Perfil comparativo dos estabelecimentos agropecuários que acessaram crédito rural via cooperativas de crédito: uma análise dos microdados do censo agropecuário 2006 / Comparative profile of agricultural establishments that accessed rural credit through credit cooperatives: an analysis of the microdata of the agricultural census 2006

Amanda Massaneira de Souza Schuntzemberg, Armando Vaz Sampaio

Abstract


Tendo em vista a importância das cooperativas de crédito em popularizar as finanças no meio rural, o presente estudo buscou caracterizar os estabelecimentos agropecuários que tiveram acesso ao crédito rural, via cooperativas de crédito e via bancos ou outras instituições financeiras, exceto as cooperativas de crédito, bem como os estabelecimentos agropecuários que tiveram restrição de crédito, a fim de verificar diferenças características entre os grupos.A base de dados utilizada foi construída a partir dos microdados do Censo Agropecuário 2006do IBGE. Foram realizadas estatísticas descritivas em função das subdivisões regionais; do tamanho do estabelecimento agropecuário; do tipo de agricultura (Familiar ou Patronal); e do status de acesso ao crédito. De modo geral, observou-se que os estabelecimentos agropecuários que acessaram crédito rural apresentaram características discrepantes dos estabelecimentos que não acessaram crédito de nenhuma fonte.


Keywords


cooperativismo de crédito; crédito rural; estatísticas descritivas; microdados; restrição de crédito

References


AZEVEDO, C.M.; SHIKIDA, P.F.A. Assimetria de informação e o crédito agropecuário: o caso dos cooperados da Coamo-Toledo (PR). Revista de Economia e Sociologia Rural, v.42, n.2, p.267–292, 2004.

BANCO DO BRASIL. Convênio Negocial Pronaf. 2015. Disponível em: . Acesso em: 27/08/2015.

BCB (BANCO CENTRAL DO BRASIL). Crédito Rural. Disponível em:

. Acesso em: 10/11/2015.

BCB (BANCO CENTRAL DO BRASIL).Composição e evolução do SFN. Disponível em: < http://www.bcb.gov.br/?SFNATUALMES>. Acesso em: 14/12/2015.

BITTENCOURT, G.A. Cooperativas de crédito solidário: constituição e funcionamento.

Estudos NEAD, v.2, n.4, 2001.

BITTENCOURT, G.A.Abrindo a caixa preta: o financiamento da agricultura familiar no Brasil. 227f. Dissertação (Mestrado) — Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, Campinas, 2003.

BRASIL (PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA).Lei n. 11.326, de 24 de julho de 2006.Estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais. 2006. Disponível em: . Acesso em: 23/03/2017.

BUAINAIN, A.M.; ALVES, E.; SILVEIRA, J.M.; NAVARRO, Z.Sete teses sobre o mundo rural brasileiro.Revista de Política Agrícola, v.22, n.2, p.105–121, 2013.

BUAINAIN, A.M.; GONZÁLEZ, M.G.; SOUZA FILHO, H.M.; VIEIRA, A.C.P. Alternativas de financiamento agropecuário: experiências no Brasil e naAmérica Latina. Brasília: IICA, 2007.

BÚRIGO, F.L. Finanças e solidariedade: cooperativismo de crédito rural solidário no Brasil. Chapecó, SC: Argos, 2010.

CARRER, M.J.; SOUZA FILHO, H.M.; VINHOLIS, M.M.B. Determinantes da demanda de crédito rural por pecuaristas de corte no estado de São Paulo.Revista de Economia e Sociologia Rural, v.51, n 3, p.455–478, set. 2013.

CAZELLA, A.C.; BERRIET-SOLLIEC, M. O papel das cooperativas de crédito na territorialização das políticas de apoio à agricultura familiar–o caso do movimentos cooperativo no estado de Santa Catarina-SC. Geosul, v.26, n.50, p.83–106, 2010.

CHADDAD, F.R.; LAZZARINI, S.G. Relações contratuais de crédito agrícola e o papel dos agentes financeiros privados: teoria e evidências dos EUA. Revista de Economia e Sociologia Rural, v.41, p.29–52, 2003.

CHAVES, S.S. O cooperativismo de crédito no Brasil: evolução e perspectivas. In: DODL, A. B.; BARROS, J.R.N.; LEITÃO, M. (Ed.). Desafios do Sistema Financeiro Nacional: o que falta para colher os benefícios da estabilidade conquistada. Rio de Janeiro: Elsevier-Campus, 2011. p.69–97.

