O uso de indicadores de desempenho no processo de gestão de empresas familiares: um estudo de caso em uma organização do setor agroindustrial da região de Ribeirão Preto-SP / The use of performance indicators in the process of family business management: a case study in an organization of the agro-industrial sector of the region of Ribeirão Preto-SP

Evellyze de Cássia Gonçalves, Lesley Carina do Lago Attadi, Cristiane Sonia Arroyo, Rafael Altafin Galli, Maria Mitie Durante Maemura

Abstract


O objetivo geral é mapear os indicadores de desempenho utilizados no processo de gestão de uma empresa familiar do setor agroindustrial da região de Ribeirão Preto - SP. Os indicadores de desempenho são as medidas de desempenho que podem ser utilizadas para induzir os membros da organização a articularem ações coerentes com a estratégia, impulsionando melhorias e mudanças em toda a organização, pois comunicam o que as pessoas estão fazendo, como estão se saindo e se estão agindo de forma coerente com o todo. Nesse sentido, pode-se dizer que as medidas de desempenho promovem o incremento gradual do nível de aprendizagem da organização e contribuem de maneira efetiva para o alinhamento das suas estratégias. Este trabalho é caracterizado como pesquisa aplicada, de caráter descritivo e abordagem qualitativa, utilizando como método de pesquisa o estudo de caso. Como conclusão, verificou-se que o fato da empresa ser familiar não influenciou a implementação e tampouco a utilização dos indicadores de desempenho, pois de forma geral, todos os indicadores de desempenho (marketing, financeiro, logístico e RH) foram implantados em um período em que a empresa foi profissionalizada.

 


Keywords


gestão, desempenho, empresa familiar, indicador, agroindústria.

References


ALBUQUERQUE, A; ROCHA, P. Sincronismo Organizacional. São Paulo: Saraiva, 2007; 166p.

ALMEIDA, A. L. S. D. O conhecimento e a importância das métricas de marketing para gestores de médias e grandes empresas brasileiras. Dissertação (Mestrado)- Pontífica Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2007.

ANGELO, L. B. Indicadores de desempenho logístico. Grupo de Estudos Logísticos. Disponível em: . Acesso em 14 de maio de 2017.

ATKINSON, A.A.; WATERHOUSE, J.H.; WELLS, R.B. A Stakeholder Approach to Strategic Performance Measurement. Management Sloan Review, v.38., n.3, p.25-37.1997

ATTADIA, L. C. L. Uso da medição de desempenho para alinhar e comunicar a estratégia: uma análise crítica do Balanced Scorecard. Dissertação (Mestrado)- Universidade Federal de São Carlos, 2004.

ATTADIA L. C. L Diagnóstico do nível de capacitação gerencial das micro e pequenas empresas: um estudo multicasos no setor moveleiro de São José do Rio Preto-SP. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, 2007

AUDRETSCH, D. B; LEHMANN, E. Entrepreneurial Acess and Absorption of Knowledge Spillovers: Strategic Board and Managerial Composition for Competitive Advantage. Journal of Small Business Management. v. 44, n. 2, p. 55-62, Apr/2006

BARBOSA, D. H.; MUSETTI; M.A.; KUROMOTO, J. S. Sistema de medição de desempenho e a definição de indicadores de desempenho para a área de logística. Disponível em: . Acesso em:18 de abril de 2017.

BOMFIM, E. T. D.; TEIXEIRA, W. D. S.; CALLADO, A.L.C. Utilização de indicadores de desempenho em micros e pequenas empresas: um estudo em empresas localizadas em João Pessoa/PB. Desafio Online. Campo Grande, v.1, n.1, jan/abril. 2013.

BORGES, A. F; LESCURA, C. Aspectos Metodológicos da Pesquisa sobre Empresas Familiares no Brasil. Anais do VI EGEPE, Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas. Recife-PE, 14 a 16 de Abril de 2010.

BRODBECK, A; HOPEN, R. Alinhamento Estratégico entre os Planos de Negócio e de Tecnologia de Informação: um Modelo Operacional para Implementação. RAC, v. 7, n. 3, Jul./Set. 2003: 9-33

CALLADO, A. A. C.; CALLADO, A. L. C.; ANDRADE, L. P. Padrões de utilização de indicadores de desempenho não-financeiros: Um estudo exploratório nas empresas de Serra Talhada/PE. Revista da Associação Brasileira de Custos, v.3, n.2, p.1-23, 2008.

CARDOZA, E; CARPINETTI, L.; MARTINS, R. Estudo sobre o processo de implementação do sistema de medição de desempenho em empresas manufatureiras. XXIII Encontro Nacional de Engenharia de Produção – ENEGEP. Anais. Ouro Preto, 21 a 24 outubro de 2003.

CESAR, A. M. R. V. C. Medidas de desempenho na área de recursos humanos e seu relacionamento com indicadores de desempenho econômico. REGE. São Paulo, v.22, n.1, p.77-94, jan/mar.2015.

