Prontidão para a tecnologia e percepção de seus benefícios como fatores de influência no atendimento às exigências do Sped – sistema público de escrituração digital / The influence of technology readiness and of perceived usefulness on compliance with Sped – Brazilian e-invoicing, e-bookkepping and e-taxation system

Rosana C. M. Grillo Gonçalves, Luiz Francisco Simões e Silva

Abstract


As empresas têm apresentado algumas dificuldades para atenderem às exigências do sistema público de escrituração digital brasileiro (Sped). Tais dificuldades têm sido descritas na literatura como derivadas de demandas específicas do Fisco e de deficiências na gestão de processos organizacionais. Elas têm sido pouco estudadas na perspectiva dos atores diretamente envolvidos nas mudanças necessárias para o atingimento da conformidade. Alguns estudos apontaram que após o Sped, os profissionais da área de contabilidade e tributos, passaram a exercer com maior frequência atividades de auditoria interna, e também aumentaram a interação com os profissionais de informática. Entretanto, não foi encontrada nenhuma pesquisa que estudasse a influência de fatores internos que abrangem crenças e percepções dos atores relacionadas à tecnologia. Este artigo busca preencher esta lacuna, tendo como objetivo averiguar se a prontidão para a tecnologia e a percepção de seus benefícios influenciam o atendimento às exigências do Sped. Para sua consecução foi feita uma pesquisa survey com profissionais de empresas em conformidade com a nota fiscal eletrônica, com o Sped contábil, com o EFD – Pis/Confins e Contribuições e com a Escrituração Contábil Fiscal. As respostas aos questionários permitiu que os respondentes fossem divididos em dois grupos: um deles com implantação mais bem sucedida.  Após a análise dos resultados, os benefícios percebidos, o otimismo com tecnologia e o apreço pela inovação emergiram como três fatores internos de influência. Em outras palavras, houve mais apreço por estes três itens, entre os respondentes pertencentes a empresas com implantação mais bem sucedida. Já os respondentes de empresas com implantação menos eficiente, demonstraram maior desconforto com a tecnologia. Os resultados confirmam e ampliam o conhecimento teórico da influência de crenças e percepções relacionadas à tecnologia na implantação de novos sistemas e processos. Este conhecimento ampliado também pode motivar o desenvolvimento de programas que incluam treinamentos, promoção de fóruns de discussão e outras ações que diminuam o desconforto dos profissionais da área contábil e fiscal e que aumentem seu  otimismo e  apreço pela inovação.

 


Keywords


Sistema Público de Escrituração Digital, SPED, modelo de aceitação de tecnologia, TAM, TRI.

References


Ayres, R. M., & Szuster, N. (2013). PIS/PASEP, COFINS e EFD-contribuições: aplicação da legislação na contabilidade tributária-percepção de especialistas em tributos. ASAA-Advances in Scientific and Applied Accounting, 5(2), 222-255.

Brasil (1995). Instrução Normativa da Receita Federal, no 68, de 27 de dezembro de 1995. Disponível em

http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?visao=anotado&idAto=14157. Acesso em: 12 de junho de 2016.

Brasil (2007). Decreto nº 6.022 de 22/01/2007. Disponível em:

< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6022.htm >. Acesso em: 22 de agosto de 2016.

Cohen, J. (1988). Statistical Power Analysis for the Behavioral Sciences , Lawrence Erlbaum, Hillsdale, NJ.

Cunha, L. A. S. et al (2014). Fatores de prontidão e aceitação do consumidor para tecnologia em telefonia celular. International Journal of Innovation, 2(1).

Davis, F. D., Bagozzi, R. P., & Warshaw, P. R. (1989). User acceptance of computer technology: a comparison of two theoretical models. Management science, 35(8), 982-1003.

Eckert, A., dos Santos, E. C., Mecca, M. S., & Biasio, R. (2011). Vantagens e Desvantagens da implantação do sistema público de escrituração digital em uma grande empresa industrial. Revista Contabilidade e Controladoria, 3(3).

Erdogmus, N., & Esen, M. (2011). An investigation of the effects of technology readiness on technology acceptance in e-HRM. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 24, 487-495.

Faria, A. C. D., Finatelli, J. R., Geron, C. T., & Romero, M. C. (2010). SPED–Sistema Público de Escrituração Digital: Percepção dos contribuintes em relação os impactos da adoção do SPED. X Congresso USP Controladoria e Contabilidade.

