Controladoria como ferramenta de gestão empresarial: um estudo dos processos de controle em uma indústria de bebidas / Controlling as an entrepreneurial management Tool: one study of control processes in a beverage industry

Jamille Carla Oliveira Araújo, Leidian Moura da Silva, Raimundo Nonato Vieira Costa, Marco Aurélio Leal Alves do Ó

Abstract


O artigo tem objetivo de demonstrar a controladoria como ferramenta de gestão empresarial de uma empresa de distribuição de bebidas do município de Belém, Capital do Estado do Pará.  A relevância do estudo se dá pela análise da controladoria como instrumento de gestão dos processos de controle, os quais influenciam as decisões dentro da empresa.  Partindo assim da seguinte questão norteador: Como a controladoria pode ser utilizada como ferramenta de gestão empresarial para uma empresa de distribuição de bebidas? A pesquisa foi oportuna uma vez que a indústria de bebidas vem tomando espaço no mercado paraense, necessitando adotar caminho que possibilite avaliar as informações contábeis como fonte de tomada de decisão com ênfase econômica e financeira. Partindo desse ponto, foram realizadas pesquisa bibliográficas, descritivas e de campo, em que foram aplicados questionários com alguns funcionários da empresa com o propósito de desenvolver o estudo de pesquisa, através de seus gestores realizam os controles e a transposição da informação contábil através da controladoria. Avalia-se que também que não foram aplicados estudos voltados a vincular o planejamento e o controle das atividades operacionais de uma fábrica de bebida, a gestão empresarial.


Keywords


Controladoria; Planejamento; Gestão Empresarial.

References


ACKOFF, R. L. O planejamento empresarial. São Paulo: Atlas.1980.

ALMEIDA, M. C Auditoria: um curso moderno e completo. 5ª. ed. São Paulo: Atlas. 2009.

ANTONY, R. N; Govindarajan V. Sistemas de Controle Gerencial. 12. ed. Ed. Mcgraw Hill Brasil: Porto Alegre – RS.2008.

ANTUNES, M. T. P. A controladoria e o capital intelectual: um estudo empírico sobre sua gestão. Revista Contabilidade & Finanças - FEA – USP, São Paulo, n. 41, p. 21-37,2006.

BORINELLI, M. L. Estrutura conceitual básica de controladoria: sistematização à luz da teoria e da práxis. São Paulo, 2006. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) – Programa de pós-graduação em Ciências Contábeis, Departamento de Contabilidade e Atuária, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo,2006.

CATELLI, A. Controladoria: uma abordagem da gestão econômica – GECON. São Paulo: Atlas, 1999. Cap.13, p.369-381,1999.

CAVALCANTI, C. X., Oliveira, M. P. V. & Bronzo, M. Alcançando a inovação em processos por meio da abordagem analítica. Revista de Ciências da Administração 18(45) pp. 127-139,2016.

COSO. Committee of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission. Controle Interno – Estrutura Integrada. Sumário Executivo. Traduzido por PwC. Instituto dos Auditores Internos do Brasil 2013.

DAFT, H. L. Organização. São Paulo: Cengage Learning,2005.

DAVENPORT, T. H. & Harris, J. GCompeting on analytics: the new science of winning. Boston: Harvard Business School Press,2007.

DORNELAS, J. C. A. Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. São Paulo: Campus, 2010.

DRUCKER, P. . Administração na próxima sociedade. São Paulo: Nobel, 2003.

GLAUTER, M. W. EAccounting theory and practice. Londres: Pitman,2005.

GEHRKING, G. Strategic planning. Texas: UMI,1995.

GIONGO, J.; BIANCHI, M. A participação da controladoria no processo de gestão organizacional. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, XXIX, Brasília. Anais... Brasília: ANPAD, 2005.

GUERREIRO, R. A meta da empresa. São Paulo: Atlas,2000.

HOJI, M. Administração financeira: uma abordagem prática. São Paulo: Atlas,2006.

JENKINS, D. S.; Kane, G. D.; Velury, U. Earnings Conservatism and Value Relevance Across they Business Cycle. Journal of Business Finance & Accounting v. 36, n. 9–10, p. 1041–1058 , 2009.

JENKINS, D. S.; KANE, G. D.; VELURY, U. Earnings Conservatism and Value Relevance Across the Business Cycle. Journal of Business Finance & Accounting v. 36, n. 9–10, p. 1041–1058 , 1 nov. 2009.

