Atividades complementares: importância e formação integral de estudantes de engenharia química / Complementary activities: importance and integral formation of chemical engineering students

Pedro Prates Valério, Daniel Bastos de Rezende, Ana Brandao Belisário, Taís Resende Costa, Marcelo Cardoso

Abstract


O decorrer do século XXI tem sido marcado por dinamismo e por processos de mudanças constantes na sociedade. Desafios que decorrem desse cenário também se aderem à demanda por inovação em sala de aula, inclusive considerando metodologias que signifiquem a aprendizagem. Significar o conteúdo consiste em apresentá-lo, de maneira lógica, dependente da natureza do conteúdo. Torná-lo psicologicamente significativo também depende da experiência e da experimentação. Trazendo o foco para graduação em Engenharia, cursos relacionados devem possuir projeto pedagógico que contemple o conjunto de atividades de aprendizagem e assegurem o desenvolvimento das competências, estabelecidas no perfil do egresso, incluindo, em suas especificações, atividades complementares. Pondera-se que contextos que promovam a imersão de estudantes, em experiências formativas continuadas, tendem a, de fato, potencializar formações integrais de futuros profissionais. O presente estudo levanta o grau de imersão de estudantes de graduação em engenharia química, considerando dados quantitativos, percepções e depoimentos relacionados à participação em atividades complementares, enquanto experiências formativas, propondo ações que potencializem a formação integral de futuros engenheiros. Percebe-se que atividades complementares desempenham papel fundamental na potencialização da formação integral de futuros profissionais. Sugere-se que incorporações de ferramentas tecnológicas podem culminar na ampliação da compatibilidade entre atividades complementares e rotinas estudantis. Destacam-se propostas de atividades envolvendo problemas reais, sob perspectivas multidisciplinares e transdisciplinares, com alinhamento construtivo de soluções. O estudo segue sentido de implementação de práticas que, com acepção, potencializem engajamento, autonomia, protagonismo, e imersão consciente, em processos de aprendizagem.

 

 


Keywords


Atividades Complementares, Engenharia Química, Processo Formativo, Aprendizagem significativa, Experiências Formativas

References


BRASIL. Ministério da Educação. CNE/CES. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia. Brasília, 2019.

COYLE, D. The Talent Code. 1. ed. New York, NY: Bantam Books, 2009.

MIRANDA, T. L. S.; SALUM, A. Projeto Pedagógico: Curso de Graduação em Engenharia Química. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2007.

TONINI, A. M. Ensino de Engenharia: Atividades Acadêmicas Complementares na Formação do Engenheiro. 2007. Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, 2007.

BERBEL, N. A. N. B.; As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2011.

ARRUDA, M. P.; ARRUDA, R. P.; Lima; STEFENON, S. F. Metodologias Ativas para Promover Autonomia: Reflexões de Professores do Ensino Superior. ESPACIOS. v. 38, p. 2-15, 2017.

FERREIRA, M. Ensino e Aprendizagem no Ensino Superior. Revista Arquipélago – Ciências da Educação, Universidade dos Açores, v. 12, p. 121-144, 2011.

FRANCO, D. S.; SEIBERT, A. Z. A importância da Empresa Júnior para uma aprendizagem andragógica. Revista Brasileira do Ensino Superior. v.3. n.4. 2017

MORIN, E. Para sair do século XX. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

MEIER, M.; GARCIA, S. Mediação da Aprendizagem: contribuições de Feuerstein e de Vygotsky. Curitiba, Edição do autor. 3ª Ed. 2008.

PELIZZARI, A. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Revista PEC,

Curitiba, v.2, n.1, p. 37-42, jul. 2001 – jul. 2002.

MENDONÇA, J. C. F.; LEITE, R.; LADEIRA, A. P.; XAVIER, P. O. C.; ALMEIDA, A. F.; PRATES-VALÉRIO, P.; GROSSI, A. C. S. Metodologia Ativa no Ensino ne Engenharia: Uma Experiência Continuada com Alunos e Professores do Laboratório de Cálculo. COBENGE, Joinvile, Anais. 2017.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n9-025

Refbacks

  • There are currently no refbacks.