Efeito do Stimulate® na Qualidade de Fisiológica de Sementes de Eucalipto (Eucalyptus camaldulensis) / Effect of Stimulate® on the Physiological Quality of Eucalyptus Seeds (Eucalyptus camaldulensis)

Rafaella Gouveia Mendes, Josef Gastl Filho, Danylla Paula de Menezes, Ana Paula Santos da Silva, Danielle de Lima Braga, Maria Auxiliadora Miguel Jacob, Amanda Fialho

Abstract


O objetivo do presente experimento foi avaliar o efeito do Stimulate®, na germinação de sementes de eucalipto (Eucalyptus camaldulensis Dehn). As sementes foram tratadas com o produto (Stimulate®) na dose de 500 mL ha-1 e submetidas ao teste padrão de germinação (TPG), índice de velocidade de germinação (IVG), teste de padrão de emergência (TPE) e índice de velocidade de emergência (IVE). Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado (DIC), com 2 tratamentos (sementes tratadas e não tratadas) e 5 repetições de 50 sementes para cada teste. As sementes tratadas com Stimulate® apresentaram um incremento significativo de 7,2% na germinação em relação às sementes não tratadas. No teste de emergência as sementes tratadas com Stimulate® não apresentaram diferença significativa em relação às sementes não tratadas, contudo, as sementes tratadas com o produto, apresentaram IVE superior, o que indica que emergiram mais rapidamente. Conclui-se que a aplicação de 500 mL ha-1 de Stimulate®,levou ao incremento da germinação e índice de velocidade de emergência das sementes de eucalipto, mostrando-se uma opção viável para incrementar a qualidade fisiológica das sementes e consequentemente, melhorando a produção comercial desta espécie.

                    


Keywords


Silvicultura, biorregulador, germinação, emergência.

References


ALMEIDA, F. D.; XAVIER, A.; DIAS, J. M. M.; PAIVA, H. N. Eficiência das auxinas (AIB e ANA) no enraizamento de mini estacas de clones de Eucalyptus cloeziana F. Muell. Revista Árvore, v. 31, n. 3, p. 455- 463. 2007.

BARROS N. F., CARDOSO J. R., MACEDO P. R. O. Algumas relações solo-eucalipto em suas condições naturais. In: BARROS N. F., NOVAIS R. F. Relação solo eucalipto. Viçosa: Folha de Viçosa; 1990.

BORGES J. S. Modulador edáfico para uso em modelo ecofisiológico e produtividade potencial de povoamentos de eucalipto (tese). Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 2012.

BOTELHO, B. A.; PEREZ, S. C. J. G. A. Estresse hídrico e reguladores de crescimento na germinação de sementes de canafístula. Revista Scientia Agrícola, São Paulo, v. 58, n. 1, p. 43-49, jan/mar. 2001.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília, DF: Mapa/ACS, 2009. 398p.

CALDAS, L. S.; HARIDASAN, P.; FERREIRA, M. E. Meios nutritivos. In: TORRES, A. C.; CALDAS, L. S. Técnicas e aplicações da cultura de tecidos de plantas. Brasília: ABCTP; Embrapa CNPH, 1990. p. 37-70.

CASTRO, P. R. C.; VIEIRA, E. L. Aplicações de reguladores vegetais na agricultura. Seedling Growth Of Onion Cultivars. Acta Scientiarum, v. 34, n. 2, p. 187-192, 2012. Tropical. Guaíba: Livraria e Editora Agropecuária, 2001. 132p.

DEL QUIQUI E. M.; MARTINSS. S.; SHIMIZU J. Y. Avaliação de espécies e procedências de Eucalyptus para o Noroeste do Estado do Paraná.Acta Scientiarum2001; 23(5): 1173-1177.

FERREIRA, D. H. A. A.; LELES, P. S. dos S.; OLIVEIRA NETO, S. N. de; PAULA, T. R.; COUTINHO, R. P.; SILVA, R. L. da. Crescimento e Produção de Eucalipto na Região do Médio Paraíba do Sul, RJ. Floram, v. 24, p. e00131315, 2017.

FIGUEIREDO, A. C.; PEDRO, L. G.; BARROSO, J. G.; TRINDADE, H.; SANCHES, J.; OLIVEIRA, C.; CORREIA M. Óleos Essenciais de Espécies de Eucalyptus. Agrotec 9: 12-15. 2013.

GRATTAPAGLIA, D.; BRADSHAW, H. D. Nuclear DNA content of commercially important Eucalyptus species and hybrids. Canadian Journal of Forest Research, Ottawa, v. 24, n. 5, p. 1074-1078, 1994.

IBÁ.Indústria Brasileira de Árvores. Relatório IBA 2016. São Paulo. 2016.

MOTTA, D.; DINIZ, E. do N.; FERNANDES, W. A rentabilidade na cultura de eucalipto Queluz. In: Seminário de Excelência em Gestão e Tecnologia, 2010, Resende. VII SEGET, 2010.

PEREIRA, J. C. D.; STURION, J. A.; HIGA, A. R.; HIGA, R. C. V.; SHIMIZU, J. Y. Características da madeira de algumas espécies de eucalipto plantadas no Brasil. Colombo: Embrapa Florestas, 2000. 113p. (Embrapa Florestas. Documentos, 38).

RODRIGUES, J. D. Biorreguladores, Aminoácidos e Extrato de algas: verdades e mitos. Informações Agronômicas, n. 122. UNESP – Botucatu. Junho, 2008. 4p.

SAKAKIBARA, H. Cytokinins: activity, biosynthesis and translocation. Annual Review of Plant Biology, Yokohama, v. 13, n. 1, p. 431-449, 2006.

SANTOS, C. M. G. Ação de bioestimulante na germinação de sementes, vigor de plântulas e crescimento do algodoeiro. Dissertação (Mestrado em Ciências Agrárias). Universidade Federal da Bahia, Escola de Agronomia, Cruz das Almas. 2004. 61 p.

STOLLER DO BRASIL. Stimulate®. Cosmópolis: Divisão Arbore, 1998. 1.v. (Informativo técnico).

TAIZ, L; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 5. ed. São Paulo, Artmed, 2013. 954p.

TITON, M.; XAVIER, A.; OTONI, W. C.; REIS, G. G. Efeito do AIB no enraizamento de mini estacas e micro estacas de clones de Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden. Revista Árvore, v. 27, n. 1, p. 1-7, 2003.

VIEIRA, E. L.; MONTEIRO, C. A. Hormônios vegetais. In: CASTRO, P. R. C.; SENA, J. O. A.; KLUGE, R. A. (Eds.). Introdução à fisiologia do desenvolvimento vegetal. Maringá, Eduem, 2002. p. 79-104.

WENDLING, I.; XAVIER, A.; GOMES, J. M.; PIRES, I. E.; ANDRADE, H. B. Efeito do regulador de crescimento AIB na propagação de clones de Eucalyptus spp. Por mini estaquia. Revista Árvore, v. 24, n. 2, p. 187-192, 2000.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.