Oficina temática: obtenção e aplicação de corantes naturais no cotidiano / Thematic workshop: obtaining and applying natural colors in daily life

Onofre Vargas Júnior, Karla Nara da Costa Abrantes, Karla Soares Matias, Kesley dos Santos Ribeiro

Abstract


Uso de corantes naturais vai além da cor aos alimentos, possuem propriedades benéficas à saúde humana. Os corantes podem ser alternativa ao desperdício de alimentos no lixo e a substituição dos corantes artificiais. As oficinas podem ser usadas nesse contexto para compreender de maneira facilitadora a contextualização dos conceitos acerca do tema, despertando o senso crítico a assuntos do cotidiano das pessoas. Tal trabalho traz uma proposta de oficina temática sobre corantes naturais demonstrando suas formas de obtenção e aplicação. Realizou-se a explicação do tema seguido da aplicação de corantes naturais de jenipapo, urucum e cebola para tingimento de tecidos e de práticas de extração e aplicação de corantes naturais de beterraba, cenoura e repolho roxo como corantes alimentícios.  Os processos de extração e de aplicação dos corantes foram satisfatórios. Os participantes ficaram satisfeitos e relataram que os corantes os corantes alimentícios extraídos não interferiram no sabor dos alimentos.


Keywords


: Corantes Naturais, Obtenção e Aplicação de Corantes, Oficina Temática.

References


ARAÚJO, J. M. A. Química de alimentos: teoria e prática. 5. ed. Viçosa, MG, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Comissão Nacional de Normas e Padrões para Alimentos. Resolução n. 44, 1977. Estabelece condições gerais de elaboração, classificação, apresentação, designação, composição e fatores essenciais de qualidade dos corantes empregados na produção de alimentos e bebidas e revoga as Resoluções 20/70 e 8/72. (Ementa elaborada pelo CD/MS). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 02 fev. 1978. Disponível em: . Acesso em: 14 de agosto de 2017.

BROTEL, N.; OLIVEIRA, V.R. Cultivares de cebola e alho para processamento. In: Congresso Brasileiro de Olericultura, 52. Horticultura Brasileira, 2012. Disponível em: < https://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/bitstream/doc/940923/1/PAL41CBO522012.pdf> Acessado em 14 de agosto de 2017.

DAMASCENO, S. M. B.; SILVA, F. T. F.; FRANCISCO, A. C.; Sustentabilidade do processo de tingimento do tecido de algodão orgânico. In: XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO: Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, 12 a 15 de outubro de 2010.

MARCONDES, M. E. R. Proposições metodológicas para o ensino de química: oficinas temáticas para a aprendizagem da ciência e o desenvolvimento da cidadania. Revista Em Extensão, Uberlândia, v. 7, p. 67-77, 2008

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO: Métodos e Técnicas de Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013. 277 p. Disponível em: . Acesso em: 14 ago. 2017.

REVISTA-FI, Dossiê Corantes CORANTES. São Paulo. N. 39, 2016. Disponível em: < http://revista-fi.com.br/upload_arquivos/201612/2016120320277001480616337.pdf>

SOUZA, Rosilane Moreth de. Corantes naturais alimentícios e seus benefícios à saúde. Rio de Janeiro 2012. Disponível em: . Acesso em: 13 ago. 2017.

SPINK, M. J., Menegon, V. M., & Medrado, B. (2014). Oficinas como estratégia de pesquisa: articulações teórico-metodológicas e aplicações ético-políticas. Psicologia & Sociedade, 26(1), 32-43.

WINKLER Manuel E G.; DE, Souza João R. B.; Z., Sá Marilde B.Z. A utilização de uma oficina de ensino no processo formativo de alunos de ensino médio e de licenciandos. Química Nova na Escola, [s.l.], p.27-34, ago. 2017. Sociedade Brasileira de Química (SBQ). http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160057.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n7-066

Refbacks

  • There are currently no refbacks.