O modelo fleuriet: análise dinâmica do capital de giro aplicada no setor de saneamento / Dynamic analysis of working capital: a case study of the sanitation sector

Pedro Cláudio da Silva, Alexsandro Toaldo, Antônio Moreira Franco Júnior, Márcia Santos Cursino

Abstract


O exercício de 2016 iniciou prometendo grandes desafios e oportunidades para as empresas brasileiras que trazem um histórico de resultados ruins registrados nos exercícios de 2014 e 2015. Além da queda da atividade econômica, o setor de saneamento também sofreu com outra situação desfavorável: a crise hídrica que se instalou em regiões nas quais não havia histórico de criticidade. Tanto a redução da atividade econômica quanto a possível queda no consumo de água por parte da população, podem ter impactado na sustentabilidade econômico-financeira das companhias brasileiras de saneamento, razão pela qual este artigo tem por objetivo avaliar empiricamente a performance econômico-financeira das companhias que atuam nesse setor, nos exercícios de 2014 e 2015. Foi escolhido o modelo dinâmico, conhecido como Modelo Fleuriet, para analisar a performance operacional e dinâmica do capital de giro das organizações. A pesquisa foi realizada por meio de estudos de casos exploratórios das companhias abertas brasileiras do setor de saneamento, compreendendo 04 Companhias que, juntas, representam 13,48% dos municípios brasileiros e atendem uma população de 26,8 milhões de pessoas (13,22% da população). De acordo com os resultados das análises realizadas, conclui-se que tanto a crise econômica quanto a crise hídrica impactaram no resultado das referidas Companhias.

 


Keywords


Capital de giro, análise dinâmica, setor de saneamento

References


BRASIL. Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Dispõe sobre as Sociedades por Ações. Disponível em: . Acesso em: 01 mai. 2016.

______; INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Em 2015, PIB cai 3,8% e totaliza R$ 5,9 trilhões. Brasília, 03 de março de 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 abr 2016.

______; MINISTÉRIO DAS CIDADES; SECRETERIA NACIONAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL. Sistema nacional de informações sobre saneamento: diagnóstico dos serviços de água e esgotos – 2014. Brasília, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 abr 2016.

CAGECE – COMPANHIA DE ÁGUA E ESGOTO DO CEARÁ. Demonstrações financeiras padronizadas do exercício de 2015. Disponível em: . Acesso em 01 jun. 2016.

CEDAE – COMPANHIA ESTADUAL DE ÁGUAS E ESGOTOS. Demonstrações financeiras padronizadas do exercício de 2015. Disponível em: < http://ri.cedae.com.br/submetidascvm.htm>. Acesso em 01 jun. 2016.

COOPER, D. R.; SCHINDLER P. S. Métodos de pesquisa em administração. 7. ed. Porto Alegre: Bookman, 2003.

CORSAN – COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO. Demonstrações financeiras padronizadas do exercício de 2015. Disponível em: < http://www.corsan.com.br/upload/arquivos/201603/30095128-demonstracoes-contabeis-2015.pdf>. Acesso em 01 jun. 2016.

FLEURIET, M. A história do Modelo Fleuriet (2016). Disponível em: . Acesso em 04 mai. 2016.

FLEURIET, M.; KEHDY, R.; BLANC, G. O Modelo Fleuriet: a dinâmica financeira das empresas brasileiras. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

MARQUES, J. A. V. C.; BRAGA, R. Análise dinâmica do capital de giro: o modelo Fleuriet. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 3, p.49-63, mai/jun. 1995.

OLINQUEVITCH, J. L.; DE SANTI FILHO, A. Análise de balanços para controle gerencial. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

SANEAGO – SANEAMENTO DE GOIÁS S.A. Demonstrações financeiras padronizadas do exercício de 2015. Disponível em: < http://www.saneago.com.br/2016/investidores.html>. Acesso em 01 jun. 2016.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.