Avaliação do conforto térmico no edifício v2 da Universidade de Passo Fundo - Brasil/Evaluation of thermal comfort on the building v2 of Univeristy of Passo Fundo - Brazil

Marcos Antonio Leite Frandoloso, Angelica dos Santos Bier, Bruna Maziero, Fábio Lamaison Pinto, Julia de Freitas Spader, Matheus Scaglia Mainardi, Melissa Alencar Azevedo

Abstract


O conforto térmico em um edifício é importante para o bem-estar dos usuários e para o bom desempenho das atividades desenvolvidas dentro do ambiente construído. Portanto, é necessária a manutenção dos níveis adequados de temperatura e umidade relativa para garantir a eficiência energética e minimizar o uso de sistemas de condicionamento térmico ativos. O objeto de estudo faz parte de um projeto de pesquisa desenvolvido na Universidade de Passo Fundo - UPF, e tem como elemento de análise o edifício V2. Concomitantemente com a ocupação do prédio em 2015, as análises verificam as condições térmicas das salas de aula através das variáveis de temperatura de bulbo seco e umidade relativa por meio de Data-Loggers. Os dados obtidos a partir das medições permitiram uma compilação de diagramas temporais e sazonais. Além disso, as informações foram analisadas com base nas características e no desempenho da envoltória do edifício. Dessa forma, observou-se que as sensações térmicas dos ambientes internos, considerando a complexidade climática de Passo Fundo, indicam vários períodos de desconforto. Com base no diagnóstico dos dados, buscam-se melhorias nos ambientes universitários, para alcançar um melhor desempenho acadêmico dentro da estrutura em análise, bem como todo o parque construído.


Keywords


Conforto térmico. Eficiência energética. Edifícios Universitários. Condicionamento térmico.

References


ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 16401-2: instalações de ar-condicionado. sistemas centrais e unitários. parte 2: parâmetros de conforto térmico. Rio de Janeiro: ABNT, 2008.

ASHRAE. AMERICAN SOCIETY OF HEATING, REFRIGERATING AND AIR-CONDITIONING ENGINEERS. ASHRAE Handbook: fundamentals. Atlanta – USA: ASHRAE, 2001.

ASHRAE. AMERICAN SOCIETY OF HEATING, REFRIGERATING AND AIR-CONDITIONING ENGINEERS. ASHRAE Standard 55: Thermal environmental conditions for human occupancy. Atlanta - USA: ASHRAE, 2004.

BRASIL. Ministério do Trabalho. NR 17 - ergonomia. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978; atualizada pela Portaria SIT n.º 13, de 21 de junho de 2007.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - INMETRO. Portaria n.º 50, de 01 de fevereiro de 2013. In: INMETRO [On-line]. Disponível em: . Acesso em: 18 set. 2017. 2013a.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - INMETRO. Portaria n.º 299, de 19 de junho de 2013. In: INMETRO [On-line]. Disponível em: . Acesso em: 18 set. 2017. 2013b.

CUCHÍ I BURGOS, A. La qualitat ambiental als edificis. Barcelona, Generalitat de Catalunya, 2009.

DE DEAR, R.J.; BRAGER, G.S. Developing an adaptive model of thermal comfort and preference. ASHRAE Technical Data Bulletin. Atlanta - USA: ASHRAE, 1998, vol. 14, n.1, p. 27-49. ISSN 0884-0490.

DE DEAR, R.J.; BRAGER, G.S. Thermal comfort in naturally ventilated buildings: revisions to ASHRAE Standard 55. Energy and Buildings, July 2002, vol. 34, p. 549–561. ISSN 0378-7788. Special Issue on Thermal Comfort Standards.

GIVONI, B. Comfort, climate analysis and building design guidelines. Energy and Buildings, 1992, vol. 18, p. 11-23.

ISO. INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 7730: Ergonomics of the thermal environment -- Analytical determination and interpretation of thermal comfort using calculation of the PMV and PPD indices and local thermal comfort criteria. Genève: ISO, 2005.

LEHMANN, M. et al. University engagement and regional sustainability initiatives: some Danish experiences. Journal of Cleaner Production, v. 17, issue 12, august 2009, p. 1067-1074.

MENDELL, M. J.; HEATH, G. A. Do indoor pollutants and thermal conditions in schools influence student performance? a critical review of the literature. Indoor Air Journal, Jan. 2005, vol. 15, issue 1, p. 27-32.

REBELATTO, B. G.; FRANDOLOSO, M. A. L.; FRITSCH, R. C. Envelope assessment of university building on South Brazil reaching the eco-efficiency. In: SBE16 BRAZIL & PORTUGAL. SUSTAINABLE URBAN COMMUNITIES TOWARDS A NEARLY ZERO IMPACT BUILT ENVIRONMENT. 2016, Vitória, Brazil. Anais eletrônicos... Vitória: UFES/Universidade do Minho, 2016. Disponível em:. Acesso em: 26 ago. 2017.

ULSF UNIVERSITY LEADERS FOR A SUSTAINABLE FUTURE. Declaración de Talloires: declaración de líderes de universidades para un futuro sostenible. In: ULSF. [On-line]. ULSF, 1990. Disponível em:. Acesso em: 14 jan. 2005.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n9-040

Refbacks

  • There are currently no refbacks.