A Junta de Governo Provisório de Minas Gerais (1821-1822): um governo liberal ou autoritário? / The Provisional Government Board of Minas Gerais (1821-1822): a liberal or authoritarian government?

Marcus Caetano Domingos

Abstract


O presente artigo versa a respeito da natureza política da primeira Junta de Governo Provisório (JGP), que governou Minas Gerais (MG), entre os anos de 1821 e 1822. A JGP de MG foi um órgão de governo provincial, criado dentro da lógica liberal, no caudal das mudanças trazidas pela vitoriosa Revolução do Porto, de agosto de 1820. Pretende-se contrapor duas decisões díspares, tomadas pela JGP de MG, que, se crê, teriam feito aquele governo oscilar, entre liberal e o autoritário: a destruição do marco de ignomínia que estava plantado na casa de Tiradentes, em Vila Rica, desde 1793, uma atitude liberal, de amplo significado e desdobramento posterior, e, a aprovação e aplicação da lei de 26 de novembro de 1821, pela mesma JGP; uma lei autoritária que restringiu o exercício, e até reverteu os novos direitos constitucionais de parte da população mineira.

 


Keywords


Self government; Liberalismo; Autoritarismo;

References


ALEXANDRE. Valentim. Os sentidos do Império: questão nacional e questão colonial na crise do Antigo Regime português. Porto: Afrontamento, 1993.

BARBOSA. Waldemar de Almeida. História de Minas. 3º Volume. Belo Horizonte/MG: Editora Comunicação, 1979.

BARREIROS. Eduardo C. D. Pedro: jornada a Minas Gerais em 1822. Rio de Janeiro: José Olympio, 1973.

BERBEL. Márcia R. A nação como artefato: deputados do Brasil nas Cortes portuguesas, 1821-1822. São Paulo: Hucitec/FAPESP, 1999.

BITTENCOURT. Vera L. N. De Alteza Real a Imperador: O Governo do Príncipe D. Pedro, de abril de 1821 a outubro de 1822. Tese de doutorado. FFLCH-USP, 2006.

DOMINGOS. Marcus Caetano. “Rosaura, a enjeitada: efígie ou esfinge de Bernardo Guimarães”. Comunicação apresentada oralmente no XV Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada, ABRALIC. Rio de Janeiro: UERJ, agosto de 2017.

FILHO. José Ivan Calou. “Versões clássicas da Inconfidência Mineira”. Acervo. Revista do Arquivo Nacional. V.4, n. 1, jan. jun. 1989. P. 148 a 174.

HEINZ. Flávio M. (org). Por outra história das elites. Rio de Janeiro. Editora FGV, 2006.

HESPANHA, Antônio Manuel & XAVIER, Ângela Barreto. “A representação da sociedade e do Poder”. In: MATTOSO, José (dir.). História de Portugal. O Antigo Regime. Rio de Mouro: Lexi Cultural, 2002. Pp. 145-172.

IGLÉSIAS. Francisco. Capítulo: “Minas Gerais”. In: Sérgio B. de Holanda (dir.). História Geral da Civilização Brasileira. São Paulo, Difel, 1978. v. 2.

JANCSÓ. István. Na Bahia contra o Império. História do ensaio de sedição de 1798, São Paulo, Hucitec, 1996.

JANCSÓ, István & PIMENTA, João Paulo Garrido. “Peças de um mosaico (ou apontamentos para o estudo da emergência da identidade nacional brasileira)". In: Mota, Carlos Guilherme (org) – A Viagem Incompleta. A experiência brasileira (1500-2000). Formação: histórias. São Paulo, Editora Senac São Paulo, 2000, pp. 127- 175.

OLIVEIRA LIMA. Manoel de. O movimento da independência. 1821-22. Belo Horizonte: Editora Itatiaia; São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1989. (Coleção reconquista do Brasil. 2ª Série: v. 154).

PEREIRA DAS NEVES, Lúcia Maria Bastos. Corcundas e constitucionais: a cultura política da independência (1820-1822). Rio de Janeiro: Revan/FAPERJ, 2003.

PEREIRA, Luísa Rauter. “Povo/Povos”, pp. 203- 225. In: JÚNIOR. João Feres. (org). Léxico da história dos conceitos políticos do Brasil. Belo Horizonte, Editora UFGM, Belo Horizonte, 2009. Pp. 209-210. (Iberconceptos - Humanitas Pocket).

SANT’ANNA. Afonso Romano de & SANTOS. Ângelo Oswaldo de A. (outros). Tiradentes, teu nome é liberdade. Belo Horizonte: Máxima Comunicação Limitada, 1989.

SANTOS. Fernando P. Geografia e economia da Revolução de 1820. Lisboa: Europa-América, 1980.

SANTOS. Beatriz Catão Cruz & FERREIRA. Bernardo. Verbete: Cidadão. In: JÚNIOR. João Feres. (Org). Léxico da história dos conceitos políticos do Brasil. Belo Horizonte, Editora UFGM, Belo Horizonte, 2009. Pp. 43-64.

SILVA, Ana Rosa Cloclet da. “Identidades políticas e a emergência do novo Estado nacional: o caso mineiro”. In: Jancsó, István (org.): Independência: História e Historiografia. São Paulo: Huditec: Fapesp, 2005.

SILVA LISBOA. José da. (Visconde de Cairú). História dos principais sucessos do Império do Brasil. Tomo II. 1829.

SILVA. Wlamir. Liberais e povo: a construção da hegemonia liberal-moderada na província de Minas Gerais (1830-1834). São Paulo: Aderaldo & Rothschild; Belo Horizonte, MG: Fapemig, 2009.

SLEMIAN. Andréa. Sob o Império da Lei. Constituição e unidade nacional na formação do Brasil (1822-1834). São Paulo: Hucitec, 2009.

THOMPSON, Edward P. Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

TOMAZ. F. "Brasileiros nas Cortes Constituintes de 1821-1822", in: MOTA. Carlos G. (org.), 1822: dimensões. São Paulo: Perspectiva, 1972.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.