O perfil dos representantes de Organizações Não Governamentais (ONGs) brasileiras é relacionado com a utilização de práticas gerenciais de mensuração de desempenho? / Is the profile of representatives of Brazilian Non-Governmental Organizations (NGOs) related to the use of performance measurement management practices?

Alan Santos de Oliveira, Antônio André Cunha Callado

Abstract


O objetivo geral deste estudo foi analisar a relação entre o perfil dos representantes de Organizações Não Governamentais (ONGS) brasileiras e a utilização de práticas gerenciais associadas à mensuração de desempenho. A pesquisa foi classificada como exploratória-descritiva.Utilizou-se uma survey por correspondência, através de questionário padronizado, fundamentando-se nos estudos de Ferreira e Otley (2009) e Wadongo (2014). A amostra da pesquisa foi formada por 43 ONGs cadastradas na Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (ABONG). Para analisar a relação proposta, utilizou-se o coeficiente de correlação de Spearman, considerando estatisticamente significantes aqueles com níveis de 99% (p= 0,01). Os principais resultados revelaram que a utilização de práticas planejamento de desempenho foi relacionada significativamente com a idade dos representantes (presidentes ou gestores) das ONGs; tempo de atuação e escolaridade. Em relação a utilização de metas de desempenho, foi relacionada significativamente com a escolaridade e o tempo de atuação dos representantes nas organizações. No que se refere ao uso de indicadores de desempenho, mais uma vez, a escolaridade e o tempo de atuação foram relacionados significativamente. No que tange a utilização de instrumentos de coleta de dados, apenas a escolaridade foi relacionada significativamente. Por fim, verificou-se que a idade e o sexo dos representantes das ONGs, foram relacionados significativamente com o uso de recompensas e sanções. Diante dos resultados apresentados, constatou-se que o perfil dos representantes das ONGs influenciou na utilização de práticas gerenciais associadas à mensuração desempenho, por meio de uma série de associações estatisticamente significativas identificadas.


Keywords


Perfil dos representantes; Mensuração de Desempenho; ONGs

References


ACEVEDO, C. R.; NOHARA, J.J. Como fazer monografias: TCC, dissertações e teses. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2013.

ANDRADE, M.M. Introdução à Metodologia do Trabalho Científico. 10 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS – ABONG. Disponível em:. Acesso em: 31 mai. 2016.

BAND, W. Performance metrics keep customer satisfaction programmes on track, Marketing News. Marketing News, v. 24, n.11, 1990.

BOATENG, A.; AKAMAVI, R. K.; NDORO, G. Measuring performance of non-profit organizations: evidence from large charities. Business Ethics: A European Review, v.25, n.1, p. 59-74, 2016.

BRASIL. Decreto nº 8.726, de 27 de Abril de 2016. Dispõe sobre regras e procedimentos do regime jurídico das parcerias celebradas entre a administração pública federal e as organizações da sociedade civil de que trata a Lei nº 13.019, de 31 de julho de 2014. 2016.

________. Lei Federal nº 13.019/2014. Estabelece o regime jurídico das parcerias voluntárias, envolvendo ou não transferências de recursos financeiros, entre a administração pública e as organizações da sociedade civil, em regime de mútua cooperação, para a consecução de finalidades de interesse público, 2014.

CALLADO, A.A.C.; CALLADO, A.L.C.; ALMEIDA, M.A.; HOLANDA, F.M.A. Relacionando fatores contingenciais com o uso de indicadores de desempenho em empresasdo Porto Digital. Revista de Negócios, v. 17, n.3, p. 20-35, 2012.

CAMPOS, L. et al. Performance Evaluation in Non-Governmental Organizations (NGOs): An Analysis of Evaluation Models and their Applications in Brazil. Voluntas, v. 22. n. 2, p. 238-258, 2011.

CIUCESCU, N.; FERARU, A. The performance of Non-GovernmentalOrganizations.Studies and Scientific Researches, n. 20, p. 116-121, 2014.

DILLON, B. Organizational Leadership and the Balanced Scorecard: Lessons to be learnedfrom Marketing Activities in a Nonprofit Setting. International Journal of Business and Social Science, v. 3, n. 15, p.105-112, 2012.

DRUCKER, P. F. Managing the Nonprofit Organizations: Principles and Practices, Harper

Collins, New York, NY. 1990.

FERREIRA, A., OTLEY, D. The design and use of performance management systems: An extended framework for analysis, Management Accounting Research, v. 20, n. 4, p. 263-282, 2009.

GNEITING, U. Assessing the Effects of Market-Based Performance Measurement on NGOs. Journal of Development and Social Transformation, v. 5, p. 33-42, 2008.

KAPLAN, R. S. Strategic performance measurement and management in nonprofit organizations. Nonprofit Management and Leadership, v. 11, n. 3, p. 353-70, 2001.

LEE, C.; NOWELL, B. A Framework for Assessing the Performance of Nonprofit Organizations. American Journal of Evaluation, v.36, n.3, p.299-319, 2015.

MOUCHAMPS, H. Weighing elephants with kitchen scales: The relevance of traditional performance measurement tools for social enterprises. International Journal of Productivity and Performance Management, v. 63, n. 6, p.727–745, 2014.

OLIVEIRA, A. B. S. Controladoria: fundamentos do controle empresarial. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

RAMADAN, M.A. BORGONOVI, E. Performance Measurement and Management in NonGovernmental Organizations. IOSR Journal of Business and Management, v.17, n.2, p.70-76, 2015.

RIGHI, A.; ANDREONI, V. Towards a comparable and harmonised set of performance indicators for Third Sector organisations: The Italian experience. International Journal of Productivity and Performance Management, v. 63, n. 6, p. 766-778, 2014.

SOARES, E. A. R. Entidades Beneficentes de Assistência Social Educacionais: uma investigação sobre a Medição de Desempenho Organizacional. 2006. 131 p. Dissertação (Mestrado). Programa Multiinstitucional e Inter-Regional e Pós-Graduação em Ciências Contábeis (UnB, UFPE, UFPB, UFRN). Recife, 2006.

SOUZA, F. A.; SOUZA, B. C. Análise de Desempenho em ONGs: propondo um modelo adaptado. RESAC – RevistaSociedade, Administração e Contemporaneidade, v. 1, n. 1, p.21-32, 2011.

SPAR, D.; DAIL, J. Of Measurement and Mission: Accounting for

Performance in Non-Governmental Organizations. Chicago Journal of International Law, v. 3, n. 1, p. 171-181, 2002.

TANGEN, S. A theoretical foundation for productivity measurement and improvement of automatic assembly systems. Licentiate thesis, The Royal Institute of Technology, Stockholm. 2002.

TANGEN, S. Improving the performance of a performance measure. Measuring Business Excellence, v.9, n.2, p. 4-11, 2005.

WADONGO, B. I. Performance management and evaluation in non-profit organisations: an embedded mixed methods approach. Thesis (Doctor of Philosophy in Management Accounting) - University of Bedfordshire, UK, 2014.

WAWERU, N.; SPRAAKMAN, G..The appropriateness of performance measurement systems in the services sector: Case studies from the micro finance sector in Kenya, AAA 2010 Management Accounting Section (MAS), Meeting Paper. 2009.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.