Mulheres e jornalistas: o olhar dos pesquisadores no Brasil / Women and journalists: the look of researchers in Brazil

Ana Carolina Rocha Pessoa Temer, Marli dos Santos

Abstract


Este trabalho documenta a presença de pesquisas em comunicação sobre as mulheres jornalistas, no período de 2001 a 2016, em programas de pós-graduação no Brasil. As dissertações e teses foram coletadas por meio de busca sistematizada no banco de teses e dissertações da Capes. Trata-se, portanto, de uma pesquisa que envolve a temática da feminização do jornalismo e ainda que indiretamente, questões relativas a gênero, visibilidade e preconceito. Desta forma, o inventário destaca o perfil dessa produção, tendo em vista autoria, tipo de trabalho, temática, instituições, entre outros aspectos. A pesquisa foi realizada em duas etapas, na primeira houve categorização e quantificação dos dados, por meio de análise de conteúdo, na segunda, uma análise qualitativa dos resumos das teses e dissertações. Concluímos que a produção científica sobre mulheres também reflete uma ausência ou até uma omissão dos estudos na pós-graduação em comunicação sobre a mulher jornalista e questões de gênero que perpassam a atividade profissional na amostra estudada. Isso pode representar senão uma conivência, pelo menos uma negação ou complacência com a continuidade de uma invisibilidade que, na direção contrária de mudanças sociais e culturais consideráveis, ainda se infiltra nas relações sociais.

 


Keywords


Gênero; Visibilidade, Preconceito; Feminização do Jornalismo, Análise de Conteúdo.

References


BARDIN, LAURENCE. Análise de conteúdo. 4ª ed. São Paulo: Edições Loyola, 2010.

BRITO, Priscilla Caroline de S. Primavera feminista: a internet e as manifestações de mulheres em 2015 no rio de janeiro. Disponível em http://www.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/1499450296_ARQUIVO_PrimaveraFeminista-ainterneteasmanifestacoesdemulheresem2015noRiodeJaneiro-FazendoGenero.pdf. Acesso em 18 de jan. 2018.

GIDDENS, Anthony. As Consequências da Modernidade. São Paulo: Unesp, 1991.

LEITE, Aline Tereza Borghi. Profissionais da mídia em São Paulo: um estudo sobre profissionalismo, diferença e gênero no jornalismo. Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de São Carlos. 2015.

LEVANON, Assaf; ENGLAND, Paula; ALLISON, P. Occupational Feminization and Pay: Assessing Causal Dynamics Using 1950–2000 U.S. Census Data. In: Social Forces, 2009, v. 88 (2). Disponível em https://academic.oup.com/sf/article-abstract/88/2/865/2235342>. Acesso em 10 jan. 2018.

MARQUES DE MELO, José. Historia do Jornalismo: Itinerário crítico, mosaico contextual. São Paulo: Paulus 2012.

MIGUEL, Luís Felipe. O jornalismo como sistema perito. Tempo Social. Rev. Sociologia USP, São Paulo, 11(1), 197- 208. Maio 1999. Disponível em Acesso em 1 out. 2016.

ORTEGA, Félix; HUMANES, Mª Luisa. Algo más que periodistas Sociología de una profesión. Barcelona (Espanha): Ariel, 2000.

PISCITELLI, Adriana. Gênero: a história de um conceito. In: ALMEIDA , Heloísa e SZWAKO, José Eduardo (orgs.). Diferenças, igualdade. São Paulo: Berlendis & Vertecchia, 2009. P. 116 – 148.

ROCHA, Paula Melani. Mulher jornalista: relações familiares e profissionais. Comunicación e Cidadanía: Revista Internacional de Jornalismo Social, n. 1, p. 119-134, 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2016.

SINDICATO DOS JORNALISTAS PROFISSIONAIS DO DISTRITO FEDERAL. Pesquisa Desigualdade de gênero no Jornalismo. Distrito Federal, 22 Set. 2017. Disponível em . Acesso em: 10 jan. 2018.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo: porque as notícias são como são. I volume. Florianópolis: Insular, 2004.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.