Conhecimento, trabalho e escravidão da diáspora Africana no Brasil em diálogos com Alberto da Costa e Silva / Knowledge, work and slavery of the African diaspora in Brazil in dialogues with Alberto da Costa and Silva

Flavia Alves Santos, Ana Louise de Carvalho Fiúza, Carlos Ernesto Schaefer

Abstract


Através da discussão das obras do africanista Alberto da Costa e Silva busca-se ampliar o diálogo a respeito das interações, miscigenações e possíveis traduções resultantes do contato dos povos africanos no Brasil, quando da sua colonização e formação. Utiliza-se as concepções de hibridismo cultural, colonialidade e modernidade conjugadas às obras analisadas: “A Enxada e a Lança” e “A Manilha e o Libambo”, além de uma entrevista realizada em Setembro 2017 com o autor. Objetivou-se compreender como a absorção dos conhecimentos africanos podem ser entendidos através do discurso de colonialidade. Concluiu-se que as formas sociais de subjugação dos negros no Brasil podiam ser relativizadas, desde que fossem “embranquecidos” socialmente, reforçando o discurso de colonialidade.


Keywords


colonialidade, mestiçagem, hibridismo, africanos

References


ALFAGALI, Crislayne Gloss Marão. Uma historia de Benguela na Economia do Atlântico Sul. Topoi, Rio de Janeiro, v. 34, p.202-206, Jan/Abr. 2017.

ASSIS, Wendell Ficher Teixeira. Do colonialismo à colonialidade: expropriação territorial na periferia do capitalismo. Caderno CRH, Salvador, v.72, p.613-627, Set/Dez.2017.

BERNARDINO-COSTA, Joaze. Decolonialidade, Atlântico Negro e intelectuais negros brasileiros: em busca de um diálogo horizontal. Revista Sociedade e Estado, v.1, p.119–137, Janeiro/Abril. 2018

CANCLINI, Nestor Garcia. Culturas híbridas, poderes oblíquos. In: _____. Culturas Híbridas - estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo, EDUSP. 1997. p.283-350.

CARDOSO, João Batista. Hibridismo cultural na América Latina. Itinerários, Araraquara, 27: 79-90, Julho/Dezembro.2008.

CEVASCO, Maria Elisa. Hibridismo cultural e globalização. ArtCultura, Uberlândia, v.12, p.131–138. 2003.

COSTA E SILVA, Alberto. A enxada e a lança: A África antes dos portugueses. Rio de Janeiro, Nova Fronteira. 1996a. 952p.

COSTA E SILVA, Alberto. A manilha e o libambo: A África e a escravidão de 1500 à 1700. Rio de Janeiro, Nova Fronteira/ Fundação Biblioteca Nacional. 2002b. 1076p.

COSTA, Sérgio. Desigualdades, interdependências e afrodescendentes na América Latina. Tempo Social, São Paulo, v.2, p. 123 – 145, Nov.2012.

DUBY, Georges. Economia Rural e vida no campo no Ocidente Medieval. Lisboa, Edições 70. 1962

DUSSEL, Enrique. El encubrimiento del otro: hacia el origen del mito de la modernidad. La Paz, UMSA. Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación Plural Editores. 1994.

FERNANDES, Florestan. O negro no mundo dos brancos. São Paulo, Global. 2007.313p.

GUEDES, Roberto. Ofícios mecânicos e mobilidade social: Rio de Janeiro e São Paulo (Sécs.XVII-XIX). Topoi, Rio de Janeiro, v.13,p.379-423, dez.2006.

HANNERZ, Ulf. Fluxos, fronteiras, híbridos: palavras-chave da antropologia transnacional. Mana. Rio de Janeiro, n.1, p. 7-39, Abr. 1997.

HARRIS, Marvis. Town and country in Brazil. Nova York, Columbia University. 1956.

MACEDO, Sérgio Diogo Teixeira de. Crônica do negro no Brasil. Rio de Janeiro, Record. 1974. 134p.

MALDONALDO-TORRES, Nelson. Sobre la colonialidad del ser: contribuciones al desarrollo de un concepto. In: CASTRO-GÓMES, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón. El giro de- colonial. Reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá, Siglo del Hombre Editores; Universidad Central; Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos y Pontificia Universidad Javeriana; Instituto Pensar. 2007. p. 127-167.

MEDEIROS, Anna Julia Giurizatto. (2009), Aculturação no Brasil: conhecimentos colonizados. Disponível em: http://www.aacademica.org/000-062/1200. Acesso em 29.01.2019

MIGNOLO, Walter. Colonialidade: O lado mais escuro da modernidade. Revista Brasileira de Ciências Sociais. São Paulo, n. 94, p. 1–18. 2017.

PAIVA, Eduardo França. Trabalho, fortuna e mobilidade de negros, crioulos e mestiços no Brasil do seculo XVIII. Portuguese Literary & Cultural Studies. Dartmouth, n.23/24, p. 27-54. 2012.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: CLACSO, C. L. DE C. S. (Ed.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires, p. 117-142. 2005.

QUIJANO, Aníbal. Coloniality and modernity/rationality. Cultural studies, Routledge, n.21, p. 168 -178. 2007.

SOUZA, Laura de Mello e. Nas redes do poder. In: ____. Desclassificados do ouro. Rio de Janeiro, Graal, 1979. p. 91-140.

VASCONCELOS, Pedro de Almeida. COMPLEXIDADE RACIAL: mitos e realidades em duas freguesias de Salvador em 1775. Caderno CRH, Salvador, , n.55, p.163-172, jan./abr. 2009.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n9-021

Refbacks

  • There are currently no refbacks.