A formação de professores e as políticas e práticas de inclusão no Brasil de alunos com necessidades educacionais especiais / The training of teachers and the policies and practices of inclusion in Brazil of students with special educational needs

Kelly Cristina de Sousa, Fátima Paiva Coelho

Abstract


Este estudo tem como objetivo compreender , quais as percepções dos docentes sobre sua formação inicial e seu impacto na prática profissional tendo em vista a escola inclusiva Nesse sentido, a tendência é acreditar que a problemática sentida nos cursos de formação de professores está longe de ser superada, uma vez que as exigências legais e as políticas públicas modificam lentamente o cenário educacional brasileiro com relação a essa importante temática, carente de uma transformação significativa, que contribua efetivamente para o ensino e aprendizagem dos alunos com NEE no espaço escolar. A metodologia utilizada foi de natureza qualitativa. Utilizou-se uma recolha de narrativas escritas dos professores do 1º ao 4º ano do ensino fundamental. A pesquisa de campo realizou-se em duas escolas localizadas no município de Fortaleza-Ceará. Concluiu-se que, a temática da Educação Inclusiva nem sempre está inserida na formação acadêmica do professor e que a maioria dos cursos de licenciatura não possuem disciplinas que contemplem estas temática. Assim, os professores têm que buscar formação em cursos extracurriculares. Esses profissionais lidam também com as frustrações que o sistema educacional proporciona, que muitas vezes começa pela infraestrutura da escola, do material disponível, da ausência da instituição de ensino no que tange ao acesso e a manutenção do aluno de NEE, além da limitação do aluno e do desconhecimento de alguns familiares sobre o diagnóstico do aluno. Esses professores buscam ter mais acesso às informações, mais cursos preparatórios e apoio da instituição de ensino.


Keywords


Formação de professores. Políticas de inclusão. Necessidades educacionais especiais. Dificuldades na pratica pedagogica;

References


ALTLET, M. et.al. Formando professores profissionais: quais estratégias? Quais competências? 2.ed. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

ARROYO, M. G. Condição docente, trabalho e formação. In. Souza, João Valdir Alves de (Org.). Formação de professores para a educação básica: dez anos da LDB. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

BRASIL, Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1996.

BRASIL, Ministério da Educação. Diretrizes Nacionais para a educação especial na educação básica. Secretaria de Educação Especial – MEC; SEESP, 2015.

BRASIL, Declaração de Salamanca e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Brasília: UNESCO, 1994.

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial. Brasília: SEESP, 1994.

BRASIL, Ministério da Educação. Política Pública de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em 21/10/2016.

CUBO, S. D. . El muestreo. Em S. D. Cubo, B. Martín Marín & J. L. Ramos Sánchez.Método de investigación en Ciencias Sociales y de la Salud. Badajoz: Reduex. Campus virtual de la Universidad de Extremadura, 2006.

COELHO, M. de F. P. dos S. A formação e as atitudes de professores do ensino básico face à inclusão dos alunos com necessidades educativas especiais na sala de aula. Badajoz (España). Tese de Doutorado. Universidad de Extremadura. Facultad de educación. 2012.

MARTÍN, & J. L. S. RAMOS (Orgs.). Métodos de investigación y análisis de datos en ciências sociales y de la salud. Madrid: Ediciones Pirámide. 2011.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 36. Ed. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

GARCIA, R.M.C. A formação de professores: novas perspectivas baseadas na investigação sobre o pensamento do professor. In: Nóvoa, Antônio (Coord.) Os professores e sua formação. 3 ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995. p. 51-76.

GARCIA, R.M.C. Política de educação especial na perspectiva inclusiva e a formação docente no Brasil. Revista Brasileira de Educação, 2013. v.18, n.52, jan-mar.

KORTHAGEN, F., LOUGHRAN, J. & RUSSEL, T. Developing fundamental principles for teacher education programs and practices. Teachers and teaching: theory and practice, 22(8), 1020-1041. 2006

LIBÂNEO, J. C. Sobre qualidade de ensino e sistema de formação inicial e continuada de Professores. In: Libâneo, José Carlos. Adeus professor, adeus professora?: novas exigências educacionais e profissão docente. 13 ed. São Paulo: Cortez, 2011. p. 37 a 50.

MEDEIROS, L.M.B; Bezerra, C. C. Algumas considerações sobre a formação continuada de professores a partir das necessidades formativas em novas tecnologias na educação. In. Sousa, R. Pequeno de. et.al.(Orgs.) Teorias e práticas em tecnologias educacionais. – Campina Grande: ADUEPB, 2016. 227p.

MICHELS, M. H. O que há de novo na formação de professores para a educação especial? Rev. Educ. Esp., Santa Maria, v.24, n.40, p.219-232, maio/ago. 2011. Disponível em: http: //www.ufsm.br/revistadeeducacaoespecial. Acesso em: 20 de out. de 2016.

NÓVOA, A. (Org). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 1995.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In. Pimenta, Selma Garrido (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 2008.

RODRIGUES, B. et al. Deficiência visual e ensino de Química. 2011. Disponível em: http:// u n i f i a . e d u .b r / re v i s t a _ e l e t ro n i c a / rev i s t a s / ed u c a c a o _f o c o / a r t i g o s / a n o2 0 1 1 /ed_foco_%20Deficiencia%20visual.pdf. Acesso em 16 dez 2016.

SCHON, D.A. Educando o Profissional Reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Trad. Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2000. 256 p.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n7-128

Refbacks

  • There are currently no refbacks.