CHEN, K.; CHIVAKUL, M. What Drives Household Borrowing and Credit Constraints?Evidence from Bosnia and Herzegovina. IMF Working Papers, p.1–34, 2008.

DIAGNE, A.; ZELLER, M. Access to credit and its impact on welfare in Malawi.Washington, DC, 2001.

GIL, A.C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GOYAL, A.; GONZÁLEZ-VELOSA, C. Improving agricultural productivity and market efficiency in Latin America and the Caribbean: How icts can make a difference? Journal of Reviews on Global Economics, v.2, p.172–182, 2013.

GUIRKINGER, C.; BOUCHER, S. R. Credit constraints and productivity in Peruvian agriculture.Agricultural Economics, v.39, n.3, p.295–308, 2008.

IBGE (INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA). Censo Agropecuário. 2006. Disponível em: . Acesso em: 25/03/2017.

IQBAL, F. The demand and supply of funds among agricultural households in India. In: SINGH, I.; SQUIRE, L.; STRAUSS, J. (Ed.). Agricultural Household Models: Extensions,

Applications and Policy. Baltimore, MD: World Bank, 1986. p.183–205.

KAGEYAMA, A. A.; BERGAMASCO, S. M. P. P.; OLIVEIRA, J. T. A. Uma tipologia dos estabelecimentos agropecuários do Brasil a partir do censo de 2006. Revista de Economia e Sociologia Rural, v.51, p.105–122, 2013.

MAGALHÃES, M. M.; SOUZA FILHO, H.M.; SOUSA, M.R.; SILVEIRA, J.M.F.J.; BUAINAIN, A.M. Land reform in NE Brazil: a stochastic frontier production efficiency evaluation. Revista de Economia e Sociologia Rural, v.49, n.1, p.9–30, 2011.

MEINEN, E.; PORT, M. Cooperativismo de crédito no Brasil. In: ______. O Cooperativismo de crédito ontem, hoje e amanhã. Brasília: Confebrás, 2012. p.101–154.

MENDES, C.I.C.; BUAINAIN, A.M.; FASIABEN, M.C.R. Heterogeneidade da agricultura brasileira no acesso às tecnologias da informação.Espacios, v.35, n.11, p.11, 2014.

MISSIO, F.J.; JAYME JR., F.G.; OLIVEIRA, A.M.H.C. Desenvolvimento financeiro e crescimento econômico: teoria e evidência empírica para os estados brasileiros (1995-2004). UFMG/Cedeplar, Belo Horizonte, 2009. Textos para discussão; 379.

MUSHINSKI, D. An analysis of offer functions of banks and credit unions in Guatemala. Journal of Development Studies, v.36, n.2, p.88–112, 1999.

NAIR, A.; KLOEPPINGER-TODD, R. Reaching Rural Areas with Financial Services: Lessons from Financial Cooperatives in Brazil, Burkina Faso, Kenya and Sri Lanka. World

Bank, Washington, D.C., 2007. Discussion Paper; 35.

RAMOS, S.Y.; MARTHA JR., G.B. Evolução da política de crédito rural brasileira. Embrapa Cerrados, Planaltina, DF, 2010. Documentos; 292.

SANTOS, R.B.N.; BRAGA, M.J. Impactos do crédito rural na produtividade da terra e do trabalho nas Regiões Brasileiras. Economia Aplicada, v.17, n.3, p.299–324, set. 2013.

SILVA, V.C.; BACHA, C.J.C. Análise do funcionamento e da evolução das cooperativas de crédito rural no Brasil de 1990 a 2005. Pesquisa & Debate, v.18, n.2, p.197–222, 2007.

SILVA, M.A. Impacto do Sistema Cooperativo de Crédito na Eficiência do Sistema Financeiro Nacional. BCB, Brasília, ago. 2011. Trabalhos para Discussão; 246.

SOARES, M.M.; MELO SOBRINHO, A.D. Microfinanças: O papel do Banco Central do Brasil e a importância do cooperativismo de crédito. Brasília: BCB, 2008.

SOUZA FILHO, H.M. et al. Condicionantes da adoção de inovações tecnológicas na agricultura. Cadernos de Ciência & Tecnologia, v.28, n.1, p.223–255, 2011.

TRAN, M. C.; GAN, C.E.C; HU, B. Credit constraints and impact on farm household welfare: Evidence from Vietnam’s North Central Coast region. International Journal of Social Economics, v.43, n.8, p782–803, 2016.

WCCU (WORLD COUNCIL OF CREDIT UNIONS).2014 Statistical Report. Madison, WI: WCCU, 2014. Disponível em: . Acesso em: 28/11/2015.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.