KOTLER, P. Administração de marketing: análise, planejamento, implementação e controle. 5a. ed. São Paulo: Atlas,2006.

KWASNICKA, E. L. Introdução à administração contábil. 5 ed. São Paulo: Atlas,2004.

LACOMBE, F. J. M. Administração: princípios e tendências. São Paulo: Saraiva,2003.

LEITE, C. E. B. A evolução das ciências contábeis no Brasil: Rio de Janeiro: FGV,2005.

LEITE, D. B. & Heinzmann, L. M. Gestão da inovação: Estudo de casos múltiplos no segmento de reparação de veículos. Revista da Micro e Pequena Empresa, Campo Limpo Paulista, 10(2), pp. 34-53. 2016.

LEITE; M. S., ARAUJO; J. A. O. de. Gestão, Controladoria e Contabilidade o Terceiro Setor: Um Estudo Bibliométrico. Recuperado de http:www.convibra.com.br/dwp.asp?id=9904&ev=71.2011.

MALMI, T.; Brown, D. A. Management control systems as a package: Opportunities, challenges and research directions. Management Accounting Research, v. 19, 2008. Recuperado de https://doi.org/10.1016/j.mar.2008.09.003.

MAXIMIANO, A. C. A. Teoria geral da administração: da escola científica à competitividade em economia globalizada. São Paulo: Atlas,2004.

MELO, T. M, CORREA, A. L., CARVALHO, E. G. & POSSAS, M. L. Competitividade e gap tecnológico – uma análise comparativa entre Brasil e países europeus selecionados.

Rev. Bras. Inov., Campinas (SP), 16 (1), pp. 129-156,2017.

MORAES, Hugo Azevedo Rangel de ,Oliveira, Stepherson Rodrigo Alves de. Controle Gerencial: Uma análise nas empresas da cidade de Caicó-RN. Revista UNEMAT de Contabilidade.Volume 4, Número 8 Ago./Dez. 2015.

MOSIMAN, C; P; Fisch, S. (1999). Controladoria: seu papel na administração das empresas. São Paulo: Atlas, 1999.

NASCIMENTO, A. M; REGINATO, L. Controladoria: instrumento de apoio ao processo decisório. São Paulo: Atlas, 2010.

OLIVEIRA, A. G.; MULLER, A. N.; NAKAMURA, W. T. A utilização das informações geradas pelo sistema de informação contábil como subsídio aos processos administrativos nas pequenas empresas,2002.

OLIVEIRA, D. P. R. de Planejamento estratégico: Conceitos, metodologias, práticas. (33a ed.). São Paulo: Atlas,2015.

OLIVEIRA, L. M; Perez Junior, J. H; Silva, C. A. S. Controladoria estratégica. 7. ed. São Paulo: Atlas,2011.

PADOVEZE, C. L. Controladoria estratégica e operacional: conceitos, estrutura, aplicação. São Paulo: Pioneira Thomson Learning,2009.

______________,Contabilidade Empresarial e Societária. 1º ed. Curitiba, PR; IESDE: Brasil, 2012a. 204p.

______________. Contabilidade Gerencial. 1º ed. Curitiba, PR; IESDE: Brasil, 2012b. 376p.

_______________. Controladoria Estratégica e Operacional. 3ª ed. rev. e atual. São Paulo: Cengage Learning. 2015.

PORTER, M. The five Competitive Forces that shape Strategy. Recuperado de https://hbr.org/2008/01/the-five-competitive-forces-that-shape-strategy.2008.

TERENCE, A. C. F. Planejamento estratégico como ferramenta de competitividade na pequena empresa. Dissertação de Mestrado. São Carlos, EESC-USP.2002. Recuperado de http://www.flf.edu.br/revista-flf/monografias-contabeis/monografia-elis-maria.pdf.

TONG, Y. H. (2007). Financial Reporting Practices of Family Firms. Advances in Accounting v. 23, p.231–2612007..

TURRA, E. B.; MIORANZA, C.; COLTRE. S. M. A INOVAÇÃO COMO VANTAGEM COMPETITIVA: ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA. Revista Brasileira de Gestão e Inovação – Brazilian Journal of Management & Innovation v.5, n.1, Setembro/Dezembro – 2017 ISSN: 2319-0639.

YOSHITAKE, M. Auditoria Contábil. 1º ed. Curitiba, PR; IESDE: Brasil, 2012.[s.n].


Refbacks

  • There are currently no refbacks.