Quais os nossos deveres em relação às gerações futuras? / What are our duties towards future generations?

Luís Manuel Homem

Abstract


Este ensaio visa responder à questão do dever sobre as gerações futuras a partir da condição de ouvinte (acousmata) sobre a indagação de Gustav Mahler “O que me dizem as crianças?” (mote do último andamento da Sinfonia n.º 4, sonante com A Canção das Crianças Mortas, A Canção da Terra e a Sinfonia n.º 9, especialmente o primeiro andamento). Recorrendo à divisão de Boécio no De Institutione Musica - Musica Mundana, Musica Humana e Musica Instrumentalis - e considerando tal mote e interrogação tão pujante a quaestiocrux entre a Musica Mundana e a Musica Humana, buscamos a origem do éthos da Musica Universalis a par da condição de politikoi na Filosofia.T
Tentamos, ao mesmo tempo que indagar o éthos primordial da Música das Esferas, entender o lugar de nascimento do éthos público.

Keywords


Filosofia da Música; Gerações Futuras; éthos Musical;Musica Humana.

References


AMATO, RITA DE CÁSSIA FUCCI. A Música em Santo Agostinho.Porto Alegre, Pauta, 2005.(volume 16, nº26,Janeiro-Junho).

BABICH, BABETTE. Mousike techne: The Philosophical Practice of Music in Plato, Nietzsche, and Heidegger.Articles and Chapters in Academic Book Collections,2005.(paper23, 1-1-2005.171-205).

GRACYK, T., KANIA, (Eds.).The Routledge Companion to Philosophy and Music. New York, Routledge, 2011.

GROUT, DONALD J., PALISCA CLAUDE V. História da Música Ocidental. Lisboa, Portugal, Gradiva, 1997. (1ª edição).

KENNEDY, MICHAEL. Mahler. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1988.

KIRK, G.S., RAVEN, J. E., SCHOFIELD, M. Os Filósofos Pré-Socráticos. Lisboa, Portugal, Fundação Calouste Gulbenkian, 1983.(4.ª edição).

NIETZSCHE, FRIEDRICH. A Origem da Tragédia e Acerca da Verdade e da Mentira. Lisboa, Relógio D’Água Editores, 1997.

NIETZSCHE, FRIEDRICH. O Caso Wagner. Nietzsche contra Wagner. Porto, Portugal, Rés Editora, 1989.

NIETZSCHE, FRIEDRICH. Correspondência com Wagner.Viseu, Portugal, Guimarães Editores, 2001. (2ª Edição).

PEREIRA, AIRES MANUEL RODEIA DOS REIS. A Mousiké: das Origens ao Drama de Eurípides. Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 2001.

PEREIRA, AIRES MANUEL RODEIA DOS REIS. Polémica acerca da Mousiké no AdversusMusicus de Sexto Empírico. Coimbra,Humanitas, 1996.(volume XLVIII, p. 117-139).

PEREIRA, MARIA HELENA DA ROCHA. Estudos de História da Cultura Clássica.Lisboa, Portugal: Fundação Calouste Gulbenkian, 2012. (11.ª Edição Revista e Actualizada, volume I & II).

SCHOPENHAEUR, ARTHUR. O Mundo como Vontade e Representação. Porto, Portugal, RésEditora, 2005.

SHARPE, R.A. Philosophy of Music: An Introduction. McGill-Queen'sUniversityPress, 2004.

TOMÁS, LIA,.À procura da Música sem Sombra, Chabanon e a Autonomia da Música no Século XVIII. São Paulo, UNESP, 2011. (Cultura Académica Editora).

TRANCHEFORT, FRANÇOIS-RENÉ. Guia da Música Sinfónica. Lisboa, Portugal, Gradiva, 1998.(1ª edição).


Refbacks

  • There are currently no refbacks.