Análise participativa em cooperativa camponesa solidária: o caso da Coopercam / Participatory analysis in a solidary peasant cooperative: the Coopercam case

Vinícius Mattia, Wilson João Zonin, Marcos Roberto Gregolin, Fábio Corbari, Karina Kestring

Abstract


O caminho trilhado pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST no itinerário da reforma agrária despertou a necessidade da criação de organizações associativas para a comercialização dos produtos dos assentados. Baseados na solidariedade, a fundação de cooperativas foi uma prática evidente do movimento. Este trabalho teve como objetivo registrar a análise da cooperativa Coopercam protagonizada pelos seus associados por meio da utilização da matriz FOFA como ferramenta. Evidenciou-se que a ferramenta colabora na visualização das características da cooperativa, mais especificamente seus pontos fortes e fracos, tanto em âmbito interno quanto externo. Além disso, o acompanhamento deste processo permitiu inferir que o envolvimento e a participação dos associados colaboram para a melhoria da cooperativa em seus aspectos.


Keywords


MST; reforma agrária; cooperativismo; economia solidária; desenvolvimento rural sustentável

References


ALTIERI, M. Bases científicas para uma agricultura sustentável. 3 ed. Rio de Janeiro: Expressão Popular, 2012, 400p.

ANDRADE, D. P. Economia Solidária e Comércio Justo: um estudo de caso da Cooperativa Central do Cerrado-DF. 2011. 37p. Relatório de estágio (Bacharelado em Gestão do Agronegócio) – Universidade de Brasília, Brasília, 2011.

APPIO, J.; SCHARMACH, A. L. da R.; SILVA, A. K. L. da.; CARVALHO, L. C. de.; SAMPAIO, C. A. C. Análise SWOT como diferencial competitivo: um estudo exploratório na cooperativa MUZA Brasil. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada. Blumenau, v. 3, n. 3, p. 1-18, 2009.

BENINI, E. A.; BENINI, E. G. Reforma Agrária no contexto da Economia Solidária. Revista NERA. Presidente Prudente, v. 11, n. 13, p. 1-10, 2012.

CALDAS, E. de L.; ÁVILA, M. L. Continuidade de políticas públicas e o caso do Programa

Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Revista Espaço Acadêmico. Maringá, v. 13, n. 148, p. 77-84, 2013.

CHRISTOFFOLI, P. I. Estímulo à cooperação entre os beneficiários da reforma agrária. Revista da Associação Brasileira de Reforma Agrária. Campinas, v. 34, n. 2, p. 135-147, 2007.

DIAS, R. de O. G. G.; FERREIRA, A. C. S. A matriz SWOT como ferramenta de gestão estratégica: o caso do Centro de Operações da Área Financeira Petrobras. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CUSTOS, 16., 2009, Fortaleza. Anais. Fortaleza: ABC, 2009. p. 1-16.

FABRINI, J. E.; ROOS, D.; MARQUES, E. B.; GONÇALVES, L. D. Lutas e resistências no campo paranaense e o projeto Dataluta-PR. Revista NERA. Presidente Prudente, v. 15, n. 21, p. 1-17, 2013.

FERREIRA, P. A.; PEREIRA, J. R.; ALENCAR, E.; SANTANA, A. C. Estado e agricultores familiares: uma análise interpretativa sobre o desenvolvimento rural no Sul de Minas Gerais. Revista de Economia e Sociologia Rural. Brasília, v. 47, n. 3, p. 767-792, 2009.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa participativa. UECE. Fortaleza, mai. 2002. Apostila. Disponível em: < http://www.ia.ufrrj.br/ppgea/conteudo/conteudo-2012-1/1SF/Sandra/apostilaMetodologia.pdf> Acesso em: 08 set. 2017.

FREIRE, P. Comunicação ou extensão. Rio de Janeiro: Ed. Paz e Terra, 1983. 93p.

GAZOLLA, M.; SCHNEIDER, S. Qual "fortalecimento" da agricultura familiar? Uma análise do Pronaf crédito de custeio e investimento no Rio Grande do Sul. Revista de Economia e Sociologia Rural. Brasília, v. 51, n. 1, p. 45-67, 2013.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007. 176 p.

JORGE, A.; GREGOLIN, M. R.; ALBERTON, V.; TELEGINSKI, M.; FREITAS, C. C. G.; SILVA, A. Q. Análise por meio da matriz FOFA das Associações e Cooperativas do Território Centro Sul do Paraná. In: JORNADA QUESTÃO AGRÁRIA E DESENVOLVIMENTO, 2, 2013, Curitiba. Anais. Curitiba: UFPR, 2013. p. 1-15.

MIRALHA, W. Questão agrária brasileira: origem, necessidade e perspectivas de reforma hoje. Revista NERA. Presidente Prudente, v. 9, n. 8, p. 151-172, 2006.

SINGER, P. Introdução à economia solidária. São Paulo: Perseu Abramo, 2002. 127p.

SILVEIRA, D. T.; CÓRDOVA, F. P. A pesquisa Científica. In: GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. (org.) Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. p. 31-42.

SPINK, P.; CLEMENTE, R.; KEPPKE, R. Governo local: o mito da descentralização e as novas práticas de governança. Revista de Administração. São Paulo, v. 34, n.1, p.61 – 69, 1999.

STEDILE, J. P.; FERNANDES, B. M. Brava Gente: A trajetória do MST e a luta pela terra no Brasil. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 1999. 167p.

SZMRECSÁNYI, T. Expansão do Agronegócio e Ameaças à Soberania Alimentar: o Problema dos Biocombustíveis. Revista da Associação Brasileira de Reforma Agrária. Campinas, v. 34, n. 2, p. 149-154, 2007.

TABARRO, C.; ENGELMANN, M. I.; ANDRADE, M.; FERREIRA, R. L. A. Estudo de caso de propriedade rural agroecológica com manejo agroflorestal. In: CONGRESSO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DA UNIOESTE, 8, 2016, Marechal Cândido Rondon. Anais do VIII SECIAGRA. Marechal Cândido Rondon: Unioeste, 2016. p. 583-585.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 2008. p. 14.

WRIGHT, P. L.; KROLL, M. J.; PARNELL, J. Administração Estratégica: conceitos. São

Paulo: Atlas, 2000. p. 86.

YIN, R. Estudo de caso: Planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001. 205 p.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.