Farias, J. S.; Lins, P. & Albuquerque. P. (2015). A propensão de usuários à adoção de tecnologias: Um estudo com usuários e não usuários do programa “Nota Legal” no Distrito Federal. In: XI Brazilian Symposium on Information System, Goiânia, GO, May 26-29.

Farzandipur, M. (2016). Factors affecting successful implementation of hospital information systems. Acta Informatica Medica, 24(1), 51.

Forza, C. (2002). Survey research in operations management: a process-based perspective. International journal of operations & production management, 22(2), 152-194.

Geron, C. M. S.; Finatelli, J. R.; Faria, A.C. & Romeiro, M. C. (2011). SPED–Sistema Público de Escrituração Digital: percepção dos contribuintes em relação os impactos de sua adoção. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, 5(2).

Hair, J. F., Black, W. C., Babin, B. J., Anderson, R. E., & Tatham, R. L. (2009). Análise multivariada de dados. Bookman Editora.

Jordão, R. V. D., Silva, M. S., Brasil, H. G., & Vasconcelos, M. C. R. L. (2016). Um caleidoscópio de perspectivas sobre o sistema público de escrituração digital-SPED. Revista Contemporânea de Contabilidade, 12(26), 119-140.

Koch, B. (2015) Implementing e-invoicing on a broad scale. Billentis.

Disponível em:

Acesso em: 22 ago. 2017.

Kwahk, K. Y., & Lee, J. N. (2008). The role of readiness for change in ERP Implementation: Theoretical bases and empirical validation. Information & Management, 45(7), 474-481.

Lima, E. S., Galegale, N. V., Arima, C. H., & Côrtes, P. L. (2016). Redução nos custos de conformidade tributária e os investimentos no sistema público de escrituração digital–SPED no Brasil. JISTEM-Journal of Information Systems and Technology Management (Online), 13(1), 101-130.

Machado, L. A. (1985). Dos crimes contra a ordem tributária. Revista da Faculdade de Direito UFPR, 22.

Masrom, M. (2007). Technology acceptance model and e-learning. Technology, 21(24), 81.

Nascimento, T. C., Ramos, A. S. M., & de Oliveira Júnior, P. C. M. (2011). Prontidão tecnológica e satisfação de alunos na modalidade a distância: O caso de um programa de capacitação de um governo estadual. REGE-Revista de Gestão, 18(3), 489-509.

Nunnally, J. C., & Bernstein, I. H. (1978). Psychometric theory (2nd ed.). New York: McGraw-Hill.

Parasuraman, A. (2000). Technology Readiness Index (TRI) a multiple-item scale to measure readiness to embrace new technologies. Journal of service research, 2(4), 307-320.

Parasuraman, A., & Colby, C. L. (2015). An updated and streamlined technology readiness index: TRI 2.0. Journal of service research, 18(1), 59-74.

Pires, P. J., & Alves da Costa Filho, B. (2008). Fatores do índice de prontidão à tecnologia (TRI) como elementos diferenciadores entre usuários e não usuários de internet banking e como antecedentes do modelo de aceitação de tecnologia (TAM). RAC-Revista de Administração Contemporânea, 12(2).

Ribeiro, M. M. (2012). Leviatã fiscal: uma análise crítica do panótipo tributário. Revista da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, 19(33), 97-112.

Ruschel, M. E.; Frezza, R. & UTZIG, M. J. S.. (2011). O impacto do SPED na contabilidade desafios e perspectivas do profissional contábil. Revista Catarinense da Ciência Contábil, 10(29).

Silva, C. M.; Silva, L. F. & Drumond, F. M. P. (2016). Obrigações acessórias: o papel do profissional contábil na implantação do sped fiscal em um grupo de empresa do setor siderurgico. RIC-Revista de Informação Contábil, 9(4), 42.

Streiner, D. L. (2003). Starting at the beginning: an introduction to coefficient alpha and internal consistency. Journal of personality assessment, 80(1), 99-103.

Venkatesh, V., & Bala, H. (2008). Technology acceptance model 3 and a research agenda on interventions. Decision sciences, 39(2), 273-315.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n7-042

Refbacks

  • There are currently no refbacks.