Processo de melhoria organizacional baseado no conhecimento e na inovação / Organizational improvement process based on knowledge and innovation

Marcos de Oliveira Morais, André Luiz Denani, Ilma de Moura, Nilton Barboza de Araujo

Abstract


The knowledge of the knowledge nas organization have not nutcrets of fundamental shouldn new models administrative and produce, both to be maintenance organisation for a creation and maintenance of a capital competitiva sustainable nas empresas. Integrar como ferramentas de gerenciamento de atividades aonde busca o capital humano torna-se relevante. O desenvolvimento das competências e competências do capital intelectual da empresa impacta.com na inovação tecnológica. A metodologia utilizada foi de pesquisa bibliográfica. O presente artigo visa obter o conhecimento sobre o crescimento e o crescimento organizacional.


References


BARTOL, K. M.; SRIVASTAVA,. Encouraging knowledge sharing: The role of organizational reward systems. Journal of Leadership & Organizational Studies, v. 9, n. 1, p. 64-76, 2002.

BES, F. T de; KOTLER, P. A Bíblia da inovação. São Paulo: Leya, 2011.

BRITO, L.; OLIVEIRA, P.; CASTRO, A. B. C. Gestão do conhecimento numa instituição pública de assistência técnica e extensão rural do Nordeste do Brasil. Revista de Administração Pública, v. 46, n. 5, p. 1342–1366, 2012.

CHONG, S.C; LIN, B. Implementation level of knowledge management critical success factors in Malaysia. International Journal of Innovation and Learning, vol. 6 n. 5, pp. 493-516, 2009.

CORAL, E. Planejamento Estratégico da Inovação. In: Coral, E., Oglari, A. & Abreu, A. F. de. (Orgs.). Gestão integrada da inovação: estratégia, organização e desenvolvimento de produtos (1a ed) . São Paulo: Atlas, 2011.

CORAL, E; OGLIARI, A; ABREU, A. F. Gestão integrada da inovação: estratégia, organização e desenvolvimento de produtos. São Paulo, SP: Atlas, 2009.

COSTA NETO, P. L. O. e CANUTO, S. A.– Administração com Qualidade – Conhecimentos necessários para a gestão moderna. São Paulo: Blucher, 2010.

COUKOS-SEMMEL, E.D. Knowledge management: processes and strategies used in United States research universities. unpublished academic dissertation, Florida Atlantic University, Boca Raton, FL, 2002.

CRUZ, T. Gerência do Conhecimento. São Paulo: Cobra, 2002.

DALKIR, K. Knowledge Management in Theory and Practice. London: The MIT Press, 2011.

DAVENPORT, T.; PRUSAK, L. Conhecimento Empresarial: Como as Organizações Gerenciam Seu Capital. 12. ed., Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

DIHL, W. A Teoria da criação do conhecimento organizacional relacionada à elaboração de relatórios de sustentabilidade empresarial: um estudo exploratório em uma empresa geradora de energia. 2013. 119 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa, 2013.

ERMINE, J-L. Introduction au knowledge management. 2007. Disponível em: Acesso em: 07 set. 2018.

FERREIRA, A.B.H. Mini dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. 8ª ed. Paraná: Editora Positivo, 2014.

FLEURY, A.; FLEURY, M. T. L. Os Desafios de Aprendizagem e Inovação Organizacional. Rae light., v. 2, n. 5, p. 14-20, 1994.

FLEURY, M. T. L; OLIVEIRA JUNIOR, M. de M.. Gestão estratégica do conhecimento: integrando aprendizagem, conhecimento e competências. São Paulo: Atlas, 2001.

FREEMAN, C. The determinants of innovation: market demand, technology and the response to social problems. Futures, 11(3), 1979.

FREZATTI, F., BIDO, D. S. DE, CRUZ, A. P. C. DA, & MACHADO, M. J. C. The structure of artefacts of management control in the innovation processo: does exist association with the strategic profile? Brazilian Business Review, 2015. 12(1), 128-153. doi: 10.15728/bbr.2015.12.6

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GOMES, R. K.; LAPOLLI, E. M. Os estímulos e barreiras à criatividade no ambiente organizacional. Revista Borges, v. 4, p. 03-12, 2014.

