Considerações sobre a aplicação dos princípios jurídicos e das regras no processo de argumentação de decisões do tribunal superior eleitoral: aspectos axiológicos / Considerations on the application of the legal principles and rules in the decision-making process of the superior electoral court: axiological aspects

Jefferson Carús Guedes, Ana Karina Vasconcelos da Nóbrega, Ana Karina Vasconcelos da Nóbrega

Abstract


Direitos Fundamentais e da Teoria da Argumentação Jurídica, o papel das regras e princípios existentes no ordenamento jurídico brasileiro, notadamente no que se refere ao processo de argumentação de decisões do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) envolvendo direitos fundamentais. O problema de pesquisa diz com a forma pela qual se exteriorizam as possibilidades e os limites da racionalidade em julgados que tratam de tais postulados nessa Justiça Especializada. O caminho percorrido nessa explanação tem como ponto de partida a análise de duas Consultas formuladas junto ao TSE que envolvem aplicação de princípios sob a ótica dos pressupostos teóricos selecionados. Avalia-se, de forma sintética, a “Teoria da Argumentação Jurídica” e a “Teoria dos Direitos Fundamentais”, de Robert Alexy, bem como o pensamento de Ronald Dworkin em “O Império do Direito” e “Uma questão de Princípio”. Trata-se de uma pesquisa de caráter bibliográfico e qualitativo. Pelos acórdãos examinados conclui-se que, na solução de conflitos que envolvem princípios jurídicos fundamentais, o TSE utiliza elementos calcados na teoria de Alexy e Dworkin, a exemplo do sopesamento, ponderação, precedência condicionada, entre outros. Esses elementos têm o intuito de dar à demanda uma solução racional, cuja sustentação se projeta ora na prevalência dos princípios da dignidade da pessoa humana e na igualdade de gênero, ora no princípio da imutabilidade do nome.

 


Keywords


Regras e princípios. Colisão. Sopesamento. Precedência condicionada. Argumentação

References


ALEXY, Robert. Teoria da Argumentação Jurídica. Tradução de Zilda Hutchinson Schild Silva. 2. ed. São Paulo: Landy, 2001.

ALEXY, Robert. Teoria dos Direitos Fundamentais. Tradução de Virgílio Afonso da Silva. 5. ed. São Paulo: Malheiros, 2008.

ÁVILA, Humberto. Teoria dos princípios: da definição à aplicação dos princípios jurídicos. 18. ed. São Paulo: Malheiros, 2018.

BASTOS, Celso Ribeiro. Hermenêutica e aplicação constitucional. 3. ed. São Paulo: Celso Bastos Editor, 2002.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 5 ago. 2018.

BRASIL. Lei nº 9.504, de 30 de setembro de 1997. Estabelece normas para as eleições. Diário Oficial da União: seção 1. Brasília, DF, 1º out. 1997. p. 14545. Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=1&data=01/10/1997. Acesso em: 5 ago. 2019.

COELHO, Inocêncio Mártires. Indeterminação do direito, discricionariedade judicial e segurança jurídica. Disponível em: https://www.uniceub.br/media/911057/Indetermina%C3%A7%C3%A3o_do_direito__discricionariedade_judicial_e_seguran%C3%A7a_jur%C3%ADdica___Inoc%C3%AAncio_Colelho.pdf. Acesso em: 5 ago. 2019.

DWORKIN, Ronald. O Império do Direito. Tradução de Jefferson Luis Camargo. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

DWORKIN, Ronald. Uma questão de princípio. Tradução de Luis Carlos Borges. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

DWORKIN, Ronald. Levando os Direitos a sério. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

GUEDES, Jefferson Carús. Igualdade e Desigualdade: introdução conceitual, normativa e histórica dos princípios. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2014.

GRAU, Eros. Por que tenho medo dos juízes. 6. ed. São Paulo: Malheiros, 2013.

HART. H. L. A. O conceito de direito. Tradução de A. Ribeiro Mendes. Portugal (Lisboa): Oxford University Press, 2001.

KELSEN, Hans. Teoria pura do direito. Tradução de João Batista Machado. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

LUHMANN, Niklas. El derecho de la sociedad. México: Herder/Universidad Iberoamericana, 2005.

MELO, Celso Antônio Bandeira de. Curso de Direito Administrativo. 24. ed. São Paulo: Malheiros, 2007.

MÜLLER, Friedrich. Métodos de Trabalho do Direito Constitucional. Porto Alegre: Síntese, 1999.

NEVES, A. Castanheira. Metodologia. Jurídica. Problemas fundamentais. Coimbra: Universidade de Coimbra, 1993. p. 166-76.

PANELLI, Luiz Felipe da Rocha Azevedo. Teoria dos Princípios e Direito Constitucional. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2018.

TRINDADE, André Karan. Robert Alexy e a vulgata da ponderação de princípios. Consultor Jurídico. 16 nov. 2013. Disponível em: https://www.conjur.com.br/2013-nov-16/diario-classe-robert-alexy-vulgata-ponderacao-principios. Acesso em: 3 ago. 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n8-147

Refbacks

  • There are currently no refbacks.