CONCEIÇÃO, S. V.; QUINTÃO, R. T. Avaliação do desempenho logístico da cadeia brasileira de suprimentos de refrigerantes. Gestão & Produção. Belo Horizonte, v. 11, p.441-453, set/dez. 2004.

EAGLESON, G.; WALDERSEE, R. Monitoring the strategically important: assessing and improving strategic tracking systems. Second Internactional Conference on Performance Measurement. Edited by Andy Neely. University of Cambridge, p.19-21, july, 2000.

FACHIN, O. Fundamentos de Metodologia. 5ª. Ed. São Paulo: Saraiva, 2006. 210 p.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2007

FAUSTINO, A. V. A. Análise do desempenho por meio de indicadores econômico-financeiros em uma empresa prestadora de serviços. Guaratinguetá, dez. 2013. Disponível em:< https://repositorio.unesp.br/handle/11449/118980>. Acesso em: 10 de abril de 2017.

FERRAZ, C.A. Proposta de um método abrangente para o diagnóstico da medição de desempenho. Mestrado (dissertação). São Carlos: DEP/UFScar, 2003.

FREIRE, P. D. S.; et al. Processo de sucessão em empresa familiar: gestão do conhecimento contornando resistências às mudanças organizacionais. JISTEM Revista de Gestão da Tecnologia e Sistema de Informação. Santa Catarina, v. 7, n.3, p. 713-736, 2010.

FREITAS, E. C. D.; KRAI, L. S. Gestão Organizacional em empresas familiares no Vale do Rio dos Sinos. REGE. São Paulo, v. 17, n.4., p. 387-402, out/dez. 2010.

FRIGO, M. Current trends in performance measurement systems. Cost Management Update. N.86.1998.

GARCIA, V. P. Desenvolvimento das famílias empresárias. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001.

GHALAYINI, A. M.; NOBLE, J.S. The changing basis of performance measurement. International Journal of Operations & Production Management. v.16, n.8, pp 63-80.1996.

HECK, R. K. Z.; HOY, F.; POUTZIOURIS, P. Z.; STEIER, L. P. Emerging paths of family entrepreneurship research. Journal of Small Business Management, Oxford, v. 46, n. 3, p.317-330, July 2008.

HRONEC, S. M. Sinais Vitais. São Paulo: Makron Books, 1994. 240p.

IMONIANA, J. O.; MATHEUS, C. P.; PERERA, L. C. J. Medição de desempenho de auditoria interna: um estudo empírico. Revista Universo Contábil. Blumenau, v. 10, n.3, p. 65-93, jul/set. 2014.

JURAN, J.M. Mangerial breakthrough. New York: McGrawHill, 1995

KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. A estratégia em ação: Balanced Scorecard. Rio de Janeiro: Ed. Campus, 1997, 344p.

KAPLAN, R.; NORTON, D. Transforming the Balanced Scorecard from performance measurament to strategic mangement: part II. Accounting Horizons. v.15. , n.2., june 2001c

KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. Alinhamento: Utilizando o Balanced Scorecard para criar sinergias corporativas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. Mapas estratégicos - Balanced Scorecard: convertendo ativos intangíveis em resultados tangíveis. 2ª. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004, 471p.

KOK, J. Precautionary Actions within Small and Medium – Sized Enterprises. Journal of Small Business Management. v. 43, n. 4, p. 498-516, Oct/2005.

LAMBERT, D. M, et al. Supply chain management: implemention issues and research opportunities. The International Journal of Logistics Management, v.9, n.2, p.1-19.

LEE, J. The effects of family ownership and management on firm performance. SAM Advanced Management Journal, v. 69, n. 4, 2004.

LETHBRIDGE, E. Tendências da empresa familiar no mundo. Revista BNDES, n. 7, jun. 1997. Disponível em: http://www.bndes.gov.br/conhecimento/revista/rev707.pdf. Acesso em: 28 março. 2011.

LEMOS, A. Q; PICCHIAI, D. Gestão Balanceada e Práticas de Gestão: Um Estudo Sobre Suas Influências no Desempenho Financeiro. VI Encontro de Estudos em Estratégia (3Es). Anais. Bento Gonçalves – RS: 19 a 21 de maio, 2013.

LODI, J. B. A empresa familiar. 5 ed. São Paulo: Pioneira, 1998.

MALHOTRA, N. K.; ROCHA, I; LAUDISIO, M. C; ALTHEMAN, E.; BORGES, F.M. Introdução à Pesquisa de Marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005. 428 p.

MARTINS, G. Metodologias convencionais e não-convencionais e a pesquisa em Administração. Caderno de Pesquisas em Administração. São Paulo, v. 0. n. 0., 1994.

MARTINS, R.A. Sistemas de medição de desempenho: um modelo para estruturação do uso. São Paulo.Tese (Doutorado), Escola Politécnica, Universidade de São Paulo. 1998.

MAPA - MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO (Assessoria de Gestão Estratégica). Brasil Projeções do Agronegócio do 2010/2011 a 2020/2021. Brasília, Junho de 2011. Disponível em: . Acessado em: 20 de Julho de 2015.

