Avaliação de extratos botânicos no controle da cochonilha de escama diaspis echinocacti (brouché, 1833) (hemiptera: diaspididae) / Evaluation of botanical extracts in the control of escama cochonilha diaspis echinocacti (brouché, 1833) (hemiptera: diaspididae)

Priscylla Costa Dantas, Romário Guimarães Verçosa de Araújo, Romário Guimarães Verçosa de Araújo, Larisse Araújo de Abreu, Larisse Araújo de Abreu, Anderson Rodrigues Sabino, Anderson Rodrigues Sabino, Clayton dos Santos Silva, Clayton dos Santos Silva, Leonara Evangelista Figueiroa, Leonara Evangelista Figueiroa, Jorge Luiz Xavier Lins Cunha, Jorge Luiz Xavier Lins Cunha, Adriana Guimarães Duarte, Adriana Guimarães Duarte

Abstract


O estado de Alagoas possui a maior área plantada com palma forrageira do nordeste brasileiro, onde é estimado que haja 500 mil hectares cultivados. A praga mais importante é a cochonilha de escama Diaspis echinocacti (Bouché, 1833) (Hemiptera: Diaspididae) que afeta a produtividade da palma, destacando-se, nos últimos anos, principalmente dificuldades encontradas para o seu controle. Os métodos comumente usados para o controle de cochonilhas são baseados no uso de produtos químicos que causam inúmeros efeitos adversos ao meio ambiente. É importante a realização de pesquisas visando o desenvolvimento de novos produtos para o controle de pragas. O trabalho teve como objetivo verificar o potencial inseticida de extratos botânicos no controle de D. echinocacti. Para avaliação da mortalidade, uma alíquota de 1 mL de cada extrato vegetal e de água (controle) foi aplicada diretamente sobre secções de palma de três centímetros quadrados, infestados com fêmeas adultas. Os tratamentos utilizados foram: Barbatimão na concentração 10%; araticum na concentração 10%; araticum na concentração 20%; controle, sem aplicação dos produtos. Foi avaliada a mortalidade após 24, 48 e 72 horas. Entreos extratos utilizados, o de barbatimão 10% causou maior mortalidade em relação ao controle. Entretanto, o índice de mortalidade apresentado é considerado baixo, demonstrando que este extrato não pode ser considerado eficiente para o controle da praga D. echinocacti.

 


Keywords


palma forrageira, controle alternativo, extrato vegetal.

References


LIMA, P. F. U. Sistema de cultivo adensado de Palma Forrageira sob Adubação Orgânico-Mineral.

Patos-PB: UFCG, 2011. 46f. (Dissertação – Mestrado em Zootecnia – Sistema Agrosilvipastoris no Semiárido).

MANNION, A. M.; MORSE, S. Biotechnology in agriculture: Agronomic and environmental considerations and reflections based on 15 years of GM crops. Progress in Physical Geography, v.36, n.6, p.747-763, 2012.

MILLER, D.R.; KOSZTARAB, M. Recent advances in the study of scale insects. Annual Review Entomology v. 24, n. 1, p. 1-27, 1979.

SANTOS, D. C. et al. Manejo e utilização da palma forrageira (Opuntia e Nopalea) em Pernambuco.

Recife: IPA, 2006. (IPA. Documentos, 30).

SANTOS, M V. F.; LIRA, M. A.; DUBEUX JR, J. C. B. Palma forrageira In: Plantas forrageiras. 1 ed.,Viçosa: Editora UFV, v. unico, p. 459-493. 2010.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.