GOULART, E.; ANGELONI, M. T. O compartilhamento do conhecimento em uma instituição de ensino superior. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Administração, Cristalina, ed. Especial, v. 1, n. 2, p. 59-83, 2009.

GUIMARÃES, Sônia K. Produção do Conhecimento Científico e Inovação: desafios do novo padrão de desenvolvimento. Cad. CRH, Salvador. v. 24, n. 63, set./dez. 2011.

HARTUNG, K; OLIVEIRA, M. Communities of practice: creating and sharing knowledge. Revista de Gestão, 20 (3), 407-422, 2013.

HOLAN, P. M.; PHILLIPS, N. Remembrance of Things Past? The Dynamics of Organizational Forgetting. Management Science, vol. 50, nº 11, p. 1603-1613, nov.2004.

HOURAISS, A. Dicionário Houraiss da Língua Portuguesa. 1ª ed. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2009.

JUNIOR, J. M. Como escrever trabalhos de conclusão de curso: instruções para planejar e montar, desenvolver, concluir, redigir e apresentar trabalhos monográficos e artigos. 3. ed. Petrópolis (RJ): Vozes, 2009

LEONARD, D.; SENSIPER, S. The role of tacit knowledge in group innovation. California Management Review, 40, 3, 112–32, 1998.

MCDERMOTT, R. Why information technology inspired but cannot deliver: knowledge management. California Management Review, 41, 4, 103–17, 1999.

MORAIS, M. O; BREJÃO, A. S; FERIGATTO, E. A; COSTA NETO, P. L. O. Inovação e Conhecimento como Ferramentas Estratégicas nas Organizações: Estudo de Casos Múltiplos. Rev. FSA, Teresina, v.15, n.4, art. 9, p. 169-191, jul./ago. 2018.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. The knowledge-creating company. Harvard Business Review, p.96-104, nov / dez.1991.

OLIVEIRA, L. H. Gestão do Conhecimento como fonte de vantagem competitiva sustentável para as instituições de ensino superior (IES). Revista Acadêmica da FACECA – RAF, v. 1, n. 2, p. 82-93, 2002.

PENALVA, W. A ordem é inovar. In: Revista Brasileira de Administração. A regra é inovar. 25, (104), janeiro/fevereiro, 2015.

PORTER, M. A Vantagem competitiva das nações. Rio de Janeiro: Elsevier, 1989.

PORTER, M. E. Competição: estratégias competitivas essenciais. Gulf Professional Publishing, 1999.

ROGERS, E. M. Diffusion of innovations. New York: Free Press, 1995.

ROSSATTO, M. A. Gestão do conhecimento. Rio de Janeiro: Interciência, 2003.

SCHUMPETER, J. A Teoria do Desenvolvimento Econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo Econômico. Ed. Abril S.A. Cultural e Industrial: São Paulo, 1982.

SILVA NETO, E. Compartilhamento do conhecimento tácito no processo de sucessão empresarial familiar. 2016. 234 f. Tese (Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

TAKEUCHI, H; NONAKA, I. Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookman, 2008.

TARTARI, J. et al. Competências individuais para a inovação: em busca do profissional inovador. Revista Espacios, v. 35, n. 11, p. 4-15, 2014.

TERRA, J C. C. Gestão do conhecimento: o grande desafio empresarial. 2005.

TREVINYO, R. N.; TAIPIES, R. J. Effective knowledge transfer in family firms. Barcelona: University of Navarra, IESE Business School, Working Paper-865, jul. 2010.

VASCONCELOS, K. C. de A. et al. Cultura, Liderança e Compartilhamento do Conhecimento Organizacional. Revista de Administração FACES Journal, v. 12, n. 1, 2013.

VON KROGH, G.; ICHIJO, K.; NONAKA, I. Facilitando a criação do conhecimento: reinventando a empresa com o poder da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 2001.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.