Gênero, desigualdades e agricultura: a mulher na atividade agrícola familiar / Gender and inequalities: reflections on women in family agricultural activity

Mariane Rodrigues Silva

Abstract


O trabalho ora apresentado propõe um estudo sobre gênero e desigualdade, direcionando a análise para o contexto da mulher rural. Historicamente a condição social da mulher está ligada aos afazeres domésticos e ao espaço privado (o lar). Quanto ao homem, o provedor e chefe de família, os espaços públicos. No meio rural esta realidade não é diferente, pois na atividade agrícola a mulher é tida como ajudante do marido e seu labor visto como uma extensão do trabalho doméstico, responsável pela reprodução familiar. Trata-se de uma lógica permeada por uma invisibilidade naturalizada na sociedade que anula a percepção da mulher enquanto parte integrante do trabalho produtivo que gera renda além da subsistência familiar. Partindo deste pressuposto, é possível compreender que existe uma desigualdade de gênero socialmente construída e enraizada no meio rural na qual se alicerça a divisão sexual do trabalho. Demonstram ainda, a fragilidade da mulher no autorreconhecimento enquanto trabalhadora rural, sobretudo no acesso a políticas públicas destinadas a mesma.

 


Keywords


Gênero, desigualdades, mulher, atividade agrícola.

References


CARLOTO, Cássia Maria. O conceito de gênero e sua importância para a análise das relações sociais. Disponível em:< http://www.uel.br/revistas/ssrevista/c_v3n2_genero.htm>. Acesso em: 10/06/2018.

CISNE, Mirla. Gênero, divisão sexual do trabalho e serviço social. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

CONDE. Leandro Carlos Dias. A invisibilidade da mulher na agricultura familiar: por uma perspectiva de gênero na extensão rural. Disponível em: < https://www.uniara.com.br/legado/nupedor/nupedor_2012/trabalhos/sessao_4/sessao_4A/05_Leandro_Conde.pdf>. Acesso em: 10/06/2018.

FARIA, Nalu e NOBRE, Miriam. Gênero e Desigualdade. Cadernos São Paulo: Sempreviva Organização Feminista, 1997.

FEDERICI, Silvia. Calibã e a bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva. São Paulo: Elefante, 2017.

FOUCAULT, Michael – O sujeito e o poder: In. Uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Hubert L. Dreyfus e Paul Rabinow. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

GIULANI, Paola Cappellin. Os movimentos de trabalhadoras e a sociedade Brasileira. In: Historia das Mulheres no Brasil. Mary Del Priore (org). São Paulo: Contexto, 1997.

LIMA, Josélia – O poder masculino na esfera da universidade pública. In. Rev: Universidade e Sociedade. Ano XXVI, n.60. Julho de 2017, Brasil.

MELO, Lígia Albuquerque de. Relações de gênero na agricultura familiar: O caso do Pronaf em Afogados da Ingazeira – PE. 2003. Tese (Doutorado em Sociologia). Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2014.

NOBRE, Miriam. Relações de gênero e agricultura familiar. Gênero e Agricultura Familiar. São Paulo: Sempreviva Organização Feminista,1998.

PAULILO, Maria Ignez s. Trabalho familiar: uma categoria esquecida de análise. Estudos Feministas, Florianópolis, janeiro-abril/2004.

RAMALHO, C.C. Os migrantes cortadores de cana do Vale do Jequitinhonha: entre a superexploração e a resistência. 2014. Dissertação (Mestrado em Política Social)-Programa de Pós-Graduação em Política Social da Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2014.

SAFFIOTI, Heleieth. Gênero, Patriarcado, Violência. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004.

SAFFIOTI, H. Violência de gênero: O Lugar da Práxis na Construção da Subjetividade. In: LUTAS Sociais. São Paulo: Xamã, 1997.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.