Políticas educacionais e organização no período de acolhimento e da adaptação na educação infantil/Educational policies and organization in the period of reception and adaptation in early childhood education

Benjamim Machado de Oliveira Neto

Abstract


A proposta visa desenvolver um estudo sobre as políticas educacionais e organização no período de acolhimento e da adaptação na Educação Infantil, sendo um trabalho que aborda a necessidade das crianças adaptarem-se à nova realidade e a importância da instituição oferecer as condições adequadas. O objetivo do trabalho é apresentar uma pesquisa que abrange o estudo acerca da acolhida das crianças na instituição e refletir sobre a complexidade do processo de adaptação, a fim de mostrar que é um momento ímpar para o desenvolvimento afetivo e social. Conhecer as teorias sobre o contexto histórico da concepção da criança e da infância, as políticas nacionais e a organização do ambiente escolar. Analisar o nível de complexidade do processo de acolhimento e adaptação no período que os alunos começam a estudar, já que é um momento onde as crianças se deparam com um mundo novo e tem que lidar com diversas situações. O procedimento metodológico tem como base a investigação bibliográfica e de materiais específicos, como a leitura de artigos científicos, teses, monografias e livros, tais como: Ahmad (2009); Aries (1981); Kramer (2006); Ortiz (2000); Oliveira (2002). A evolução histórica da concepção da criança e da infância é um estudo que se desenvolveu em diferentes conceitos no decorrer do tempo, já que no primeiro momento era considerado a vida do sujeito, enquanto na segunda etapa, analisou-se a história, o meio social e a cultura do indivíduo. Após a escola virar um lugar regulamentado por leis, com base em direitos e garantias, as instituições passaram a ser um local administrativo e da responsabilidade do governo, com um modelo de ensino que possibilitaria um maior acesso à população e com um funcionamento amplo para atender à demanda da sociedade. Desse modo, o período do acolhimento e adaptação na educação infantil é um momento difícil, seja para a relação dos pais com os filhos quanto para os educadores e os alunos, tendo em vista que é uma situação que afeta a todos que estão envolvidos e mostra a importância da parceria entre a família e a escola para criar um ambiente que possibilite atender às demandas das crianças. Por fim, a pesquisa é composta por seguintes tópicos: linhas históricas sobre a concepção de criança e infância; as políticas nacionais; a organização do âmbito escolar; o valor do período de acolhimento e da adaptação.


Keywords


Políticas Educacionais. Organização. Acolhimento. Adaptação. Educação Infantil.

References


AHMAD, Leila Azize Souto. Um breve Histórico da Infância e da Instituição de Educação Infantil. São Paulo: V.00. p. eletrônica. Junho de 2009.

ARIES, Philippe. História Social da Criança e da Família. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

CRAIDY, Carmem Maria. A Educação infantil e as novas definições da legislação. In: CRAIDY, Carmem: KAERCHER, Gládis E. (orgs). Educação Infantil pra que te quero?. Porto Alegre: Artmed, 2011.

ROCHA, E. A. C. A pesquisa em educação infantil na Brasil – Trajetória recente e perspectiva de consolidação de uma Pedagogia da Educação Infantil.Florianópolis: UFSC, Centro de Ciências da Educação, Núcleo de Publicações, 1999.

FERREIRA, Maria Clotilde Rossetti. Os fazeres na Educação Infantil. São Paulo. Cortez, 2000.

FORTUNATI, Aldo. A Educação Infantil como Projeto da Comunidade: crianças, educadores e pais nos novos serviços para infância e a família. A experiência da San Miniato: Porto Alegre, Artamed, 2009.

GIL, D. B. A. Organização da rotina na Educação Infantil: um olhar para o tempo, o espaço e o brincar. 2014. 44 f. Monografia (Especialização em trabalho pedagógico na Educação Infantil) – Universidade Estadual de Londrina, 2014.

KRAMER, Sônia. A Infância e sua singularidade. In: BRASIL. Ministério da Educação. Ensino Fundamental de nove anos: orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade. Brasília: FNDE, 2006.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de. Educação Infantil: Fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

ORTIZ, Gisele. Adaptação e Acolhimento: Um cuidado inerente ao projeto educativo da instituição e um indicador de qualidade do serviço prestado pela instituição. 2000. Disponível em: < http: // www. revistaescola .abril .com .br /gestão-escolar / acolhida-gisele-ortiz.pdf > Acesso em: 10 de Fevereiro de 2019.

SCHITZ, Egídio. Fundamentos da Didática. 7° Ed. São Leopoldo, RS: Editora Unisinos, 2000.

SHEFFER, Natacha. Afetividade e Cognição: a importância das relações subjetivas que se estabelecem entre o professor e o aluno. Dissertação (Mestrado), Pontifícia Universidade Católica de Porto Alegre, 2003.

STRENZEL, GiandréaReuss. Tempo de chegada na creche: conhecendo-se e fazendo-se conhecer. In: Revista Zero a Seis. Seção Cotidiano na Educação Infantil. n. 6, agosto/dezembro 2002. Disponível: < http: // www .ced .ufsc .br/~zeroseis/cotid_giandrea . html. > Acesso em: 20 de Fevereiro de 2019.

RINALDI, C. ReggioEmilia. A imagem da criança e o ambiente em que ela vive como princípio fundamental. In: GANDINI, L; EDWARDS, C. (org). Bambini: a abordagem italiana à Educação Infantil. Porto Alegre: Artemed, 2002.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n9-034

Refbacks

  • There are currently no refbacks.