MAXIMINIANO, A. Introdução a Administração São Paulo, Atlas 2000.

MEDORI, D.; STEEPLE D. A framework for auditing and enhancing performance measurament systems.International Journal of Operations & Production Management: 2000, v.20, n.5.

MURRAY, E.; RICHARDSON, P. Measuring strategic performance: the case for tracking leading. Proceedings of the First International Performance Management Conference. Cambridge, England, 1998.

NEELY, A.; ADAMS, R., Measuring operations performance: past, present and future. In: Neely, A. (Ed.). Performance measurement – past, present and future. Centre for Business Performance, Cranfield, 2000.

NEELY, A.; MILLS, J.; PLATTS, K.; GREGORY, M.; RICHARDS H. Realizing strategy through measurament. International Journal of Operations Production Management: 1994, v.14, no. 3. pp 140-152.

NEELY, A., The performance measurement revolution: why now and what next? International Journal of Operations & Production Management. V.19, n.2, p.205-228.1999.

NIVEN, P.R. Balanced scorecard step-by-step - maximizing performance and maintaining results. New York, John Wiley & Sons, Inc., 2002.

OLVE, N., Roy, J., Wetter, M. Performance Drivers: a pratical guide to using the Balanced Scorecard. New York: John & Wiley, 1999.

PEIXOTO, D. L.; NERY, M. F. Sobre o Processo de Formulação de Estratégias: visões múltiplas, contra hegemônicas e possíveis para a pequena empresa. Anais. VI Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e gestão de pequenas empresas (EGEPE). Recife/PE: 14 a 16 de Abril de 2010.

PEREIRA, C; DORNELAS, J. Fatores Promotores e Inibidores do Alinhamento Estratégico da Tecnologia da Informação em uma Situação de Fusão: o Caso de uma Rede Varejista. RAC, Curitiba, v. 14, n. 3, art. 6, pp. 495-515, Mai./Jun. 2010

PETRY, L. I.; NASCIMENTO, A. M. Um estudo sobre o modelo de gestão e o processo sucessório em empresas familiares. Revista Contabilidade e Finanças. São Paulo, v.20, n. 49, p. 109-125, jan/abril. 2009.

PORTER, M. What is Strategy? Harvard Business Review. november-december.1996.

QUEIROZ, M. J. Métricas de desempenho de marketing em empresas brasileiras. Tese (doutorado). São Paulo: Departamento de Administração/Universidade de São Paulo, 2008.

RICCA NETO, D. Da empresa familiar à empresa profissional. São Paulo: CL-A Cultural, 1998.

SALOMON, D. V. Como fazer uma monografia. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

SLACK, N.; CHAMBERS, S.; HARLAND, C.; JOHNSTON, R. Administração da Produção. São Paulo: Atlas, 1997.

SCHNEIDER, C.; NETO, L. M. Avaliação do desempenho organizacional da empresa familiar indústrias Alfa S.A. Com base no modelo de gestão estratégica Balanced Scorecard. Revista de Gestão USP. São Paulo, v. 13, n.1, p. 89-104, jan/mar. 2006.

SOUZA, A. C. C. Competências na Pequena Empresa Familiar: Um Estudo de Caso no Setor de Agronegócio. Anais. VI EGEPE, Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas. Recife-PE, 14 a 16 de Abril de 2010.

SOUZA, M. D. Avaliação do nível de contribuição dos indicadores de marketing para o alcance das estratégias mercadológicas: um estudo de caso em uma concessionária de caminhões do município de Ribeirão Preto- SP. Monografia. Jaboticabal: Universidade Estadual Paulista, 2014.

SOUZA, A. E.; CORREA, H. L. Indicadores de desempenho em pequenas e médias empresas. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração. Rio de Janeiro, v.8, n.3, jul/set.2014.

TELES, J.; LUNKES, R. J.; GOMES, R. K. Utilização de indicadores financeiros em hotéis no sul do Brasil. Revista Turismo Visão e Ação- Eletrônica. Santa Catarina, v.15, n.3, p.354-366, Set/Dez. 2013.

WARD, John. A sabedoria não convencional da empresa familiar. HSM Management, São Paulo, p.56-61, maio/jun.2006.

WHITE, G. A survey and taxonomy of strategy – related performance measures for manufacturing. International Journal of Operations & Production Management v.16, n 3, p.24-61.1996.

YIN, R. Estudo de caso: planejamento e método. 2ª. Porto Alegre: Bookman, 2001.

ZANQUETTO FILHO, H. A Estratégia como Prática: O Caso de uma Empresa Familiar do Setor Moveleiro. Anais. XXXIII EnANPAD. Encontro da ANPAD. São Paulo-SP, 19 a 23 de setembro de 2009.

ZOGAHIB, A. L., et. al. Indicadores de desempenho em operações, logística e cadeia de suprimentos numa multinacional do polo industrial de Manaus. Revista eletrônica Gestão e sociedade. Belo Horizonte, v.7, n.18, p.326-342, set/dez. 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n7-131

Refbacks

  • There are currently no refbacks.