O papel dos municípios na implementação e fiscalização das disposições da política nacional de recursos hídricos em relação à perfuração de poços artesianos / The role of municipalities in implementing and monitoring the provisions of the national water resources policy in relation to the drilling of artesian wells

Aline Rodriguero Dutra

Abstract


O presente trabalho objetiva analisar o julgado proferido pelo Superior Tribunal de Justiça no RESP nº 994.120-RS, evidenciando a competência dos municípios para a fiscalização das disposições da Lei de Política Nacional de Recursos Hídricos no tocante à perfuração de poços artesianos. A perfuração de poços de forma indiscriminada coloca em risco os aquíferos que abastecem as cidades, a saúde e segurança da população. Muitos municípios mantem-se inertes diante destes casos sob a justificativa de que essa atuação é privativa dos Estados-Membros, uma vez que a estes foi constitucionalmente relegada a propriedade das águas subterrâneas. A decisão judicial analisada denota que é plenamente possível, e também obrigatório, aos entes municipais fiscalizarem e regulamentarem o uso dos recursos hídricos em seu território, privilegiando as políticas públicas locais e o princípio da máxima proteção socioambiental em detrimento da distribuição estática de competências constitucional.


Keywords


recursos hídricos; poços; competências; fiscalização; municípios

References


BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em: 11, mai., 2017.

BRASIL. Lei nº 9.433 de 08 de janeiro de 1997 – Política Nacional de Recursos Hídricos. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1997. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9433.htm. Acesso em: 11, mai., 2017.

BRASIL. 2ª Vara Cível da Comarca de Erechim no Rio Grande do Sul. Processo nº 013/1.06.0001042-4. Autor:Condomínio San Sebastian. Réu: Município de Erechim. Erechim, 24, abr., 2006.

BRASIL. Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Apelação cível nº 70016384083. Apelante: Município de Erechim. Apelado: Condomínio San Sebastian. Rio Grande do Sul, 01, nov., 2006.

BRASIL. Lei nº 11.445 de 05 de janeiro de 2007 – Política Nacional de Saneamento Básico. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 2007. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Lei/L11445.htm. Acesso em: 11, mai., 2017.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Recurso Especial nº N. 994.120-RS. Recorrente: Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul e Município de Erechim. Recorrido: Condomínio San Sebastian. Brasília, 25, ago., 2009. Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/19114484/recurso-especial-resp-994120-rs-2007-0234852-0/inteiro-teor-19114485. Acesso em: 07, mai., 2017.

INSTITUTO DAS ÁGUAS DO PARANÁ. Outorga de Uso de Recursos Hídricos. Disponível em: http://www.aguasparana.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=10. Acesso em: 11, mai, 2017.

SCORSAFAVA, Maria Anita; SOUZA, Arlete de; STOFER, Monica; et al. Avaliação físico-química da qualidade de água de poços e minas destinada ao consumo humano. Rev. Inst. Adolfo Lutz (Impr.) vol.69 no.2 São Paulo 2010. Disponível em: http://periodicos.ses.sp.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0073-98552010000200013&lng=pt&nrm=iso=pt. Acesso em: 10, mai., 2017.

VIEGAS, Eduardo Cora. Comentários ao RECURSO ESPECIAL N. 994.120-RS (2007/0234852-0). Revista do Superior Tribunal de Justiça. Volume 237, Ano 27, janeiro/fevereiro/março de 2015. 2015, pag. 472-478. Disponível em: https://ww2.stj.jus.br/docs_internet/revista/eletronica/stj-revista-eletronica-2015_237.pdf. Acesso em: 07, mai., 2017.

VILLAR, Pilar Carolina. AS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS E O DIREITO À ÁGUA EM UM CONTEXTO DE CRISE. Ambiente&Sociedade, São Paulo v. XIX, n. 41, p.83-102, jan.-mar. 2016. Disponível em: http://www.redalyc.org/html/317/31745308009/. Acesso em: 13, mai., 2017.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.