza, Sílvia Helena Galvão de Miranda

Abstract


O crescimento da frota de veículos automotores rodoviários desde sua invenção, tanto no Brasil como no mundo, torna cada vez mais evidente as externalidades negativas geradas pelos veículos. Além dos congestionamentos, acidentes de trânsito, poluição sonora e geração de resíduos, tais veículos também emitem quantidades significativas de gases poluentes, resultando em piora da qualidade de vida das comunidades expostas a esse tipo de poluição. Este trabalho tem como objetivo avaliar a relação da idade da frota de veículos dos municípios paulistas com as emissões veiculares no estado, no período de 2006 a 2015, baseando-se em dados da CETESB. Os programas de controle de emissão, como o PROMOT e o PROCONVE no Brasil contribuem para diminuir as emissões veiculares e consequentemente a redução da idade média da frota já que tais programas exigem limites de emissão mais rigorosos para os veículos mais novos. A análise da evolução da idade média dos veículos automotores rodoviários, portanto, torna-se importante instrumento de estudo não somente da evolução das emissões mas também do potencial de contínuas reduções. Desde 2006 tem se observado, no estado de São Paulo, uma diminuição da idade média destes veículos nos municípios, com exceção das motocicletas e veículos similares.


Keywords


Veículos. Idade média. Emissões.

References


ABRACICLO. Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e similares. Anuário da Indústria Brasileira de Duas Rodas 2015. São Paulo, 2015.

ALVARENGA, G. V.; ALVES, P. F.; SANTOS, C. F.; NEGRI, F.; CAVALCANTI, L. R.; PASSOS, M. C.. Políticas anticíclicas na indústria automobilística: uma análise de cointegração dos impactos da redução do IPI sobre as vendas de veículos. Texto para discussão nº 1512. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Rio de Janeiro, out. 2010.

ANDRADE, E. C. Externalidades. In: BIDERMAN, C.; ARVATE, P. (org.). Economia do Setor Público no Brasil. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

ANFAVEA. Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores. Anuário da Indústria Automobilística Brasileira. São Paulo, 2016.

BRASIL, MMA (Ministério do Meio Ambiente). 2º Inventário Nacional de Emissões Atmosféricas por Veículos Automotores Rodoviários 2013 – Ano-base 2012: Relatório final. MMA, Brasília, DF, Brasil, jan. de 2014. Disponível em: . Acesso: 06 Mar. 2016.

BRASIL, MMA (Ministério do Meio Ambiente). PROMOT – Programa de controle da poluição do ar por motociclos e veículos similares. Disponível em: . Acesso em: 28 Mar. 2015(a).

BRASIL, MMA (Ministério do Meio Ambiente). PROCONVE – Programa de controle de poluição do ar por veículos automotores. Disponível em: . Acesso em: 28 Mar. 2015 (b).

CARVALHO, C. H. R. de. Desafios da mobilidade urbana no Brasil. Texto para discussão nº 2198. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Brasília, mai. de 2016.

CARVALHO, C. H. R. de. Emissões relativas de poluentes do transporte motorizado de passageiros nos grandes centros urbanos brasileiros. Texto para discussão nº 1606. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Brasília, abril de 2011.

CARVALHO, C. H. R.; PEREIRA, R. H. M.. Gastos das famílias brasileiras com transporte urbano público e privado no Brasil: uma análise da POF 2003 e 2009. Texto para discussão nº 1803. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Brasília, dez. de 2012.

CETESB. Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Emissões veiculares no Estado de São Paulo 2013. São Paulo: CETESB, 2014, 150 p. Disponível em: . Acesso em: 10 Dez. 2014.

CETESB. Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Emissões veiculares no Estado de São Paulo 2014. São Paulo: CETESB, 2015, 145 p. Disponível em: < http://veicular.cetesb.sp.gov.br/wp-content/uploads/sites/35/2013/12/Relat%C3%B3rio-emiss%C3%B5es-veiculares-2014_VERS%C3%83O-DIGITAL_01.09.pdf>. Acesso em: 10 Set. 2015.

CETESB. Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Emissões veiculares no Estado de São Paulo 2015. São Paulo: CETESB, 2016, 214 p. Disponível em: < http://veicular.cetesb.sp.gov.br/wp-content/uploads/sites/35/2013/12/Relatorio-Emissoes-Veiculares-2015-subst-011116.pdf>. Acesso em: 10 Out. 2016.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO TRANSPORTE (CNT). Oficina Nacional: transporte e mudança climática. Brasília, 2009.

NTU. Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos. Desoneração dos custos das tarifas do transporte público urbano e de característica urbana. Brasília: NTU, 2009. Disponível em: < http://tarifazero.org/wp-content/uploads/2010/08/DesoneracaoCustosTarifasAbr2009.pdf>. Acesso em: 15 mai. 2017.

TOLEDO, G.I.F.M.; NARDOCCI, A.C. Poluição veicular e saúde da população: uma revisão sobre o município de São Paulo (SP), Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia 2011, v. 14, nº 3, p.445- 454.

UNEP. United Nations Environment Programme. Our Planet: healthy planet, healthy people. UNEP, Nairobi, Kenya, May 2015. Disponível em: . Acesso em: 07 Jul. 2015.

WILBERT, M. D.; SERRANO, A. L. M.; GONÇALVES, R. S.; ALVES, L.S.. Redução do imposto sobre produtos industrializados e seu efeito sobre a venda de automóveis no Brasil: uma análise do período de 2006 a 2013. Revista Contemporânea de Contabilidade. Florianópolis, set./dez. 2014, v.11, n.24, p. 107-124


Refbacks

  • There are currently no refbacks.