Empreendedorismo no campo da saúde no Brasil / Entrepreneurship in the field of health in Brazil

Andrea Bottoni, Evandro Rodrigues, Robson Paz Vieira

Abstract


Este artigo apresenta uma análise crítica a cerca do enfoque empreendedorismo no campo da saúde, no Brasil. Para tanto, utilizou-se de revisão bibliográfica e o método de pesquisa documental através da análise do IBGE, SERASA Experian e o GEM no período de 1997 a 2017. Consequentemente observou-se que as condições foram favoráveis ao empreendedorismo no país, aspectos denotados nos resultados apresentados neste estudo.


Keywords


Empreenderismo, Saúde, Estratégia, Negócio, Mercado.

References


BECKER, A., A. Gestão do Laboratório de Análises Clinicas por meio de indicadores de desempenho através da utilização do Balanced Scoreard. 2004. 121 f. Dissertação apresentada ao programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Engenharia. Porto Alegre, 2004.

CORDEIRO, A.M. Revisão sitemática: uma revisão narrativa. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 34, n. 6, p.79-83, 1994.

DOLABELA, F. Oficina do empreendedor. São Paulo: Cultura, 1999a.

DORNELAS, J. C. A. Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. Rio de Janeiro: Campos, 2001.

DORNELAS, J. C. A. Empreendedorismo: Transformando Ideias em Negócios. Rio de Janeiro: Editora Elsevier, 2008.

FILION, L. Do Empreendedorismo à Empreendedologia. Montreal: Journal of Enterprising Culture, v.6, 1998. Tradução e adaptação Jovino Moreira da Silva, M. Sc. Vitória da Conquista.

GIMENEZ, F.; INÁCIO JR., E. Validação do instrumento Team Factors Inventory em empresas brasileiras. Revista de Administração Contemporânea, edição especial,

p.10. 2006.

HIDOCTOR. Como médicos podem ser empreendedores. HiDoctor, São Paulo, 17/03/16. Artigo. Disponível em: http://hidoctor.com.br/p/montar-consultorio- medico/822799/como+medicos+podem+ser+empreendedores.htm. Acesso em: 18 mar. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. O IBGE. Rio de

Janeiro, 2017.

LEITE, E. O Fenômeno do empreendedorismo: criando riquezas. Recife: Bagaço, 2000.

LISBOA, T. C. Administração Empreendedora. São Paulo: Évora, 2015.

MONT´ALVÃO, R. A. Planejamento e Gestão de Consultórios Médicos. 2010. 79f.

PANTZIER, R. D. Formação empreendedora no ensino de graduação em Administração: um estudo de caso. Brusque: Fundação Educacional de Brusque, 2008.

SCHUMPETER, J. A. Teoria do Desenvolvimento Econômico: Uma Investigação sobre Lucros, Capital, Crédito, Juro e Ciclo Econômico. Coleção Os Economistas. São Paulo: Nova Cultural, 1997.

SEBRAE. Pesquisa. São Paulo, 2017. Disponível em: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/estudos_pesquisas/pesquisa-gem- empreendedorismo-no-brasil-e-no-mundo. Acesso em: 25. Jun. 2017, 19:45:00

SEBRAE. Estudo de Mercado. São Paulo, 2017. Disponível em: https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ufs/sp/sebraeaz/pequenos-negocios- em-numeros. Acesso em 14. Mar. 2017, 17:30:00

SERASA EXPERIAN. Visão Geral. São Paulo, 2017. Disponível em:

. Acesso em: 25. Jun. 2017,

:30:00




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n7-045

Refbacks

  • There are currently no refbacks.